Shalom

Dia do compositor: A arte de traduzir em canções as experiências com Deus

Um dos compositores mais conhecidos na Comunidade Shalom, Rafael Morel partilha sobre o processo criativo das músicas de autoria dele.

comshalom
da esquerda para direita: Guto, Thais e Rafael Morel

Neste dia 15 de janeiro, comemoramos o Dia Mundial do Compositor. A data tem origem no México e que o mundo todo adotou, como um modo de homenagear os que fazem a música.

A veia artística se manifestou na vida de Rafael Morel, ainda na infância. Ele conta que com dez anos já compunha músicas para uma banda de pagode cristão da qual participava no Colégio Shalom. Com 14 anos compôs a música “Não temerei”, gravada pelo Missionário Shalom dois anos mais tarde. Hoje, Morel tem mais de 35 músicas gravadas por artistas católicos entre eles Adriana Arydes e Ana Gabriela e é um dos compositores da Comunidade Shalom mais conhecidos.

Morel explica que suas composições sempre partem de um momento de oração. “Nos meus momentos de oração, eu tocava alguma coisa e as vezes me sentia inspirado com aquilo que Deus me falava, ia me abrindo a rimar e acontecia. Esse processo de criação se dava muito naturalmente enquanto eu rezava”.

Compor é um dom gratuito de Deus

Para o cantor e compositor, a capacidade de compor é fruto da graça de Deus. “Sempre ficou claro para mim que era um dom, porque o esforço que eu fazia era tentar traduzir aquela experiência em rimas”.

Segundo ele, a inspiração de grande parte de suas composições surgiu naturalmente em um momento de oração. “A maioria das músicas eram fruto de experiências que eu não tinha intenção prévia de fazer. Ela simplesmente saía, acontecia, fruto de uma experiência que eu tentava traduzir em canção”.

Ainda segundo o artista, as músicas ajudam a eternizar as experiências com Deus na oração. “É sempre uma experiência na qual eu toco na dimensão da graça porque eu simplesmente me abro àquela experiência, me abro a rimar, a me deixar sensibilizar com aquela temática, e Deus vai colocando no meu coração as rimas, a sonoridade certa para compor aquela canção”.

Rafael Morel integrou por mais de uma década o MSH, atualmente é psicólogo e na Comunidade Shalom, formador pessoal, integrante do ministério de música, e faz parte do trio Entretons.  

Veja algumas composições de Rafael Morel

Foi lá na Cruz 

 

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *