Formação

Fraqueza e poder

comshalom

A lei do mais forte revela sua fraqueza quando não forrealmente forte para servir e promover o mais fraco. Caso contrário, ela setorna imensa covardia e manifestação de pequeno caráter de quem a usa paramassacrar e aproveitar-se do mais frágil. Isso, infelizmente, é muito presentena história da humanidade.

Jesus veio ser verdadeiro e pleno sinal de contraste comessa prática. Grandioso Deus se fez criaturinha frágil, nascendo sem o mínimoconforto e vivendo pobremente. Ele lembra que não tem nem onde reclinar acabeça. Não aceitou a violência nem mesmo para se defender. Assumiu o martírioe provou que a última palavra não é a de quem pode matá-lo em sua naturezahumana, nem mesmo a realidade da morte. Sua vida nos provou que o amor e oserviço ao semelhante é o que vale na nossa caminhada pela terra. O mais deveser empregado nessa direção.

A realização justa do ser humano inclui o necessário parauma vida digna. Mas isso não pode dar asa a que uns tenham demais e, muitomenos, à custa do que seria de benefício aos outros. Enquanto não houverjustiça nessa terra, é preciso de quem tenho o "tutano" da vitalidadedo amor de Deus para a promoção da vida de sentido nesse planeta. Suainfluência vai ser forte em todo contexto humano. A formação do caráter deveser básico na constituição e no desenvolvimento da família e em toda aconvivência social. Os poderes variados vão, assim, ser usados para o serviço àcausa da vida das pessoas e do planeta onde vivemos. Serão usados para seerradicarem os mecanismos de morte e tudo o que faz pisar sobre os maisfragilizados em todas as dimensões. O livro da Sabedoria lembra o poder dedomínio para o exercício da misericórdia e a atitude de alguém ser humano paracom os frágeis: "A tua força é o princípio da tua justiça, e o teu domíniosobre todos te faz para com todos indulgente… o justo deve ser humano"(Sabedoria 12, 16.19).

Jesus nos lembra a necessidade de sermos indulgentes paracom o próximo, da mesma forma em que pedimos semelhante atitude de Deus paraconosco. Paulo lembra a ação do Espírito que nos auxilia: "O Espírito vemem socorro da nossa fraqueza" (Romanos 8,26).

Não entendemos porque há tantas pessoas maléficas,invejosas, vingativas, mentirosas, trapaceiras e desonestas. Procuram fazer omal ao semelhante. Usam da política para beneficiar a si e seus comparsas emdetrimento de grandes parcelas pobres. Já na parábola do joio e do trigo temosa narrativa de fato semelhante do homem que semeou a boa semente e o inimigo amá. No entanto, a colheita marcou o resultado do bom produto (Cf. Mateus13,24-43). A fraqueza dos maus está no pensamento de que sua grandeza nomalefício será a palavra final. O criminoso, por exemplo, pode até pensar quevai ficar ileso e tirar vantagem de seu ato malvado. Às vezes sua condenação epenalização podem não se dar nesta terra, se bem que as maiores são a de elemesmo saber que a grandeza da pessoa está na dignidade e no bem. Mas a últimapalavra é a do próprio Deus, que nos recompensa pelo bem que tivermos feito aosemelhante. Esta é a real grandeza e amaior conseqüência do que realizamos nesta caminhada terrena.

 

 

Dom José Alberto Moura, CSS
Arcebispo Metropolitano de Montes Claros – MG

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *