Formação

Jejuar: um caminho para entregar a sua vontade à Deus

Nutricionista e Missionária da Comunidade de Aliança orienta como fazer o jejum às sextas-feiras.

comshalom

O jejum tem como finalidade nos levar a um equilíbrio necessário e ao desprendimento mais profundo das satisfações terrenas para tornar o coração livre e capaz de saborear as alegrias de um verdadeiro encontro com Deus. Ao jejuar, devemos concentrar-nos não só na abstenção do alimento ou das bebidas, mas também no significado mais profundo dessa prática.

Ele nos faz capazes de dizer “não” a nós mesmos, e nos abre aos valores mais nobres: a espiritualidade, a reflexão, a vontade consciente. Não é um fim em si mesmo, mas um “meio” que deve preparar o caminho para conquistas profundas. Por isso, não pode ser triste, mas uma atividade feliz que nos liberta.

Na Comunidade Católica Shalom ocorre a motivação a fazer jejum todas as sextas-feiras para mortificar a carne e vivificar o espírito. Neste dia, recomenda-se jejum a pão e água.

Orientações para o jejum

Pacientes celíacos podem consumir pães à base de arroz, grão de bico, por exemplo, pois fermentam menos, já que não podem consumir trigo devido ao glúten.

O consumo de pão e água ao mesmo tempo não é recomendado, pois a fermentação poderá ser ainda maior e provocar dores de cabeça.

É importante lembrar que todos os seres humanos devem ingerir diariamente em torno de 30ml a 35ml para cada kg corporal.

Pessoas hipertensas, diabéticas, idosos, gestantes, lactantes, portadores de doenças crônicas devem seguir a orientação médica ou nutricional quando pensarem em fazer ofertas e mortificações.

Aqueles que não podem fazer o jejum devido a alguma patologia podem fazer uma penitência. Por exemplo: no dia do jejum deixar de comer um alimento que goste muito e ofertar a Deus por amor a alguma intenção.

O intuito do jejum deve ser acompanhado de mudança de vida, de conversão, de arrependimento dos pecados e volta para Deus, pois caso não exista um sentido torna-se uma dieta.

Vale salientar que o jejum não deve ser visto como algo ruim, mas como uma fonte de grandes benefícios e graças como, por exemplo, o crescimento nas virtudes, o aumento da resiliência, a fortaleza no combate as tentações e um caminho de união e intimidade com Cristo, pois o jejum auxilia na docilidade do coração para entregar a sua vontade à Deus.

Kelly Falcão
Missionário da Comunidade de Aliança


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *