Formação

Na confissão, por meio do sacerdote, Jesus nos perdoa

comshalom

<!– /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman";}@page Section1 {size:595.3pt 841.9pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;}div.Section1 {page:Section1;}–>

INTRODUÇÃO:

 

Uma das páginas mais comovedoras do Evangelho é a parábolado filho pródigo, que retrata a conduta de um filho ingrato para com seu pai.Eram dois irmãos e o menor decide abandonar a casa; depois de pedir sua partena herança, foi-se embora para um país longínquo onde gastou tudo, levando umavida má. Então, teve que por-se a cuidar de porcos para poder viver, até que umdia sentiu vergonha de sua situação e decidiu voltar para casa, e pedir perdãoa seu pai: "Pai, pequei contra o céu e contra ti" (Lucas 15,18). Opai, que o esperava, quando viu que se aproximava, saiu a seu encontro,abraçou-o e o beijou. E foi tão grande sua alegria que ordenou aos criados quepreparassem um banquete e uma grande festa para celebrar a volta do filho maisnovo.

 

Esta parábola pode nos ajudar a entender o sacramento daPenitência, que é o sacramento da misericórdia de Deus.

 

IDÉIAS PRINCIPAIS:

 

1. Os sacramentos de cura.

 

Estudamos os sacramentos da iniciação cristã: o Batismo, aConfirmação e a Eucaristia, que outorgam a vida nova em Cristo. Mas, apesar detantas graças, o ser humano é débil, pode pecar e carrega consigo as misériasdo pecado.

 

Cristo quis que na Igreja existisse um remédio para estasnecessidades, e nós podemos encontra-lo nos sacramentos da Penitência e daUnção dos Enfermos, chamados sacramentos de cura, porque curam a debilidade eperdoam os pecados.

 

2. Para salvar-se, é preciso que nos arrependamos dospecados

 

Não existe possibilidade de salvação sem o arrependimentodos pecados, que é absolutamente necessário para aquele que ofendeu a Deus. É oque nos diz Nosso Senhor Jesus Cristo: "Se não fizerdes penitência, todos,igualmente, perecereis" (Lucas 13,3).

 

Antes da vinda de Jesus Cristo, a humanidade não tinhanenhuma segurança de poder ter obtido o perdão de seus pecados. A segurançafoi-nos trazida por Jesus, que pode dizer: "Teus pecados te sãoperdoados" (Mateus 9,2).

 

3. Ainstituição do sacramento da Penitência, para o perdão dos pecados

 

Na tarde do domingo da Ressurreição, Jesus Cristo instituiuo sacramento da Penitência, ao dizer a seus discípulos: "Recebei o EspíritoSanto; aqueles a quem lhes perdoardes os pecados, lhes serão perdoados; aquelesa quem os retiverdes, lhes serão retidos" (João 20,22-23). Instituiu estesacramento como um juízo, mas juízo de misericórdia, para que os Apóstolos eseus legítimos sucessores pudessem perdoar os pecados.

 

"Olha que entranha de misericórdia tem a justiça deDeus! – Porque nos juízos humanos, se castiga aquele que confessa sua culpa: eno divino, se perdoa.

 

Bendito seja o santo Sacramento da Penitência!"(Caminho, 309).

 

Este sacramento é denominado também sacramento da conversão,da reconciliação, ou confissão.

 

4. É o mesmo Jesus Cristo, por meio do sacerdote, quemabsolve

 

Só os sacerdotes – com potestade de ordem e a faculdade deexerce-la – que podem perdoar os pecados, pois Jesus Cristo deu o poder só aeles. Não se obtém o perdão, portanto, dizendo os pecados a um amigo, oudiretamente a Deus. Além disso, no momento da absolvição é Cristo mesmo quemabsolve e perdoa os pecados por meio do sacerdote, já que o pecado é ofensa aDeus e só Deus pode perdoa-lo. O sacerdote deve guardar – sob obrigaçãogravíssima – o sigilo sacramental.

 

5. Efeitos deste sacramento

 

Os efeitos deste sacramento são realmente maravilhosos:

 

* a reconciliação com Deus, perdoando o pecado para recuperara graça santificante;

 

* a reconciliaçãocom a Igreja;

 

* a remissão da penaeterna contraída pelos pecados mortais e das penas temporais -ao menos em parte- segundo as disposições;

 

* a paz e aserenidade de consciência, com um profundo consolo do espírito;

 

* os auxíliosespirituais para o combate cristão, evitando as recaídas no pecado.

 

6. Necessidade da Penitência

 

O sacramento da Penitência é completamente necessário paraaqueles que, depois do batismo, cometeram pecado mortal. A Igreja ensina queexiste a obrigação de confessar os pecados mortais ao menos uma vez por ano, emperigo de morte e quando se for comungar.

 

Mas uma coisa é a obrigação e outra muito diferente é aquiloque convém fazer quando se quer que aumente nosso amor a Deus. Não existe aobrigação, por exemplo, de se beijar nossa mãe, nem a de cumprimentar nossosamigos, nem de comer todos os dias…, mas qualquer pessoa normal faz estascoisas. Se quisermos progredir no amor a Deus, devemos nos confessarfreqüentemente, e nos confessar bem.

 

7. Conveniência da confissão freqüente

 

A Igreja recomenda vivamente a prática da confissãofreqüente, não só dos pecados mortais – que devem ser confessados imediatamente- mas também dos pecados veniais. Desta maneira, aumenta-se o conhecimento desi mesmo; cresce-se na humildade; desenraizam-se os maus costumes; faz-sefrente à tibieza e à preguiça espiritual; purifica-se e se forma a própriaconsciência; ajuda-se a crescer na vida interior, e aumenta a graça em virtudedo sacramento. Para crescer no amor a Deus é muito conveniente ter em muitaestima a confissão: confessar-se com freqüência e bem.

 

8. PROPÓSITOS DE VIDA CRISTÃ:

 

* Devemos mostrarum grande amor e estima ao sacramento da Penitência.

* Fazer o propósitode recebe-lo com freqüência e bem preparados.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *