Formação

7 dicas práticas para pregações querigmáticas

Um bom pregador não nasce pronto. Por isso, é muito importante que haja a dedicação ao estudo e às boas práticas espirituais de comunhão com Deus para que o pregador cresça em sabedoria no trabalho da obra do Senhor.

comshalom

A pregação querigmática é essencial para que um apostolado de evangelização se torne frutuoso. Mas, antes de falarmos sobre aspectos técnicos da pregação querigmática em si, vamos refletir um pouco sobre o significado da palavra  querigma.  

Essa expressão está relacionada com alguns personagens antigos, chamados arautos reais. Esses homens estavam a serviço dos reis e percorriam as localidades comunicando notícias relacionadas com a vida no palácio real e com os decretos dos monarcas. Na tradição cristã, a palavra querigma se tornou sinônimo do primeiro anúncio das verdades da fé. Tornou-se a comunicação dos projetos salvíficos e da vontade do verdadeiro Rei do Universo, Jesus Cristo. 

“Vinde e vede” 

No Evangelho segundo São João, há uma cena muito significativa que revela a alma do que vem a ser uma pregação querigmática. Leia atentamente

“Naquele tempo, João estava de novo com dois de seus discípulos e, vendo Jesus passar, disse: “Eis o Cordeiro de Deus!” Ouvindo essas palavras, os dois discípulos seguiram Jesus. Voltando-se para eles e vendo que o estavam seguindo, Jesus perguntou: “O que estais procurando?” Eles disseram: “Rabi (que quer dizer Mestre), onde moras?” Jesus respondeu: “Vinde ver” (Jo 1,35-39).

Essa narrativa do Evangelho, assim como a resposta de Jesus, expressa muito bem o que deve ser uma pregação querigmática. O sentido e a razão desse serviço é a promoção da experiência com Jesus. Assim, o pregador querigmático deve explorar a imaginação e os traços comportamentais da assembleia. Tais indicativos revelam, por assim dizer, um pouco dos horizontes de sentido do público-alvo, suas dúvidas, medos, anseios e esperanças. Resumindo, essa modalidade de pregação explora e estimula  nos ouvintes o desejo de ver o Mestre e ser mergulhados em Sua Paz.

Nas mãos, o pregador deve levar a Bíblia e o Catecismo da Igreja e estar atento ao tipo de público que irá receber o anúncio, para fazer como o próprio Jesus fazia: utilizar os recursos ordinários da vida humana para expressar o extraordinário da vida divina que não está longe, mas muito perto de cada um de nós. 

O pregador querigmático, portanto deve conhecer bem o seu público. Deve estar atento, por exemplo, à sua faixa etária e ao nível de escolaridade dos ouvintes. Deve ficar atento ao comportamento da assembleia no momento da pregação, se as pessoas se encontram agitadas, dispersas, sonolentas, atentas etc. Se resolver contar uma piada, fazer uma brincadeira ou uma dinâmica, será ótimo, porém esses recursos devem sempre estar a serviço de um propósito mais elevado, ou seja, promover uma experiência com Deus e com a Salvação, que é Jesus. 

Faz-se necessário ainda um apurado senso prático, contudo, sem empobrecer o conteúdo doutrinário básico da pregação. Além das Sagradas Escrituras e do Catecismo da Igreja, é bom que o pregador se situe em relação ao bairro ou cidade em que vai pregar. O noticiário jornalístico da cidade, por exemplo, pode conter elementos atualíssimos para utilizar como exemplos práticos do conteúdo que está pregando. 

Didática da pregação querigmática

Há ainda outros elementos que podem parecer irrelevantes, mas que auxiliarão para transmitir segurança e familiaridade ao público, desde a escolha da roupa que o pregador vai usar, seus comportamentos, como chegar um pouco mais cedo para conversar com alguns participantes e demonstrar simpatia, até o cuidado com as dinâmicas que serão utilizadas durante a pregação. 

Outra curiosidade é que uma assembleia de primeiro anuncio pode ser composta por um público heterogêneo. Há os que não sabem nada da Igreja ou de Deus, os que vão à Igreja por ser uma tradição familiar mas que ainda não tiveram uma experiência pessoal com Jesus, outros um pouco mais avançados na doutrina e há ainda outros fatores relevantes como a classe social, o nível de instrução e de cultura dos participantes. 

Assim, as ideias e propostas de uma pregação podem ser maravilhosas, mas se não forem adequadas àquele público, não serão efetivas. Isso pode ser frustrante tanto para o pregador quanto para as pessoas que lhe ouvirão. Uma dica essencial é sempre rezar pelo povo antes de ir pregar e perguntar ao próprio Deus o que aquelas pessoas precisarão ouvir especificamente. Mesmo que sejam pregações costumeiras, como as do Seminário de Vida no Espírito Santo, Deus sempre deseja dizer algo novo para cada público em particular, mesmo que os tópicos da pregação sigam o mesmo itinerário, pode haver uma palavra de sabedoria, uma passagem bíblica ou uma palavra de ciência específicas para aquele povo e lugar. É surpreendente o que o Senhor revela quando nos colocamos em oração e intercessão por quem receberá a nossa pregação. 

Outra dica importante é que a pregação querigmática é focada na experiência pessoal com a pessoa de Jesus Cristo. Então, é preciso explorar a sensibilidade dos participantes, de modo a tocá-los inicialmente através de seus sentidos e emoções. Depois, ao longo da caminhada, o aprofundamento na vida de oração mostrará outras vias que ultrapassam os sentimentos, mas a porta inicial da experiência com Deus costuma ser os sentidos e as emoções. Sobretudo, que todas as ações de uma pregação querigmática sejam iluminadas pelo Espírito Santo e conduzidas por Seus dons. É o Espírito quem concede a experiência do modo como cada um necessita em particular.  

Outro fato é que, nesse tipo de pregação, alguns participantes costumam ficar envergonhados. Assim, é necessário um cuidado particular para não constranger a nenhum deles com brincadeiras ou até mesmo com dinâmicas que possam expô-los em demasia. O objetivo é envolver o público sem invadir os seus limites. Conquistar e atrair, sem constranger ou impor. 

Como terminar a pregação

Termine sua pregação querigmática com um tom de esperança, otimismo e alegria. Se possível, com um canto e uma oração que ajudem os participantes a mergulharem na mística do que foi comunicado. Se houver tempo hábil e mais pessoas servindo durante a pregação, estes podem rezar brevemente pelos participantes. Por fim, nada melhor que encerrar a pregação invocando a intercessão e o cuidado materno da Virgem Maria.

Desejo que essa matéria possa ter te ajudado a desempenhar com mais frutos o serviço da pregação, em vista do primeiro anuncio da Paz real, que é Jesus. 

Deus te abençoe sempre! Shalom!

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado.