Formação

Domingo: O dia santo da semana

comshalom

Quando o Papa João Paulo II foi à Inglaterra, um dos tópicos que ele mais enfatizou foi a importância e necessidade de mantermos o Domingo como um dia santo. Logo a seguir ele continuou abordando o tema, de forma clara e detalhada, numa Encíclica dedicada a este assunto.

Se quisermos renovar a Igreja, toda esta questão sobre o Domingo torna-se de suma importância. O Domingo está  profundamente fundamentado na Escritura, responde à necessidade humana de descanso e diversão e nos conduz à alegria da Ressurreição. O Domingo nos une aos cristãos do passado e nos levaa frente para um “amanhã” que sempre aguarda a volta do Senhor e se preparapara aquele encontro pessoal definitivo que teremos com Ele. Tem também uma dimensão ecumênica que nos permite encontrar com cristãos de outras tradições que partilham desta mesma fé: o Dia do Senhor é sagrado.

O Domingo é um presente dado – um dia de descanso em cadasemana. Para os judeus, o Shabbat acontecia no sábado. Para  os cristãos, na sua nova aliança com Deus, o dia de descanso e diversão é o Domingo, o dia da Ressurreição do Senhor.

O corpo de Jesus permaneceu na tumba durante o Shabbat judeulogo após o seu sofrimento da Sexta-feira da Paixão. Este permanecer na tumba é significativo porque marca o fim do Shabbat judeu, como até então vinha sendo observado. Muito  cedo, na manhã seguinte, no primeiro dia da nova semana, as mulheres vão ungir o corpo do Senhor com ervas.

Observemos que este seria um dia de trabalho atarefado, daío acordar bem cedo. Quando Maria Madalena aproximou-se do túmulo, Jerusalém jádeveria estar fervilhando em atividades, voltando ao trabalho depois dodescanso sabático. A  comunidade estaria enfrentando a semana que se iniciava com seus trabalhos e responsabilidades. Quando Cristo dirigiu-se a ela,Madalena pensou ser o jardineiro, um jardineiro que trabalhava naquele local. A partir daquele momento de revelação e da corrida que ela fez até os apóstolos para lhes contar a grande novidade da Ressurreição, o Domingo cristão acabara de nascer.

Deveria ser um dia de alegria, um dia de reconhecimento doSenhor. Nossa ida à igreja é o nosso encontro Pascal com Cristo Jesus. Uma antiga tradição conta-nos do hábito de irmos à missa bem cedo pela manhã (isso não é crucial, pois o que importa é nossa união e adoração a Deus, pessoal e comunitária, seja em que hora for), mas sem dúvida esta tradição tem algo a  nos dizer.

Certamente, o hábito da missa dominical bem cedo era popular devido aojejum eucarístico, que durante muitos anos era contado a partir da meia-noite. Fazia sentido acordar cedo, participar da celebração eucarística e poder comungar sem ter que  esperar longas horas para quebrar o jejum. Mas este ir à missa bem cedo trazia em si, de certa forma, uma recompensa, uma semelhança com aquele primeiro “encontro no jardim” entre Jesus e Maria Madalena. Precisamos estar atentos para perceber se não perdemos toda esta dimensão de encontro como Ressuscitado em nossas atitudes e disposição interior no que diz respeito à missa dominical.

Será a missa de Domingo uma obrigação a ser cumprida rapidamente para nos vermos livres dela? Cumprimos o jejum de uma hora antes da comunhão? Corremos para a igreja sem nenhuma preparação e tantas vezes chegamos atrasados? Muitos de nós somos atentos no vestir se vamos a um aniversário, a um casamento, ou a uma festa. E quando vamos à missa? Muitas vezes a mensagem que passamos ao observarem nosso modo de vestir é: não ligo a mínima! Renovação da Igreja significa  renovação dos nossos próprios corações e mentalidades,antes de qualquer outra coisa. Isso é ainda mais gritante em  paróquias mais abastadas! Já em lugares mais simples,como afirma o testemunho de um pároco do interior, as pessoas mais humildesainda tem o cuidado de se arrumarem para ir à Missa.

Os mais antigos podem confirmar que a melhorroupa era guardada para “ver Deus”, ou seja, para a missa de Domingo. Dá o que pensar…

Ir à Missa de Domingo é uma obrigação importante – Ops! Não protestem! Mencionar a palavra obrigação não significaalgo árido e sem significado. Aocontrário. Quando as mulheres foram ao túmulo ungir Jesus elas estavam cumprindo um preceito santo e porque elas estavam sendo fiéis a este preceito, o Senhor lhes deu a maior de todas as recompensas: serem  testemunhas de Sua Ressurreição! O nosso Domingo também deve ser um canal aberto a receber estarevelação. Isso é algo a ser lembrado quando circunstâncias de trabalho nos levam a trabalhar no Domingo: encontrar espaço e horário para a Missa faz sim, diferença!

O Domingo começa na noite anterior – como acontecia noShabbat e ainda acontece em outras festas cristãs como a Vigília Pascal e aMissa do Galo, na véspera do Natal. Não somente na Inglaterra mas em todo omundo, a missa de Sábado a noite pode ser um momento propício para toda afamília celebrar unida, sem roubar o valor do Domingo. Mas com certeza é necessário um esforço em nossos corações e em nossos lares para assegurar este valor, principalmente se há crianças e jovens na família.

O encontro da família aos Domingos não necessariamenteprecisa ser na hora do almoço. Nada impede que seja à tarde ou à noite,contanto que seja um momento em que todos estejam relaxados e possam “jogar conversa fora”. Será que a televisão tem que ser o único motivo que nos reúne?Pelo menos aos Domingos deveríamos conseguir contar as novidades, falarmos davida, jogarmos um jogo, rirmos juntos. Uma família que conheço começou a tradição de ler uma história em voz alta logo após a refeição – as crianças amaram a idéia e, muito rapidamente um capítulo já não era suficiente, queriam mais.

Algumas famílias criaram outras tradições no Domingo (coisas bem simples mas significativas porque feitas juntos): tomar sorvete no caminho de casa após a Missa, visitar um vizinho ou amigo doente, idoso, levando o folheto da missa ou uma revista (que tal um exemplar da Revista Shalom Maná?) para que ele se distraia durante a semana, convidar os avós para o  almoço,jantar ou um lanche, lembrar de sempre ter um convidado, criança, jovem ou adulto que possa estar sozinho em casa.

Algumas famílias usam as leituras da Liturgia de Domingo como motivo de oração em família tanto no Sábado parapreparar para o Domingo, quanto no Domingo, após a Missa. Alguns fazem uma oração especial no Domingo quando estão à mesa – e isso inclui canções e intercessão pelos amigos e necessitados.

O Domingo precisa ser lembrado, festejado e vivido com ânimo pelas nossas famílias! Que não esqueçamos da alegria da ressureição.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *