Shalom

“Hoje sou eu que estou aqui e preciso de um milagre na minha vida”

comshalom

Tudo começou com a minha mudança de gênero no ano de 2015, cortei meu cabelo e comecei a usar roupas masculinas. Um tempo depois comecei a sentir assédios ao meu corpo, me afastei da faculdade e tudo começou a piorar. Quebrava coisas dentro de casa, quebrei meu armário, tacava coisas na parede e chutei a TV, porque o assédio mental me incomodava muito e me fazia sentir dores.

Sai da casa da minha mãe e fui para Brasília, morei na rua por duas noites até que conheci um senhor que me deu uma passagem para o Espirito Santo, para eu ir para a casa de um tio. Meu tio conversou comigo e me aconselhou a voltar para casa, mas eu não queria voltar. Decidi ir para a casa do meu pai, mas lá tive um briga horrível com uma pessoa.

Depois disso, liguei para outro tio que morava aqui no Rio de Janeiro, ele me aceitou na casa dele. Comecei a usar suas roupas e deu inicio ao tratamento para mudança de gênero. Meu tio pediu que eu voltasse a morar com a minha mãe.

Não aguentei. Sai de casa e fui morar na Lapa, especificamente em uma casa de transsexuais e prostitutas. Lá eu tive contato com as drogas, com o pó. Me envolvi em uma briga e fui expulsa. Sem dinheiro, sem nada, fui para a casa de uma amiga. Minha mãe me encontrou e me levou para casa. No desespero de não ter mais para onde ir ou o que fazer, tentei me matar, fui para uma passarela e antes que algo pior pudesse acontecer três mulheres conversaram comigo, me acalmaram. Voltei pra casa e todas as sensações voltaram, conversei com minha mãe e pedi para me levar para algum lugar religioso.

Fui para a Comunidade Maranathá e fui encaminhada para um psicólogo e logo depois fiquei interna por um mês em uma clínica. Nesse meio tempo, minha mãe conheceu a Comunidade Shalom e, quando retornei para casa, ela me levou lá. Fui acompanhada por uma missionária que me falou do Acamp’s. Na mesma hora eu quis ir. Ela fez minha inscrição e eu fui.

No primeiro dia, teve uma Adoração ao Santíssimo,  eu me ajoelhei e comecei a falar com o Senhor.

 “Senhor, sou eu a Hevelyn! Aquela jovem que te servia assiduamente. Lembra de mim? Te vi fazer vários milagres em várias vidas. Mas, hoje sou eu eu que estou aqui e preciso de um milagre na minha vida, minha vida está por um fio, faz um novo na minha vida.”

Rezaram por mim depois disso. Chorei, chorei, chorei e me levantei com um novo ar, com uma nova vida. Sai do acampamento outra pessoa!

As sensações, os desejos desordenados continuaram, mas com o tempo e com a vida de oração foram passando. Hoje sou Shalom, sirvo em Santa Cruz e estarei servindo no Acamp’s de 2018.

 

Por: Hevely Castro


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Amiga Deus não desiste de nós, nos é que as vezes desistimos dele. Parabéns pela sua Perseverança, que o seu testemunho arrebate muitas vidas pra Jesus !!! É muito bom ver vc assim Feliz, conte sempre comigo pra o que vc precisar… Maranatá !!! Vem Senhor Jesus !!!