Shalom

Escola de Evangelização São Felipe Neri: evangelizar pela misericórdia

escola-de-evangelizaçao-paraná

Somos chamados a ir ao encontro do homem que sofre por causa do pecado, ferido na sua dignidade, sedento do amor e da misericórdia de Deus.

A Escola de Evangelização São Felipe Neri é uma inspiração dada por Deus à Comunidade Católica Shalom desde 2003, destinada a ser uma oportunidade de reunir jovens que desejam fazer uma forte experiência como Comunidade de Vida e, ao mesmo tempo, na evangelização. Ela é uma resposta ao apelo da Igreja para a nova evangelização. Deseja ser um instrumento de anúncio explícito de Jesus Cristo para alcançar o coração do homem de hoje, levando todas as pessoas, que por ela foram alcançadas, a uma experiência com a Misericórdia de Deus, pois como nos disse o Beato João Paulo II, “o novo milênio será evangelizado pela misericórdia”.

A Misericórdia Divina é experimentada e não ensinada. A evangelização feita em contato direto com as necessidades da humanidade transforma o coração do evangelizador em um coração transpassado. Na evangelização pela misericórdia, não se impõe a ninguém nenhuma filosofia ou teologia, mas se testemunha uma experiência autêntica com o amor de Deus. Este tipo de evangelização nos lança no amor ao outro e nos faz tocar os corações das pessoas, por isso é preciso recomeçar e não desistir, mesmo quando você não tiver muitas perspectivas de mudanças.

Objetivos

            A Escola de Evangelização São Felipe Neri tem como objetivo anunciar explicitamente Jesus Cristo segundo o Carisma Shalom; trazer de volta os católicos batizados que deixaram a Igreja, reconduzindo-os a prática dos Sacramentos; fazer novos cristãos pelo contato pessoa a pessoa; capacitar evangelizadores para responder aos anseios do coração do homem; contribuir para formação de um povo novo, um povo em movimento, dentro do plano evangelizador Shalom; trazer um novo ardor missionário para aquela obra local, como também difundir a Obra Shalom, desenvolvendo a potência do ministério da evangelização e a formação de uma mentalidade segundo o Evangelho.

Temos experimentado a partir da evangelização porta a porta, em pontos de ônibus, praças públicas, edifícios e em todos os lugares que o Senhor nos envia, a graça de Deus tanto na vida dos missionários como na vida das pessoas que vão sendo alcançadas pela evangelização e sendo resgatadas pela ação poderosa do Espírito Santo, pois como dizem nossos Estatutos: “Evangelizar para nós é no poder do Espírito e com o auxílio dos seus carismas”.

Somos chamados a ir ao encontro do homem que sofre por causa do pecado, ferido na sua dignidade, sedento do amor e da misericórdia de Deus. A Escola de Evangelização torna-se um instrumento que leva todos os homens que por ela são alcançados a uma experiência com a Misericórdia do Pai.

Cotidiano

Aqueles que compõem a Escola abdicam por sete meses da família, dos estudos e do trabalho para uma dedicação em tempo integral à evangelização, que se dá no kerigma e na catequese. Sendo assim, os irmãos que a integram tem a manhã dedicada à oração, que se inicia com a Celebração Eucarística, seguida de adoração, estudo da Palavra e formação específica. Recebem a formação com base na doutrina da Igreja e em seus documentos para esclarecer a fé aos que são evangelizados. Durante a tarde, os evangelizadores saem em duplas de casa em casa, visitando, levando a Palavra de Deus, a oração, o terço, o sorriso, o entusiasmo e seus corações cheios da presença de Deus.

Escolha do patrono

A Comunidade escolheu São Filipe Neri como patrono da Escola de Evangelização. No século XVI, enquanto os protestantes tentavam esvaziar a Igreja, ele foi o apóstolo da alegria e da evangelização. A escolha deste santo também está relacionada ao seu coração ardente pela evangelização, bem como no seu método simples de conversação que formava para a arte de evangelizar.

A crise na Igreja se tornou, para ele, mais uma oportunidade de evangelizar do que uma catástrofe em si mesma. Seu coração gigante o levou às ruas como “evangelho da Misericórdia”. Com estilo e originalidade incomuns, ele atraiu as multidões e o clero de volta à Igreja. Sua grande jogada foi sair todos os dias nas ruas realizando Ragionamento (método que usava) para trazer de volta as ovelhas doentes ao Pastor. Com grande misericórdia saía diariamente ao encontro das “ovelhas perdidas”, pois dizia não poder esperar dentro da Igreja. Era também considerado o santo da alegria, dom este que transbordava amor e entusiasmo que atraiam todos aqueles que estavam distantes de Cristo.

Providência na Evangelização

 Na Escola de Evangelização temos a graça de tocar em muitos testemunhos da providência de Deus por meio das pessoas que Ele nos envia. O mais interessante aconteceu comigo em um ônibus, quando uma jovem entrou e ficou de pé ao meu lado, segurando um livro sobre vampirismo.  Pedi para ver o livro e, a partir daí, começamos a travar um diálogo sobre o assunto. Falei de alguns livros que eu li, entre eles “Cartas de um diabo ao seu aprendiz” (C.S.Lewis, escritor cristão) e ela ficou ainda mais empolgada durante a conversa. Após algum tempo, perguntei por que ela estava lendo aquele livro, e ela explicou-me que o seu marido jogava RPG (Role-playing game) com os amigos e queria que ela também entrasse para o grupo; para isso, a jovem teria que estudar sobre o assunto.

 Então não perdi tempo e comecei a dar meu testemunho, como Jesus havia mudado a minha vida. A reação da jovem era de surpresa e curiosidade. Então, de repente, lhe perguntei por sua mãe, se morava em Fortaleza. Ela silenciou por alguns segundos e disse: “Minha mãe morreu há duas semanas”. E em um choro contido, diante da tristeza no seu olhar, pedi para rezar por ela. A jovem, com muita sede de Deus, aceitou. Quando chegamos ao terminal, eu a convidei para um dos nossos centros de evangelização, dei-lhe os nossos endereços e ao terminarmos a conversa ela se comprometeu a ir.

Hoje, não sei se ela frequenta a Comunidade Shalom. O que sei é que, naquela tarde, se utilizando de mim, Deus a amou e com Sua misericórdia se deu a conhecer.

Pedro Hugo

Jovem em Missão de João Pessoa (PB)

Quem é evangelizado sai de si

Partilho a alegria de ter sido acolhida por algumas famílias de um bairro que evangelizamos. Em meio a “casas de muros altos e grandes portões de ferro”, encontramos pessoas sedentas de Deus e de sua Palavra, que expressam sua fé, que se mostram solidárias com as outras, que saem de si, do seu fechamento e de seu aparente individualismo para se reunirem e rezarem. Isso é possível pela presença da nossa Mãe, Maria, pois pela oração do terço nas famílias, percebemos a adesão da parte destas pessoas e fazemos a experiência do amor de Deus.

Semanalmente nos encontramos. Chamamos os moradores de determinada rua e a cada dia, na casa de uma família, nos reunimos para rezar. Uma coisa que me chama atenção é que eles expressam um desejo forte de intercessão, não só por suas intenções pessoais, mas por todos que precisam: pelos doentes, pelos pobres, pela paz no mundo, etc. É uma ótima oportunidade de sair de si. Partilhamos também da Palavra de Deus, trocamos experiências vividas, nos confraternizamos e, acima de tudo, expressamos a fé na Igreja Católica e o amor filial a Maria. Eles demonstram um interesse de que outras pessoas também se juntem a nós e assim buscam evangelizar. Estas famílias partilham conosco de suas vidas e bens. Sinto a Providência e o cuidado de Deus por nós através de cada um.

 Quão grande alegria é ser instrumento da paz para essas pessoas que acolhem nosso anúncio. É bem verdade que é desafiante a evangelização em nosso bairro, mas acreditamos na ação de Deus que nos conduz a cada casa, pois Ele, mais do que nós, sabe que lá está alguém que precisa conhecer o Seu amor. A nós cabe não desanimarmos e perseverarmos, pois é Deus quem tudo realiza naqueles que abrem suas portas e, assim, seus corações.

Kleima Macedo

Missionária da Comunidade Católica Shalom em Fortaleza/CE

Douglimar Estevam da Silva Lucena

Missionário da Comunidade Católica Shalom em Aquiraz/CE


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *