Formação

Distrações na Oração: Você já pensou em pedir ajuda profissional?

A vida espiritual passa pela concretude da nossa carne mortal, que padece neste mundo e precisa de auxílio, para que possamos corresponder de forma mais inteira às aspirações divinas.

comshalom

Estamos na era dos estímulos. O século XXI trouxe a popularização da internet ao mundo — os computadores domésticos e os smartphones fizeram uma verdadeira revolução na rotina das pessoas.

Os momentos de reflexão tornaram-se cada vez mais raros e o ser humano está mais agitado. A oração, tão necessária na vida dos indivíduos que têm sede de Deus, tornou-se um campo de batalha mais árduo: as distrações triplicaram e mergulhar na vida interior tornou-se um ato ainda mais heroico para um cristão. É verdade que as tentações sempre existiram, mas elas mudam de forma e de aparência a cada geração.

Os avanços tecnológicos também proporcionaram progressos na ciência, especialmente na medicina, que hoje já conhece e trata enfermidades antes desconhecidas ou inexistentes. São inúmeros os distúrbios que atrapalham a qualidade de vida das pessoas, inclusive no que se diz respeito à vivência cotidiana da oração.

Hoje já é comum ouvir queixas de cristãos que têm sérias dificuldades em mergulhar na meditação quando rezam, mesmo em ambientes silenciosos que proporcionam momentos de espiritualidade. Mas quando é necessário buscar ajuda médica em relação às dispersões nos momentos de oração?

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), é uma enfermidade de caráter neurobiológico, com causas genéticas. Dentre os seus principais sintomas, estão a impulsividade, a inquietude e a desatenção. A doença requer um diagnóstico de um psiquiatra e tem tratamento medicamentoso, que melhora a atenção dos indivíduos para que eles possam realizar suas atividades cotidianas com mais foco.

Em alguns casos, a terapia também é recomendada, com o intuito de sanar pensamentos intrusivos (indesejados) através do autoconhecimento e da proposta de metas concretas, a depender da abordagem clínica do profissional que acompanha o quadro de saúde mental do indivíduo.

No amplo universo da mente humana, existem também outras enfermidades de caráter psíquico que têm como sintomas níveis elevados de desatenção. Por isso se você, cristão, que está lendo este artigo, identifica graus de distração que parecem estar além do seu controle, não tenha medo de pedir ajuda médica.

O diagnóstico muda de acordo com cada pessoa e os profissionais costumam levar em conta fatores hereditários, sociais e históricos, como traumas, por exemplo. O uso de medicações, quando necessário, a psicoterapia e o acompanhamento espiritual cristão, quando unidos, podem trazer inúmeros benefícios para aqueles que sofrem de TDAH ou de outras enfermidades no âmbito psíquico.

A vida espiritual passa pela concretude da nossa carne mortal, que padece neste mundo e muitas vezes precisa de auxílio, para que possamos corresponder de forma mais inteira às aspirações divinas. Reconhecer as próprias limitações, portanto, é sinal de humildade e uma via certa para a autêntica conversão.

Que em meio aos desafios dos tempos atuais, possamos recordar das palavras do Papa Francisco em sua Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate (Alegrai-vos e exultai): “Importante é que cada crente discirna o seu próprio caminho e traga à luz o melhor de si mesmo, o que Deus colocou nele de muito pessoal, e não se esgote procurando imitar algo que não foi pensado para ele.”

Não esqueçamos do chamado misericordioso do Santo Padre para nós, seu rebanho: “A santidade é para todos.” Que essas palavras ecoem em nossos corações diante de todas as dificuldades.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *