Shalom

Dia Internacional da voz: Conheça o testemunho da cantora Suely Façanha

Neste Dia Internacional da Voz, confira a partilha de Suely Façanha, consagrada da Comunidade de Vida Shalom, cantora e compositora que utiliza a voz como instrumento de consolação para a humanidade.

comshalom

Hoje é o Dia Internacional da Voz e cantar é o sonho de muita gente. Mas será que basta só soltar a voz para cantar como missão? Este sonho, que também é serviço, comporta grandes produções e recursos, muito profissionalismo e confiança na divina providência. Acompanhe, a seguir, o testemunho de Suely Façanha, cantora que tem como missão a música e que já enfrentou muitos desafios com a saúde da própria voz. A missionária irá narrar a sua história em primeira pessoa a partir de agora.

A música, a voz e a evangelização

Desde que conheci Jesus, a música tomou um lugar cada vez maior na minha vida. Cantar pra mim passou a ser mais do que um prazer, passou a ser uma missão, uma obrigação, um dever de amor. Os testemunhos começavam a chegar: vidas transformadas pela força do amor divino, pessoas que redescobriram a esperança e a força de viver, ou mesmo o sentido da vida. Valeria então a pena qualquer sacrifício para manter a missão, ainda que ela me custasse muito.

Foi então que a música começou a me comprometer cada vez mais. Comprometer a minha alma, a minha vida, o meu tempo, as minhas relações e a minha família. Renunciei os planos pessoais pela evangelização. E assim vivo até hoje. Já são quase 30 anos! Tantos sacrifícios já foram feitos! Já passei por tantas perdas e por tantas provas, já deixei de usufruir de tantas coisas boas para estar disponível para missão! E hoje posso dizer: vale a pena gastar a voz pelo Reino dos Céus.

No início da música da Comunidade Shalom, não usávamos o termo “artistas”, mas “ministros”. Artistas não eram apenas os que faziam arte, mas também aqueles que tinham uma vida “nada ortodoxa”, para ser bem sucinta. Com o tempo, nossa compreensão foi mudando e passamos a entender que éramos artistas sim e que o Senhor tinha uma missão bem concreta para nós, que abrangia o sentido mais profundo da palavra.

Precisaríamos entender que o verdadeiro sucesso seria a fidelidade ao carisma da vocação que generosamente nos foi dada, e não a quantidade de aplausos. Não precisaríamos ter receio de aparecer, como no passado tínhamos (pelo desejo de viver a humildade e por medo de cair na tentação do orgulho), mas que seria mesmo necessário anunciar em todas as oportunidades a pessoa de Jesus Cristo.

Nunca pensei em viver nada isso: meu sonho era trabalhar no ramo empresarial, iria me formar em Administração de empresas. Mas o Senhor mudou tudo! Me deu a missão de salvar almas através da minha voz. E é assim que termino aqui minha partilha, dizendo que usar toda a potência da minha voz é, para mim, salvar almas para o Reino dos Céus. Eu não quero ter uma carreira, quero resgatar e socorrer e evangelizar o homem que sofre. Cresce cada dia mais meu desejo de, apesar de minha tão grande pequenez, me colocar a serviço do Cristo que um dia me conquistou e me consagrou para si. A voz do cantor católico é, portanto, uma oblação, um potente instrumento de consolação para a humanidade.

+Bônus: Como cantar o salmo na Santa Missa?

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *