Institucional

Deus sempre fala com você, em tudo Ele fala

comshalom

“Descobri que desde o momento da fecundação já sentia medo e tristeza. Fui crescendo dentro de um útero cheio de águas barulhentas onde a atmosfera reduzida me prendia  ali naquele espaço.

Até a adolescência dormia no cantinho da cama da minha avó, que não se deitava enquanto não terminasse de rezar os  seus terços. Apesar de ver meus pais todos os dias a presença dos meus avós era absoluta. Como não ser marcada por aquele “Dorme com Deus!” de todas as noites? Como não se lembrar da voz do meu avô quando me acordava antes do sol nascer dizendo: “Acorda menina, vamos perder a procissão da penitência!” todas as primeiras sextas-feiras do mês? Impossível não mencionar o olhar de minha avó cheio de lágrimas ao me ver indo para  o meu primeiro dia de aula.

Apesar de guardar na memória esses acontecimentos, antes no momento em que foi vivenciado, a sensação daquela criança era de ter no peito um buraco ao ver que meu irmão tinha um lugar na casa de meus pais e eu não. E que quando a noite caía, eu não ia pra junto deles, isso mesmo que inconscientemente, aumentava um vazio dentro de mim, algo que poderia ser comparado a um buraco dentro do peito.

A certa altura da vida perdi meus avós, minha mãe passou por uma doença terrível, meus pais se separaram, mudei de cidade, buscava amor e encontrava paixão. O buraco aumentava e a cada dia me distanciava mais da igreja e de toda aquela referencia que tinha vivido na infância.  Muito revoltada com meus tropeços resolvi mudar tudo na minha vida, começando pela religião. Católica desde o nascimento , quis mudar e escolhi , vejam só, a Comunidade Shalom.  Quando conheci a comunidade que era próxima ao ponto de ônibus que eu usava todos os dias, percebi umas pessoas diferentes e pensei que ali era uma igreja evangélica. Deus e suas “deusuras” na minha história!

Hoje, tecendo o meu segundo Fio de Ouro, foi me revelado que o sopro que me acompanha desde quando era um feto se trata do Espírito Santo que me mantem viva, que aquela atmosfera que me envolvia era as mãos de Deus preservando a minha vida e que foi Cristo na hora do parto, que me colocou no colo de minha avó, para que ela me criasse na fé.

Ah, o mais importante; aquele buraco. Pois bem, é necessário “vomitar” tudo que cresce dentro de nós e nos impede de viver os planos que Deus planejou para nós e pedir que Ele preencha esse espaço com amor; com o seu Amor verdadeiro. E quando tropeçar saiba que a estrada continua e que um tropeço sempre nos impulsiona à frente, basta você levantar a cabeça e olhar a quem te olha, pois Deus sempre fala com você, em tudo Ele fala.

Neila Caputo, Filha de Deus, mulher, casada.”

Neila Caputo foi uma das participantes do Tecendo Fio de Ouro no Shalom de Belo Horizonte, que acaba neste sábado, 17. Segundo os organizadores, “foi um tempo muito precioso  onde a Comunidade  conduziu os participantes a fazerem um verdadeiro encontro consigo mesmo e principalmente encontrar-se com Deus”.

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *