Igreja

Igreja concede indulgência plenária a fiéis afetados pelo Covid-19

Entre eles, estão os enfermos, os profissionais de saúdes, os familiares e a todos que se comprometem a rezar pelos afetados pelo coronavírus.

Na quinta-feira, 19, a Penitenciária Apostólica emitiu um decreto em que concede indulgência plenária aos fiéis afetados pelo Covid-19, pandemia que tem assolado vários países no mundo inteiro desde dezembro de 2019. A indulgência é oferecida aos enfermos, aos profissionais de saúdes, aos familiares e a todos que se comprometem a rezar pelos afetados pelo coronavírus.

A Igreja, seguindo o exemplo de seu Divino Mestre, sempre cuidou dos enfermos de coração. Como indicado por São João Paulo II, o valor do sofrimento humano é duplo: «É sobrenatural, porque está enraizado no mistério divino da redenção do mundo, e também é profundamente humano, porque nele se encontra o homem. humanidade, dignidade, missão “(Carta Apostólica Salvifici doloris, 31).

De acordo com o documento:

A indulgência plenária é concedida aos fiéis afetados pelo coronavírus, submetidos à quarentena por ordem da autoridade sanitária em hospitais ou em suas próprias casas se, com uma alma desapegada de qualquer pecado, se unirem espiritualmente através da mídia à celebração da Santa Missa, a recitação do Santo Rosário, a prática piedosa da Via Crucis ou outras formas de devoção, ou se pelo menos recitarem o Credo, o Pai-Nosso e uma piedosa invocação à Bem-Aventurada Virgem Maria, oferecendo esta prova em espírito de fé a Deus, e  vivendo a caridade para com nossos irmãos e irmãs, com a vontade de cumprir as condições habituais (confissão sacramental, comunhão eucarística e oração de acordo com as intenções do Santo Padre), o mais rápido possível.

Profissionais de saúde, familiares e aqueles que, seguindo o exemplo do bom samaritano, expostos ao risco de contágio, assistem os pacientes com coronavírus de acordo com as palavras do divino Redentor: «Ninguém tem um amor maior do que isso: dar vida por si próprio amigos “( Jo 15:13), obterá o mesmo dom de indulgência plenária nas mesmas condições.

Além disso, esta Penitenciária Apostólica concede de bom grado a Indulgência Plenária nas mesmas condições na ocasião da atual epidemia mundial, mesmo para os fiéis que oferecem uma visita ao Santíssimo Sacramento, ou adoração eucarística, ou a leitura das Sagradas Escrituras por pelo menos metade agora, ou a recitação do Santo Rosário, ou o exercício piedoso da Via Crucis, ou a recitação do Terço da Divina Misericórdia, para implorar a Deus Todo-Poderoso a cessação da epidemia, alívio para aqueles que estão aflitos e salvação eterna de quantos o Senhor chamou a si mesmo.

A Igreja ora por aqueles que acham impossível receber o sacramento da Unção dos Enfermos e do Viaticum, confiando cada um à Divina Misericórdia em virtude da comunhão dos santos e concedendo a fiel Indulgência Plenária no momento da morte, desde que está devidamente disposto e habitualmente recitou algumas orações durante sua vida (nesse caso, a Igreja compensa as três condições habituais necessárias). Para alcançar essa indulgência, recomenda-se o uso do crucifixo ou da cruz (cf. Enchiridion indulgentiarum , n.12).

A Bem-Aventurada Virgem Maria, Mãe de Deus e da Igreja, Saúde dos Enfermos e Auxílio dos Cristãos, nossa advogada, gostaria de ajudar a humanidade sofredora, rejeitando de nós o mal desta pandemia e obtendo todo o bem necessário para nossa salvação e santificação.

Documento na íntegra


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *