Formação

Deus no meio do fogo

comshalom

Dom José Alberto Moura

    Moisésapresenta ao povo o fato por ele presenciado. Deus lhe fala do meio dofogo (Cf. Dt 4, 33). Na época se tinha como verdade a morte de quemvisse diretamente a Deus. O próprio Moisés viu e continuou vivendo!

    Jesusveio apresentar um Deus profundamente humano. Ao contrário da morte,veio trazer vida justamente a quem precisa ver Deus. A pior da morte éa de quem não vê Deus no semelhante. Enxergar quase só os falsos deusesno fogo das paixões, das injustiças e do mal causado à sociedade e ànatureza… ver somente os próprios interesses e ficar cego para tantasnecessidades do semelhante… não assumir os compromissos familiarescom a convivência de verdadeiro amor… manifestar fé sem se preocuparcom o bem da comunidade e da Igreja… só pensar em si em detrimento dobem comum… tudo isso é morte para o encontro com Deus…

    Deustem um plano de amor para a humanidade. Abrir-se a Ele é enxergar osentido da vida para se fazer dela a construção de um convívio commútua ajuda, entendimento ecumênico, união de esforços pela promoção depolíticas públicas inclusivas dos mais necessitados, doação de si parao serviço aos que vivem a mercê de esmolas e são desprezados. Ostalentos que cada um recebe não são para o entesouramento pessoal. Atéos estudos têm uma hipoteca social e realizam as pessoas que osutilizam com ideal de servir.

    Ofogo de Deus nos faz perceber sua presença. Ele nos quer ver assumindoa grande missão, como a de Moisés, para somarmos forças e ajudarmos acomunidade a se libertar de tantas mazelas sociais e encontrar ocaminho que leve à vida de justiça e amor. É preciso abrir os olhos dafé e da boa vontade, superando a cegueira do egoísmo ou fechamento nospróprios projetos finalizados em nós mesmos. São Paulo nos lembra anecessidade de superarmos nossas escravidões: "De fato, vós nãorecebestes um espírito de escravos, para recairdes no medo, masrecebestes um espírito de filhos adotivos, no qual todos nós clamamos:Abá, ó Pai!" (Rm 8, 15).

    Quandovemos o fogo do amor de Deus, assumimos nossa missão de pessoas éticas,comprometidas com a verdade e o bem. Assumimos o compromisso do batismopara sermos verdadeiros apóstolos da libertação de tudo o que escravizaas pessoas ao ódio, vício e todas as paixões. Aceitamos o envio deCristo: "Ide e fazei discípulos meus todos os povos… e ensinando-os aobservar tudo o que vos ordenei!" (MT 28, 19.20).

    ODocumento de Aparecida, dos bispos da América Latina e do Caribe, noslembra a grande caminhada de discípulos missionários para promovermos avida de realização de todos, conforme o desejo do Filho de Deus: "Paraque todos tenham vida abundante!" (Jo 10, 10).

    Ofogo do amor de Deus não nos deixa inertes. Ao contrário, faz-nosdesenvolver nossas capacidades para servirmos o bem comum. O fechamentoem nosso egocentrismo nos faz queimar em nossos próprios desejos. Se osfizermos sublimar para servir a comunidade, conseguimos nossarealização plena.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *