Formação

Mistério que está dentro de nós

comshalom

Osencontros de nossas comunidades e nossas orações em geral são iniciadoscom o sinal da cruz, proclamando “em nome do Pai, do Filho e doEspírito Santo”.

Recordamoso amor do Pai celeste pelas criaturas humanas, o dom da graça que Jesusnos fez tornando-nos seus irmãos, e a comunhão com Deus que é realizadapelo Espírito Santo operada em nós. Pedimos ao Senhor que nos ajude,que seu mistério se renove sempre em nós.

Festejamosaniversários, especialmente de nascimento. Um dia, nascemos para a vidacristã: com o rito do batismo nos tornamos filhos de Deus. Porém quasenunca o festejamos. Nesse dia aconteceu um fato extraordinário, alguémrealizou o mandamento que Jesus tinha dado aos apóstolos: “Ide por todoo mundo, ensinai a todas as gentes e batizai-as ‘em nome do Pai e doFilho e do Espírito Santo’ ”.

Naqueledia o mistério da Trindade, escondido em Deus desde sempre, deitou raizprofunda em nosso coração, Deus tomou posse de nós de modo especial.

Pertencíamosjá a Deus, porque todas as criaturas lhe pertencem, como recorda oapóstolo Paulo: “Nele vivemos, nos movemos e somos”. Mas naquele dia,nascemos para a vida da graça; o Pai, o Filho e o Espírito Santotomaram posse de nosso coração e nos fizeram fortes na fé.

AIgreja nos propõe hoje meditar o mistério da Trindade. Não uma verdadeabstrata, confinada nas nuvens ou nos grossos volumes das bibliotecas,mas profunda, íntima a nós mesmos. Uma realidade que carregamos dentro.Trata-se porém de um mistério, e o que se pode dizer de um mistério?Quem o compreende? Não devemos admirar-nos tanto; nossa vida sedesenrola normalmente em meio a tantos mistérios.

Émisteriosa até a corrente elétrica. Nem mesmo os cientistascompreenderam até agora o que é a eletricidade; não é surpresacompreender em profundidade o mistério de Deus.

Sobrea Trindade, aprendemos no catecismo: em Deus existem três pessoas emuma só natureza. Não é fácil nem mesmo para os grandes cérebros,acostumar-se com o mistério insondável de Deus.

Existemoutras perguntas. Por exemplo: como sabemos que em Deus existem trêspessoas? Com que raciocínios abstratos, pesquisas, os teólogos chegarama essa conclusão. A resposta é simples: sabemos porque Jesus nos disse.Os apóstolos creram em Jesus. Os evangelistas escreveram. A Igrejacontinua a anunciar. O fato é este: Jesus anunciou aos homens o Pai eseu amor por nós; apresentou a si mesmo como Filho; prometeu e depoisenviou aos apóstolos o Espírito Santo que opera sem cessar nasconsciências e na Igreja. E Jesus, como no evangelho de Mateus 28,16-20, mandou os apóstolos ir por todo o mundo a ensinar a boa notíciae a batizar em nome do Pai, Filho e Espírito Santo.

Temosestes pontos firmemente. Outra luz se acende se consideramos que Deus éamor. Esta é a insuperável definição de Deus dada pelo apóstolo João.Porque Deus é amor, o mistério trinitário é um mistério de amor. Existeum Pai, existe um Filho. São termos da família humana. João Paulo II emum discurso expôs esta idéia singular: “Deus não é uma solidão, é umafamília”.

Usamoslinguagem humana que sabemos imperfeita, o que quer dizer: Deus Pai amao Filho, e por sua vez é amado pelo Filho. Esta dupla corrente de amor,em Deus, se faz concreta, real, torna-se pessoa: o Espírito Santo. OEspírito Santo, dizem os teólogos que refletiram sobre o Evangelho, é oamor recíproco do Pai e do Filho, feito pessoa.

Quandosentimos um impulso para o bem, é ele que nos fala e nos assiste.Quando fazemos alguma coisa de bom é a força de Deus que opera em nós.

Afesta de Pentecostes, que vivemos na semana passada, nos ensine a sermais atentos ao Espírito de Jesus que quer operar os seus prodígiostambém em nós e por meio de nós. Assim poderemos testemunhar oevangelho hoje e sempre.

Nósrezamos na liturgia: “Ó Pai, com vosso Filho e o Espírito Santo sois umsó Deus e um só Senhor. Não uma única pessoa, mas três pessoas num sóDeus. Tudo o que revelastes, e nós cremos a respeito de vossa glória,atribuímos igualmente ao Filho e ao Espírito Santo. E proclamando quesois o Deus verdadeiro, adoramos cada uma das pessoas, da mesmanatureza e igual majestade”.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *