Institucional

Vocação: Na dúvida?! Cave um pouco mais!

Muitas vezes em meio às lutas pensamos em desistir da vocação, da missão, do vocacional, enfim daquilo para que um dia, com tanta convicção, demos nosso sim. Acontece com todo mundo… vem aquele desânimo, alguma decepção e de repente estamos questionando: “será que aqui é realmente o meu lugar? Será que esta é a Vontade de Deus?” E, então, a pergunta que não cala: “O que fazer diante disso?” Minha sugestão é: Cave, cave um pouco mais!

A esta hora você deve estar se perguntando o que tem a ver a sua dúvida com cavar; Cavar o quê? Então, vamos lá, vou te explicar. “O Reino dos Céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo” (Mt 13, 44). Não podemos nos enganar achando que foi fácil para este homem encontrar o tesouro… e tenho um segredo pra te contar: foi preciso cavar!

Podemos achar que, em um passe de mágica, o homem encontrou o tesouro, mas precisamos ver nas entrelinhas. Esse homem procurava algo precioso, mesmo que não soubesse que era aquele tesouro, ele estava procurando algo. Assim, acontece conosco, estamos constantemente à procura de um tesouro, um tesouro que nos faça mais plenos, mais felizes, e este tesouro tem um nome: Vontade de Deus. Como dizia Santo Agostinho, “o nosso coração inquieto estará enquanto não repousar em Deus”.

Estamos constantemente em busca, talvez até mesmo sem saber, estamos buscando, procurando algo, alguém por quem valha a pena deixar tudo. Quando experimentamos de Deus, então nos realizamos, nos sentimos apaixonados por um Amor que é muito maior que nós e então dizemos: “Sim! Eu desejo! Eu quero! Eu vou!” Mas, diante de nossas fraquezas e desafios, queremos ter de volta as nossas antigas seguranças. Medo, angústia, desânimo, frustação… Parece que tudo concorre para tomarmos essa decisão.

Nossa paixão parece ter esfriado, os irmãos nos parecem cada vez mais fracos, as estruturas parecem ruir, nossas ilusões começam a cair e, de repente, nos vemos não mais no campo do Tesouro, mas em um deserto cheio de incertezas. Então, o que fazer? É tempo de recomeçar! Sim, mas não com velhos planos e soluções próprias, é tempo de aproveitar o deserto e deixar que no silêncio Deus fale. “Por isso a atrairei, a conduzirei ao deserto e lhe falarei ao coração”(Os 2,16).

Estar no deserto não significa que tudo acabou, significa que preciso cavar um pouco mais. Significa que Deus quer me falar de um modo novo, o deserto é o lugar da intimidade, é para lá que o Senhor nos conduz, porque lá só temos a Ele. Então pare, respire, silencie. Pare de correr, respire a presença d’Ele, silencie e deixe que Ele te fale. Por palavras ou pelo silêncio, deixa que Ele te fale! E então verás que o deserto e o campo são um só lugar, que o Tesouro continua lá, que a voz d’Ele não muda, pois ‘permanece fiel quando somos infiéis’ (cf.2Tm2, 13b). E então verás que a Vontade d’Ele não muda e que, se permitires, será capaz de, pela Misericórdia, sustentar-te Aquele que por Misericórdia te elegeu. Então, deixa tudo e cava um pouco mais para reencontrar este Tesouro que se chama Vontade de Deus, pois “onde está o teu tesouro aí também está o teu coração” (Mt 6, 21).

 

Thalita


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *