Institucional

Deus veio preencher o vazio que havia em mim

comshalom

Me chamo Romerito, mais conhecido por Romer, participo do grupo Yeshua na Comunidade Shalom, missão de Patos-PB.

Quando criança gostava de ir à missa. Fiz o catecismo com 10 anos de idade e logo em seguida perdi a vontade de fazer qualquer coisa que me remetesse a Igreja. Tive uma adolescência totalmente afastada das coisas de Deus. Ao atingir a maior idade cai literalmente nas propostas que o mundo facilmente oferece na busca por preencher um vazio que sempre tive, mas esse vazio logo voltava como um buraco e cada vez mais fundo, pois não conseguia me preencher com nada.

Então aos 26 anos conheci aquela que viria a ser a minha esposa; ela muito fervorosa foi aos poucos inserindo Deus em minha vida mesmo sem que eu me desse conta. Quando estávamos no ápice de nossa felicidade por estarmos juntos, descobrimos que ela tinha um câncer em estado já avançado, e em meio as lutas, ela veio a falecer oito meses depois.

Me senti caído, sem vida, sem alma, fraco, sem fé. Busquei diversos meios para preencher o vazio que esse amor havia deixado em mim. Tentei de tudo, tudo mesmo. E nessa busca pelo tudo, me perdi nas armadilhas que o mundo oferece. Passei a me sentir espiritualmente morto. Nada mais satisfazia meu coração. Me deixei ser consumido por esse sentimento, chegando a me rotular como um ateu, pois eu não via sentido em nada mais.

No ano passado, recebi vários convites de um amigo para participar do Shalom. Ele vivia insistindo para que eu fosse para os eventos que a Comunidade promovia, e eu sempre a recusar.  Depois de uns tempos, este mesmo amigo repetiu o convite, e desta vez, para ir ao grupo de oração do qual ele fazia parte. Aceitei o convite, mesmo pensando: “Eu mal sei rezar”. Chegando lá, fui muito bem recebido. Neste mesmo dia, no momento em que foi pedido para que todos fechassem os olhos, alguns começaram a “orar no Espírito” e em alta voz; palavras que para mim, eram incompreendidas. Aquilo foi me preenchendo de uma forma que não consigo descrever; logo não consegui conter as lágrimas que transbordavam pelos meus olhos ainda fechados; aquelas vozes ecoavam dentro de mim e tomavam conta de todo aquele vazio como se eu estivesse sendo invadido (e de fato eu estava), naquele instante meu coração era tomado por um sentimento de entrega, em que inexplicavelmente, comecei a sentir que a partir dali, minha vida jamais seria a mesma. Porém me sentia indigno de tudo aquilo, mas passei a sentir uma forte inquietação ou como disse São João Paulo II “santa inquietação”. Passei a ir nas quintas-feiras de Adoração, para alimentar aquele sentimento forte que passou a habitar em mim. Me sentia inflamado e totalmente imerso a tanto sentimento de alegria e gratidão, mesmo sem entender direito o que estava acontecendo. Então fui convidado pelo Pastor do meu grupo de oração para participar de um Seminário de Vida no Espírito Santo. Fui mesmo sem ter noção do que era. Lá tive uma forte experiência com Deus. Pude senti-lo, ouvi-lo e ter a certeza de que aquela minha inquietação era Ele me conduzindo. A partir de então passei a querer ser cada vez mais íntimo de Deus.
Aquela “inflamação”, aquela inquietação pelas coisas de Cristo e pelo carisma Shalom hoje habita em mim cada vez mais forte, a ponto de querer dar o meu sim a Deus diariamente! E afirmo com toda certeza que encontrei o que tanto buscava na minha vida! Shalom!


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *