Sem Categoria

Errais desconhecendo as Escrituras…

comshalom

 

É desnecessário lembrar que sem o Espírito Santo não entenderemos o que Deus quis nos dizer ao enviar sua Palavra. É o Espírito Santo o inspirador e o inflamador dos corações. Por isso devemos sempre pedir o seu auxílio. “Ó vinde Espírito Santo, enchei os corações…”.

Como muitos já sabem o método da Lectio divina consiste em quatro passos: leitura, meditação, oração e contemplação. Tomemos, neste mês dedicado à Bíblia, um trecho do evangelho segundo São Marcos, capítulo 12, versículos de 18 a 27, e façamos uma Lectio com ele. Leia-o com atenção, pelo menos três vezes à meia voz. Agora leia-o mais uma quarta vez em silêncio, meditando, isto é, confrontando-o com sua vida.

Da leitura vimos que os saduceus, “que dizem não haver ressurreição” (cf. v.18) se aproximam para armar uma cilada para Jesus como já haviam feito os fariseus e herodianos (cf. vers. 13 a 17). Eles começam citando a Lei de Moisés para fundamentar a tese que queriam provar. Quando houvesse numa família dois irmãos e um deles morresse, a viúva deste tinha direito de casar com o irmão para suscitar uma descendência para o morto. Era conhecida como a Lei do levirato (levir em latim= cunhado) que Moisés deixara no livro do Deuteronômio capítulo 25,5ss.

Os saduceus apresentam uma situação na qual uma mulher chega a casar com sete irmãos e depois morre. E perguntam: Se ela foi casada com todos, na vida eterna, de quem ela será esposa? A resposta não dependia do número de maridos daquela mulher, mas eles levam seu argumento ao extremo para ver o que o Mestre diria.

Jesus repreende-os: “Não é por isso que errais, desconhecendo tanto as Escrituras como o poder de Deus?” (v. 24) E explica: “Na ressurreição, nem os homens as casam nem as mulheres se dão em casamento, pois serão como os anjos do céu”. E para provar que os mortos ressuscitam, cita as Escrituras, na passagem do livro do Êxodo em que Deus se revela a Moisés na sarça ardente dizendo: “Eu sou o Deus de Abraão, Deus de Isaac e Deus de Jacó”. E conclui afirmando: “Ora ele não é Deus de mortos e sim de vivos. Errais muito!” (vers. 27).

Você ficou surpreso por Jesus ter citado o Antigo Testamento? ‘Ora claro que não pois ele sabia de tudo…’ ‘Ele é o Verbo, a Palavra viva do Pai…’ Mas Ele passou como todo menino judeu por todas as fases, sendo educado na Lei e cumprindo todas as suas prescrições. Quando completou sua maioridade aos doze anos, foi levado a Jerusalém e lá ficou entre os doutores “ouvindo-os e interrogando-os” como relata São Lucas. E no fim deste episódio o evangelista diz: “E Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens” (Lc 2,52).

Na Carta aos hebreus, lemos: “Embora fosse Filho aprendeu a obediência” (Hb 5,8). Ele leu e conheceu as Escrituras. Então não é de estranhar que Ele soubesse de cor as passagens do Antigo Testamento. No deserto, o diabo o tenta, citando a Palavra de Deus e Jesus rebate corrigindo também na Palavra com a correta interpretação.

Ao iniciar sua vida pública, Ele entra na Sinagoga de Nazaré e lê uma passagem do livro do profeta Isaías: ”O espírito do Senhor está sobre mim…” E diz: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabais de ouvir” (Lc 4,16-21). Ao longo dos evangelhos, é praticamente impossível não associar algum ensinamento ou episódio de sua vida com o Antigo Testamento. E é natural. Afinal, “ele não veio abolir a Lei ou os profetas, mas dar-lhe pleno cumprimento”. E ensina: “Ouvistes o que foi dito… Eu porém vos digo: …“ (Mt 5,1ss.).

A Palavra de Deus está, portanto, no centro de sua pregação. Na aparição aos discípulos de Emaús, após a ressurreição, Ele recrimina-os: “Ó insensatos e lentos de coração para crer em tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória? E começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava dito em todas as Escrituras” (Lc 24, 25-27).

E você? Ama a ponto de conhecer de cor algumas passagens bíblicas? Ou também tem errado por desconhecer tanto as Escrituras quanto o poder de Deus? Você gostaria de entender tudo o que no AT diz respeito a Jesus? Deixe que o próprio Senhor venha ajudá-lo como fez com os discípulos de Emaús. Só há uma condição: Coração aberto e tempo para ler e meditar a Palavra de Deus.

Perdemos tanto tempo com futilidades e reclamamos que ‘não temos tempo para fazer um estudo bíblico’. Será que não temos tempo ou o gastamos de maneira inútil? Reflita sobre o seu dia-a-dia e veja se não dá para arranjar um tempo para o que é essencial na vida de qualquer um. Escolha, faça o seu horário. Determine-se. Não deixe a rotina o(a) dominar. Domine você o seu tempo, recolhendo-se diariamente para ler, meditar e rezar com a Palavra de Deus.

O terceiro passo da Lectio depois da leitura e da meditação é exatamente a oração. Peça ao Senhor esta graça de amá-lo e conhecê-lo mais através da Bíblia. Em seguida, comprometa-se, no que depender de você, de reservar o tempo escolhido para Deus. Louve e bendiga a Deus pela sua Palavra que está ao seu alcance. Agradeça também pela Igreja, pelos que preservaram, conservaram e transmitiram a Bíblia de geração em geração até os dias de hoje. Siga as moções do Espírito para o que ele o(a) inspirar.

O último passo da Lectio é a contemplação. Agora não precisa “fazer” alguma coisa. É deixar que o próprio Senhor o(a) conduza. Contemplar é amar! Deixe que o Espírito ame em você e através de você.

Sempre ao terminar uma Lectio, sugerimos que você anote em seu caderno de oração os principais rhemas e graças que o Senhor lhe concedeu para que depois você possa relembrar tudo o que o Senhor fez em sua alma. Caso você faça parte de algum grupo de oração, partilhe com seus irmãos e irmãs a obra que Deus realizou em sua vida através desta Lectio.

 

José Ricardo F. Bezerra


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *