Formação

Mestre, o que devo fazer para ganhar a vida eterna?

comshalom

<!– /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; .0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman"; mso-ansi-language:PT;}@page Section1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:36.0pt; mso-footer-margin:36.0pt; mso-paper-source:0;}div.Section1 {page:Section1;}–>(Marcos 10,17-30)

Marcos é o evangelista que consegue nos escandalizar e nospegar de surpresa com perguntas “diretas” que também gostaríamos de fazer aJesus mas nem sempre temos coragem, porque não sabemos qual será a resposta.Jesus é imprevisível. O seu amor tem uma lógica diferente da nossa. Às vezesnós achamos que para seguir Jesus ou para termos a vida eterna é necessário fazer grandes coisas, esperamos“tempos novos e milagrosos” que nunca irão chegar. A vida espiritual e oseguimento de Jesus se constroem no dia a dia. 

O evangelista, com uma vivacidade de contador de casos, nosdiz que Jesus estava caminhando. Onde? Quando e como? São pormenores quegostaríamos de saber, mas o evangelho não é feito para satisfazer as nossasmesquinhas curiosidades. Alguém se aproximou de Jesus. Este texto é conhecidocomo o do “jovem rico”, mas na verdade nenhum dos evangelistas(Mt 19,16-30 e Lc18,18-30) nos diz que ele fosse jovem. Pode ser, mas também pode ser que seja já um homem feito, maduro, quedecepcionado da vida vai procurando soluções para suas angústias existenciais. 

Eu, pessoalmente penso que não era jovem mas adulto, com uma certa vida de riqueza, presoao seu poder e domínio, mas desejos de se libertar. Este jovem somos cada um denós que “corremos ao encontro de Jesus” e, provados pelas dificuldades e tristezas, “nos ajoelhamos diante dele”e lhe perguntamos: o que devemos fazer para possuir a vida eterna? Quem denós não anda em certos momentos da vidacom estas perguntas? Os místicos e entreeles João da Cruz, cheio de abandono e de confiança no Senhor, respondepacificando o nosso coração: “no entardecer da vida seremos julgados no amor!”

Jesus se maravilha deser chamado de “Bom Mestre” porque somente Deus é bom e somente Deus é também oMestre que desde o início da história humana tem caminhado conoscooferecendo-nos a beleza da lei, dos seus mandamentos. A cada dia preciso maisdos mandamentos de Deus: simples, poucos. Claro que qualquer pessoa, por pouco inteligente e inútil que seja, pode compreende-los. Ficomaravilhado como hoje, mesmo o Catecismo é para a maioria inacessível pelos seus “termos e pela sua linguageme conceitos”. Deus fala para se fazer compreender por todos os seus filhosamados.

Jesus, como bom mestre, não faz outra coisa que “relembrar”os mandamentos de Deus. É somente a vivência dos mandamentos de Deus que énecessário para entrar na posse da vida eterna, nada mais. Como é bonito isto,como Deus nos surpreende com seu amor e como é triste às vezes ver como em cimados frágeis ombros dos nômades eperegrinos que somos nós nos sãocolocados fardos pesados. Mas diante daafirmação deste nosso irmão sem nome,porque tem o nosso nome, que está vivendo desde sua infância os mandamentos deDeus, Jesus olha mais longe e lhe faz aproposta da perfeição.

Jesus olha com amor os que vivem os mandamentos de Deus epara eles e elas faz uma proposta especial, de amor, de entrega. Jesus nãoadmite a mediocridade, ele quer que nós sejamos generosos com ele. A propostade Jesus é desconcertante, exigente, corajosa e ousada: “só te falta umacoisa”. O que falta a este homem angustiado, desejoso de perfeição? Vendertudo, dá-lo aos pobres e depois, livre e sem mais receio, seguir Jesus comoautêntico mestre. O medo, o amor à riqueza faz recuar muitas vezes os que oSenhor chama. Os discípulos vêem que esta pessoa, diante da proposta de Jesus,porque era muito rica, se afasta. E o medo também entra no coração dosdiscípulos. Quem poderá salvar-se?Perguntam a Jesus. E ele responde: para Deus tudo é possível. Devemos confiarno amor de Cristo sem medo. Ele nos dará o cêntuplo aqui e a vida eterna se oseguirmos. Hoje celebramos a festa de Santa Teresa de Ávila e ela nos recorda:Ó Senhor meu, como nos aproveitamos mal de todos os bens que nos dais! VossaMajestade buscando modos, maneiras e artifícios para mostrar o amor que nostendes; nós, pouco experientes em amar-Vos!


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *