Dia de combate à AIDS: É sempre bom refletir

comshalom

 

banner-aids

A informação é a grande aliada na luta contra o preconceito.

 

Ser soropositivo é caminhar com uma doença, que para a medicina, infelizmente, é incurável. Não bastasse isso, essas pessoas são acompanhadas por uma presença nada agradável, que por vezes, chega a ser tão agressiva quanto o próprio vírus: o preconceito. A falta de informação ainda é a principal causa de discriminação para com seus portadores do vírus HIV.

É comum as pessoas soropositivas serem associadas à doença, como se uma fosse sinônimo da outra. Um absurdo. Hoje os avanços no diagnóstico precoce e no tratamento permitem aos acometidos pelo vírus uma melhor qualidade de vida, provando assim que é possível conviver com a doença.

No Brasil, segundo à Unaids (programa das Nações Unidas para o combate à AIDS), há cerca de 830 mil pessoas convivendo com a doença. Neste dia dedicado à luta contra a AIDS, é bom reforçar à luz da informação, os mitos e as verdades acerca desta doença.

1 – O vírus não pode ser transmitido através de beijo, abraço, aperto de mão, compartilhamento de talheres, ou por aparelhos sanitários;

2 – Nem todo portador do vírus HIV tem AIDS. O indivíduo que tem HIV e não sente nada é apenas o portador do vírus, que é assintomático. Quando o indivíduo desenvolve os sintomas, aí que recebe o nome de AIDS. Com o avanço do tratamento a tendência é que os portadores do vírus não desenvolvam sintomas.

3 – O vírus, é sim, transmitido por seringas e agulhas.

4 – Ser portador de HIV não significa morrer cedo. A expectativa de vida das pessoas com HIV que fazem tratamento corretamente e que estão com sucesso terapêutico é igual à da população geral que não tem HIV.

5 – As mulheres soropositivas podem engravidar sem que o vírus HIV seja transmitido. Para isso acontecer, o período pré-natal deve ser acompanhado por um infectologista, além do ginecologista. A mãe é acompanhada com a utilização de medicações antirretrovirais, para garantir a não passagem do HIV para o bebê”. A criança também é acompanhada na sala de parto para receber medicação e deve ser acompanhada pelos 18 meses seguintes a fim de realizar testes específicos. O aleitamento é proibido.

Igreja

O Papa Francisco, enviou uma mensagem para a 8ª Conferência da Sociedade Internacional da AIDS, sobre HIV Patogênese, Tratamento e Prevenção, que se realizou esta semana em Vancouver, no Canadá. No comunicado o Pontífice afrmou estar satisfeito pelos muitos progressos feitos na prevenção e no tratamento da AIDS, particularmente com os medicamentos antirretrovirais.

Publicidade amiga

Em 2015, o Grupo de Incentivo à Vida (GIV), lançou nas plataformas digitais uma campanha de combate ao preconceito. A campanha se chamava “O cartaz soropositivo”. Gotas de sangue de pessoas portadoras do vírus foram colocadas sobre os cartazes. Fora do corpo muito tempo, o vírus não sobrevive. Os cartazes, então, não representavam nenhum risco às pessoas. Espalhados pela cidade os “papéis portadores do vírus” geraram muitas reações em quem passava. Há momentos em que a emoção fala mais baixo. Vale a pena conferir. Se você ficou curioso, é só conferir o vídeo logo abaixo.

Guilherme Rocha

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *