Formação

Imagens Evangélicas

comshalom

Dom Benedicto de Ulhôa Vieira

A Semana Santa passou. Nela a Igreja nos leva maternalmentea recordar os grandes acontecimentos do final da vida terrena de Jesus.Recordamos a última ceia em que Jesus, num gesto comovente de humildade, lava os pésempoeirados dos apóstolos. Nela – nesta ceia – é que o Senhor cumpre a promessade nos dar o pão do céu – a Eucaristia – promessa que havia feito após amultiplicação dos pães, como nos conta o Evangelho de João (cap. 6º).Acompanhamos a vitória esplendorosa do Senhor que ressuscita – como haviapredito – e se deixa tocar pelos que o viam a fim de não haver dúvida de queera de fato Ele mesmo. Lembramo-nos do desafio de Tomé (Jo 20, 24 ss) queduvidou, exigiu tocar nas chagas e acreditou.

Agora parece não ser supervacâneo recordar as belas imagens,que São João usa no Evangelho e que são ricas de significado. A primeira é aimagem da água, de que fala Jesus a Nicodemos, a qual nos faz renascer. Ela ésinal de vida. À samaritana, na beira do poço de Jacó, o Senhor promete dar-lheuma água que jorra para a vida eterna.

Mais tarde, para curar o cego de nascença, Jesus manda quevá lavar-se na piscina de Siloé. E na última ceia, usa água, como narra SãoJoão, para lavar os pés dos discípulos. O mesmo João nos descreve o peitoaberto de Jesus, depois de morto, jorrando sangue e água. A imagem da água érica de sentido.

Outra imagem, de que faz uso o Evangelista, é a do vinho.Foi em Caná da Galiléia que os cântaros de água se converteram em vinhogeneroso. Assim a festa dos noivos não sofreu a carência da bebida. Mas o maisbelo desta imagem do vinho é que na última ceia, o Senhor o transforma no seusangue.

Em outra passagem, João lembra a parábola da videira, quandoJesus diz ser Ele a videira verdadeira, que produz a uva que nos dá o vinho.São imagens do linguajar do Mestre, que São João nos transmite.

A terceira imagem do quarto Evangelho é a do pão. Após ojejum de Jesus, o demônio, tentando-o, quis que Ele transformasse as pedras em pão. Jesus de fato é opão da vida, que pedimos em primeiro lugar, ao rezar o Pai Nosso. Nem podemosnesta reflexão olvidar que os Evangelistas registraram, com minúcias, o fatomiraculoso da multiplicação dos pães para saciar milhares de pessoas, quehaviam seguido Jesus para ouvir sua palavra. De fato, o próprio Jesus diz serEle o pão da vida (Jo 6, 35) que sacia a fome da humanidade.

São estas três imagens – a água, o vinho e o pão – que oquarto Evangelho traz com frequência por ser a maneira do ensino do Mestre.Para o conhecimento aprofundado de Jesus e de sua palavra aconselho a magníficaobra do Papa Bento XVI “Jesus de Nazaré”.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *