Formação

Nascimento de Maria

 “O teu nascimento, Virgem mãe de Deus, anunciou a alegria ao mundo inteiro; de ti nasceu o sol da justiça, Cristo nosso Deus; ele afastou a condenação e trouxe a graça, venceu a morte e nos deu a vida” (Antífona do Benedictus– Festa da Natividade da B. A. Virgem Maria)..

      A relação que existe entre a natividade de Nossa Senhora está relacionada com o mistério de Cristo com o tema Cristo-Luz, já que “as realidades cristãs ficam escondidas como uma camada de neblina”, para aqueles que não situam-se no mistério pascal como centro da sua existência, e que Jungmann compara à “nova criação, invadida pela luz brilhante da manhã de páscoa”. Ora, se Cristo ´tido como luz verdadeira, “Cristo é o Sol de justiça, Maria assim é a aurora, a estrela que precede o sol, ponto de partida, o seio da encarnação divina”.

       Dessa forma podemos dizer que a maternidade de Maria assinalou o início da nossa salvação!

      “Assim como a primeira Eva foi tirada do lado de Adão, toda irradiante de vida e de inocência, também Maria, esplêndida e imaculada, saiu do coração do Verbo eterno, que, por obra do Espírito Santo, como ensina a liturgia, quis ele próprio modelar aquele corpo e aquela alma que deveriam um dia servir-lhe de tabernáculo e altar. Esse é, portanto, o significado sublime da Natividade de Maria. Ela é a aurora que anuncia o dia que já vem surgindo por detrás das colinas eternas; é o místico rebento que surge da veneranda raiz de Jessé; é o rio novo que brotas do paraíso e que se dispõe a irrigar o mundo inteiro, é o véu simbólico que foi estendido sobre o solo árido da nossa terra para recolher o prodigioso orvalho; é a nova Eva, isto é, a vida  e a Mãe dos viventes, que nasce para aqueles que tiveram Eva como mãe do pecado e da morte” (Hidelfonso Schuster).

      Tomando as Leituras Litúrgicas, podemos destacar três pontos: Maria é a Virgem que conceberá (Mq 5, 2-5); Maria é a Mãe do Homem novo (Rm 8, 28-30); e José, esposo de Maria da qual nasceu Jesus chamado Cristo (Mt 1, 1-16. 18-23).

      “É justamente aí que se insere o papel da menina cuja natividade celebramos: ela é a virgem, destinada por Deus a ser a mãe e a colaboradora válida e valiosa do salvador. É por isso que, ao aproximar-se do seu berço, a igreja pede como graça suprema o dom da unidade e da paz: Dá-nos senhor, os tesouros da tua misericórdia, e, já que a maternidade da Virgem Maria assinalou o começo da nossa salvação, concede que a festa da sua natividade nos faça crescer na unidade e na paz” (Dicionário de Mariologia). 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *