Institucional

Namoro santo? É possível!

Namorar é muito bom, saímos daquilo que chamamos de EU para se importar com o TU e juntos formamos o NÓS! Mas o NÓS só é possível com a presença de DEUS, sim ele mesmo, há um segredo nisso tudo, é um convite que o próprio Deus nos faz para conhecer e explorar esse caminho.
Ao longo desses anos todos, no namoro muitas vezes me questionei como duas pessoas completamente diferentes podem se amar tanto?! A resposta é simples, se elas fossem iguais não suportariam se quer um instante, como imãs com pólos iguais que se repelem, se afastam.
O imã é uma figura engraçada são denominados como corpos de materiais ferromagnéticos que têm a capacidade de atrair outros materiais ferromagnéticos, são classificados como dipolos, ou seja, tem dois pólos. Esses dois pólos sendo diferentes conseguem se atrair e quando esses pólos são iguais eles se afastam.
Na verdade, o namoro voltado para si é apenas um dos pólos do imã que se repele, se afastam de Deus e da Santidade, são tão iguais que rejeitam a forma perfeita do AMOR.
A busca incessante pela perfeição ou a procura pela pessoa perfeita cada vez mais cresce. Professor Felipe Aquino retrata muito bem o tempo de hoje: “Infelizmente a nossa sociedade trocou a “cultura da alma” pela “cultura do corpo”. A prova disso é que nunca como hoje as cidades estão tão repletas de academias de ginástica, salões de beleza, cosméticos, cirurgias plásticas, etc…Investe-se ao máximo naquilo que é a mais inferior na dimensão do ser humano – embora importante -o corpo. É claro que todas as moças querem namorar um rapaz bonito, e também o contrário, mas nunca se esqueça que o mais importante é “invisível aos olhos”. O que é visível desaparece um dia, inexoravelmente ficará velho com o passar do tempo. Aquilo que você não vê: o caráter da pessoa, a sua simpatia que se mostra sempre atrás de um sorriso fácil e gratuito, o seu coração bom, a sua tolerância com os erros dos outros, as suas boas atitudes, etc., isto não passa, isto o tempo não pode destruir. É o que vale.”
O que vale realmente é invisível aos nossos olhos e o namoro é o tempo de descobrir não classificando apenas como qualidades da pessoa, mas sim aquilo que ela tem e poderá me ensinar através do amor, aquilo que completará o que falta em mim.O amor espera, não avança os sinais, não é egoísta a ponto de o outro fazer só o que me satisfaça, não é invejoso, não segue os padrões do mundo apenas por medo de ser rejeitado. O amor espera o tempo certo, o amor ordena as paixões desordenadas, mesmo quando percebemos que realmente é aquela pessoa que vamos passar o resto da vida juntos o amor ajuda a resguardar o segredo da nossa alma respeitando os limites do nosso corpo não transforma em algo banal o sexo, mas ajuda e direciona para o tempo certo.
Não é impossível viver todas essas coisas, o namoro é uma aposta certa para viver a santidade aqui na terra, aprendemos a ser Cristo na vida de quem amamos, nos responsabilizamos pela santidade do outro, sem ter isso como um fardo apenas o AMOR.

 

Carol Nascimento, Discípula da Comunidade de Aliança.

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *