Notícias

Projeto Mundo Novo distribui alimentos para moradores de rua em São Paulo

A ação coincidiu com a semana em que a Missão São Paulo lançou a campanha “Eu Espalho Esperança”, a qual tem o objetivo de estimular as pessoas a realizarem atos concretos de solidariedade.

comshalom

Por Matheus Macedo

 

“O que eu posso fazer para que os mais pobres e necessitados saibam que a vida deles tem valor e importância?” Foi com essa inquietação em seu coração, que Thiago Hummel, coordenador Apostólico da Missão São Paulo da Comunidade Shalom, teve a ideia de levar conforto e esperança para moradores de rua da capital paulista.

Ele conta que sua inspiração veio através de uma reportagem que assistiu em um telejornal em que viu um morador de rua afirmar: “Eu não me preocupo com o coronavírus, afinal de contas minha vida não tem importância para ninguém”. Esse depoimento inquietou Thiago, que começou a questionar sobre o que ele poderia fazer para mostrar que todo ser humano é importante para Deus. 

Dois dias depois, conversando com uma amiga da Comunidade, ela partilhou que também estava pensando no que poderia ser feito pelos pobres durante a pandemia. Juntos começaram a articular com os membros do Projeto Mundo Novo (PMN) uma maneira de arrecadar doações e distribuir comida aos irmãos de rua.

Eu espalho esperança

Thiago conta que, por providência de Deus, a ação coincidiu com a semana em que a Missão São Paulo lançou a campanha “Eu Espalho Esperança”, a qual tem o objetivo de estimular as pessoas a realizarem atos concretos e divulgar nas redes sociais com a hashtag #EuEspalhoEsperança e marcar o perfil da Comunidade no Instagram (@shalomsaopaulo_). O intuito segundo a Comunidade é propagar boas notícias, além de incentivar a população a realizar boas ações em tempos de incerteza e medo.

A união de iniciativas começou a render frutos. Para arrecadar doações, os membros do PMN, formados principalmente por profissionais da saúde, pediram ajuda de amigos e colegas de trabalho, que por sua vez acionaram outros médicos que se interessaram pelo projeto e decidiram ajudar. Aos poucos foram chegando diversos tipos de doações como, alimentos, frutas, água, roupas e produtos de higiene pessoal. Além de máscaras e luvas para os voluntários que se colocaram a disposição para sair às ruas.

A ação enfim se concretizou no dia primeiro de abril e se repetiu no sábado (04). Pelo menos 30 voluntários ajudaram na produção e distribuição de mais de 300 marmitas, além de garrafas de água e sabonete.

De acordo com a organização, o objetivo é fazer as ações duas vezes por semana. Porém, para dar continuidade ao projeto e mantê-lo após o fim da pandemia do coronavírus, o grupo depende de doações. As próximas atividades acontecerão nos dia 08 e 09 de abril. Os interessados em contribuir com donativos ou participar das ações podem entrar em contato por meio do telefone: (11) 94857-0888 (Aline).


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *