Sem Categoria

Missão: aventura que vale a pena!

Não há maior bem que a vontade de Deus, não há maior esperança do que a Paz completa em Cristo, Jesus. 

comshalom
Olá, pessoal! Chamo-me Leonardo Savir, tenho 26 anos, sou membro consagrado na Comunidade de Aliança aqui em Fortaleza, quer dizer, no mundo inteiro! (rs) E quero contar para vocês um pouco da minha experiência missionária em Parnaíba/PI, porque também, na verdade, a missão é a todo instante, aqui e agora, onde existir alguém que não conheça a Deus, não é?
Então,vamos lá! Mas,antes, quero apenas fazer um comentário que, as vezes, quando falamos de missão, envio, partida, falamos só do período em si, e aqui, irei dividir em três momentos, o antes, o durante e o depois, como estou hoje. Espero que me acompanhem até o final! (rs)
Primeiro, antes. Porém, para quem não me conhece, conto brevemente minha história até a partida em missão. Tive minha vida marcada no Acamp’s (acampamento para jovens) em janeiro de 2011, e lá um novo horizonte se abriu para mim, tinha-se derramado em meu coração todo amor do mundo, todo amor por mim dedicado – Jesus estava ali! De lá para cá, tudo tem sido, como diz Edith Stein, uma aventura, pois “responder ao chamado de Deus é sempre uma aventura, porém Deus merece este risco.”.
Como não ser grato por tamanho amor, não é? E a esse amor, todos precisavam conhecer. Existia uma apelo em meu coração, era necessário atendê-lo sem demora. Num mês de outubro como esse, contagiado pelo vida e história de Santa Teresinha, disse sim e junto à Comunidade, discernimos a vontade de Deus. E Ele foi claro, queria me inserir numa nova dinâmica do Seu amor, da Sua eleição em minha vida.
Parti em missão como Aliança Missionária, dispus meu tempo e esforços, coração, limites e fraquezas para a glória de Deus. Era tempo também de fechar aspectos vocacionais. E hoje, é visível, o Senhor me quer aqui, seguindo ao Seu filho, Jesus, em meio à vivência familiar e às atividades profissionais, assumindo o compromisso de vivê-las segundo a vocação Shalom que me foi dada por misericórdia unicamente.
Eram desejos meus também, antes de partir, principalmente, crescer como pessoa, em maturidade humana, e não cair em vaidades e enganos, achar que viveria um passeio, um intercâmbio cultural, um turismo. Rezei e ouvi, dei um passo de fé e fui, seguro que Deus cumpriria Sua promessas.
Durante a vivência já em missão, em Parnaíba/PI, pude entender e viver um pouco do que seria realmente missionariedade, ser igreja, ser shalom, no serviço, no se doar, no estar, no anunciar, no precisar, no viver, no morrer. “Porque há maior alegria em dar do que em receber” (At 20,35).
Lá também, tive a enorme graça de conhecer e conviver com as pessoas dos bispos, pastores da igreja local, de incríveis e inspiradoras histórias de vida. Ensinaram-me muito! Com eles, aprendi que os mandatos do Senhor são exigências de amor.
De inúmeras atividades participei na Comunidade e fora dela, e sabe por que? Porque inúmeras eram as necessidades daquele povo e minha. Não me opunha a nada, ainda mais quando lembrava e contemplava o que Cristo foi capaz por mim e por você. Limpei banheiros, auxiliei na cozinha, capinei, pintei paredes, viajei, dirigi, preguei, coordenei grupos, evangelizei porta-a-porta, tirei fotos, dei aulas, e etc. (rs) Ele merece toda honra e glória, não é? Só sei de uma coisa: fui salvo, salvo de falsos valores, de todo egoísmo e desesperança, salvo do passageiro, salvo de mim! Bendito seja Deus.
Queria partilhar um pouco também dos aspectos da vida comum, Shalom, e pobre. É um medo da maioria, e era meu também, não sabia se conseguiria passar por tudo isso. E eu te digo: eu, você, nós não conseguimos mesmo, é a graça em nós. Acredite! Parnaíba não precisava de mim, era eu que precisava dela. E foi aí que tudo ganhou um novo sentido e razão para prosseguir. Intensa é a nossa vida em comunidade, forte é também o autoconhecimento em meio a fraternidade e situações da vida partilhada e dedicada ao Evangelho e missão. Xô, crises e desânimos (e eu os tive)! Lá e hoje! Não há maior bem que a vontade de Deus, não há maior esperança do que a Paz completa em Cristo, Jesus.
Na vida de pobreza e partilha, escolher a Deus, por primeiro, o irmão, em segundo, e a mim, em terceiro, era a minha felicidade. Quando não obedeci a essa santaordem, não vivia o que tinha de viver bem, não passava por todos os processos que precisava passar para crescer, para ser santo. E eu, no fundo, no fundo, não queria fugir à lógica divina – Ele sempre sabe o que é melhor para nós. Eu confiei e hoje, estou aqui contando Seus feitos para você!
Um ponto importante também foi me consagrar fora de Fortaleza, minha cidade-natal, pois, na verdade, ao longo do tempo, entendia que minha oferta de vida não era e nunca será para mim mesmo, usufruto próprio, bem-estar, status, mas para os outros, a humanidade inteira, aqueles que não conhecem a Deus.
Sabe uma das coisas mais legais também? A vida de oração, de amizade e caminho de paz com o Senhor, os santos, a Igreja e a Comunidade. Na Comunidade de Vida, temos manhãs reservadas para o silêncio e contemplação e tardes/noites de oração comunitária. Nelas, vivi experiências únicas. Tudo me seduzia, me atraia, me convencia a estar com Ele ali, no Santíssimo Sacramento, no sacrário – Ele tinha sede, me chamava, todavia, era eu o mais necessitado, eu que o deveria pedir: “Senhor, dai-me de beber!” (ver João 19,28)
Por fim, durante todo meu período lá, tive meu coração enlarguecido e despertado para a urgência do anúncio. 
 
Digo a você, que leu até aqui (rs), não foi preciso esperar nenhuma condição para partir, como se eu quisesse estar pronto e mais capacitado para a nobre tarefa, não, não foi preciso – a única coisa necessária foi deixar, largar todo comodismo e inércia, meu próprio umbigo, e dar um passo de fé, abrir o coração. Se o mal, o mundo, você mesmo diz “aqui,agora, não é nada disso, é besteira”, eu digo “espera, reza, confia, é tesouro, é bem”, mas quem sou eu, não é? Sou apenas um miserável alcançado pela misericórdia, inquieto por fazer o Shalom do Pai, Jesus, conhecido e amado por todos, porque é por esses, por nós que Ele veio.

Hoje, de volta à Fortaleza, tenho consciência que de a missão começa agora, na verdade. É claro em tudo e em todos, a prova do amor e da fidelidade de Deus na minha vida. Continuo a confiar e aceitar Seus convites… Tenho uma nova Fortaleza à minha frente…

Vamos lá comigo? Vamos nessa aventura de amor? Tem coragem?
 
Vale a pena! Vale o céu, seu e meu, querido irmão e querida irmã!
Shalom!
Leonardo Savir Aranha
CA, Fortaleza/CE
@leosavir
 
*aproveito para agradecer toda atenção a Comunidade, no seu setor de Assistência Missionária e missão de Parnaíba/PI, também aos meus formadores e irmãos, além da namorada e da família no apoio dessa aventura marcada na minha vida para sempre

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Parabéns, Léo! LINDO TESTEMUNHO!
    Poste no grupo dos FPs do Colégio para edificar aos irmãos, fazê-los desejar ir em missão, beber dessa grande graça que é dar sempre SIM para que mais irmãos abracem e bebam da divina graça.
    Deus o abençoe com esse sim fecundo
    que gera frutos de santidade.
    SHALOM PARA SEMPRE!

  2. Léo , querido pastor obrigada por sua oferta de vida aqui em nossa missão de Parnaiba!! Sou fruto também de sua doação em nosso grupo Rahamin! Saudades! Shalom!