Formação

Novos Movimentos, “resposta providencial do Espírito Santo”, segu

comshalom

João Paulo II afirmou na vigília de Pentecostes presidida no sábado que antecedeu pentecostes que os novos movimentos e comunidades eclesiais são uma “resposta providencial” do Espírito Santo para a Igreja.

O encontro, do qual participaram cerca de 15 mil peregrinos, havia sido convocado pelo pontífice no domingo anterior para testemunhar na véspera de Pentecostes a variedade de carismas próprios da Igreja.

A idéia do Papa, como ele mesmo testemunhou, era a de renovar a experiência que a Igreja viveu no Pentecostes de 1998, quando pela primeira vez na história reuniram-se na mesma praça representantes dessas novas realidades eclesiais em torno do bispo de Roma e dos bispos de todo o mundo.

“Foi uma manifestação extraordinária da unidade da Igreja, na riqueza e variedade dos carismas, que o Espírito Santo infunde em abundância”, recordou o Santo Padre em meio às bandeiras vermelhas agitadas pelos espectadores.

“Repito com força o que disse naquela ocasião: os movimentos eclesiais e as novas comunidades são uma resposta providencial, suscitada pelo Espírito Santo diante da necessidade atual de nova evangelização”, afirmou na homilia das Vésperas solenes.

Esta necessita de “personalidades cristãs maduras e comunidades cristãs vivas”, afirmou o pontífice em uma celebração animada pela Renovação Carismática italiana.

O Santo Padre enviou, desta forma, uma saudação particular aos membros da renovação no Espírito, que na Itália congrega mais de 200 mil pessoas em cerca de 1.800 comunidades e grupos de oração.

“Graças ao movimento carismático, muitos cristãos, homens e mulheres, jovens e adultos, redescobriram Pentecostes como realidade viva e presente em sua existência cotidiana”, constatou o pontífice.

“Desejo que a espiritualidade de Pentecostes se difunda na Igreja, como impulso renovado de oração, de santidade, de comunhão e de anúncio”, indicou.

Por este motivo, alentou a iniciativa denominada “Sarça ardente”, promovida pela Renovação no Espírito, que como ele ilustrou, é “uma adoração incessante, dia e noite, ante o Santíssimo Sacramento; um convite aos fiéis a “regressar ao Cenáculo”.

Seu objetivo, sublinhou, é que os batizados, “unidos na contemplação do Ministério eucarístico, intercedam pela unidade plena dos cristãos e pela conversão dos pecadores”.

“Desejo de coração que esta iniciativa leve muitos a redescobrir os dons do Espírito, que em Pentecostes têm seu manancial”, confessou.

“Entre nós, com as mãos elevadas, está orando a Virgem, Mãe de Cristo e da Igreja –concluiu o Santo Padre–. Imploremos junto a ela e acolhamos o dom do Espírito Santo, luz de verdade, força de autêntica paz”.

A Renovação Carismática Católica (RCC) surgiu em 1967 quando alguns estudantes da Universidade de Duquesne (Pittsburgh, Pennsylvania – Estados Unidos) participaram de um retiro durante o qual experimentaram a efusão do Espírito Santo e a manifestação de alguns dons carismáticos.

Atualmente, mais de cem milhões de católicos participam da espiritualidade da RCC. Há um Conselho Internacional (ICCRS – International Catholic Charismatic Renewal Services) reconhecido pelo Conselho Pontifício para os Leigos.

Fonte: Zenit.org


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *