Formação

O Deus dos vivos

José Ricardo F. Bezerra
Consagrado na Comunidade de Aliança Shalom

“Então, foram até ele alguns saduceus – os quais dizem não existir ressurreição – e o interrogaram: ‘Mestre, Moisés deixou-nos escrito que se alguém tiver irmão que morra deixando mulher sem filhos, tomará ele a viúva e suscitará descendência para o seu irmão. Havia sete irmãos. O primeiro tomou mulher, e morreu sem deixar descendência. O segundo tomou-a e morreu sem deixar descendência. E o mesmo sucedeu ao terceiro. E os sete não deixaram descendência. Depois de todos, também a mulher morreu. Quando ressuscitarem, de qual deles será a mulher? Pois que os sete a tiveram por mulher’.”
O método da Lectio Divina consiste em quatro passos que, se forem dados com o zelo e o amor que a Palavra de Deus merece, ajudam-nos muito a conhecê-la e aplicá-la no nosso dia-a-dia. Esses passos são: leitura, meditação, oração e contemplação.
A Palavra de Deus tem um valor extraordinário. No entanto, ela pode tornar-se até causa de extravios da sã doutrina, se não observarmos os cuidados necessários para bem entendê-la. O primeiro é nunca tomá-la isolada do contexto ou apenas uma frase solta. Desde os tempos de Jesus até os dias de hoje, alguns tomam trechos das Escrituras para justificar pensamentos e ações contrários à vontade de Deus.
Outro cuidado importante é com a tradução dos termos e de “hebraísmos” utilizados por Jesus ou pelos autores sagrados. Para isso, são tão importantes as notas de rodapé que nos explicam a tradução proposta e apresentam variantes dos manuscritos existentes.
Um terceiro ponto importante é pedir ao Espírito Santo, o mesmo que inspirou a Palavra escrita, que nos revele o sentido e a aplicação da Palavra na vida. Também devemos submetê-la à autoridade do Magistério da Igreja, que tem preservado tanto a Palavra escrita (Bíblia) quanto a Tradição, pois, antes de ser escrita, ela foi proclamada oralmente e transmitida de geração a geração, de comunidade para comunidade, através dos apóstolos e de seus sucessores.
Tomemos como exemplo o trecho sobre a dúvida dos saduceus quanto à ressurreição dos mortos. Leia quatro vezes Mc 12,18-27.
Os saduceus, como o próprio texto diz, não acreditavam na doutrina da ressurreição dos mortos. Dos livros bíblicos, só aceitavam o Pentateuco – a Torá, deixada por Moisés. Para justificar seus pensamentos, propuseram a Jesus, não sem certa ironia, uma situação hipotética baseada em ordens de Moisés. Para a pergunta conclusiva, bastaria apresentar o caso, relativamente comum entre os judeus, de um cunhado casar-se com a viúva do irmão para suscitar sua descendência. Quando morressem todos, de quem ela seria mulher: do primeiro ou do segundo? Os saduceus ampliam para sete maridos, todos sem filhos.
A resposta de Jesus nos questiona sobre nossas atitudes diante da religião ou de pontos da doutrina ou da fé. Ele diz: “Não é por isso que errais, desconhecendo tanto as Escrituras quanto o poder de Deus?” (v. 24). E passa a explicar, a partir da passagem da sarça ardente, que Deus é Deus de vivos e não de mortos. Um Deus vivo de vivos, na eternidade, após esta vida terrena. E que lá no céu não haverá necessidade de casamentos, pois todos seremos como os anjos de Deus, a servi-lo e louvá-lo.
Desconhecer as Escrituras é desconhecer o próprio Deus. Também, pouco adianta saber as Escrituras se não aceitamos o poder de Deus, a sua graça que transforma corações de pedra em corações de carne, sensíveis aos apelos de conversão. Bastou neste caso uma passagem bíblica para comprovar que Deus está vivo e os que morrem, sendo justos, estão com Ele na eternidade.
Confrontando a Palavra com sua vida: Você teria outras passagens bíblicas para justificar o argumento de Jesus? Você conhece as Escrituras, procura diariamente reservar um tempo para o seu estudo? Você crê no poder de Deus? Pede ao Espírito Santo – que renova todas as coisas, que é Pai das luzes – ajuda para entender a Palavra?
Com essas meditações, inicie sua oração, livremente, com toda confiança de um filho diante do pai. Peça ao Senhor que aumente seu amor à Palavra. Louve-o e bendiga-o por todas as vezes em que ela o ajudou concretamente, respondendo suas dúvidas e questionamentos. Sinta-se livre, no Espírito, para deixar-se conduzir por Ele até o céu, à presença do Deus vivo, junto com seus anjos e santos. O céu pode começar aqui, no seu coração, pois é o lugar onde habita Deus.
Anote os rhemas e moções desta Lectio e partilhe no seu grupo ou Comunidade. Escreva para nós dando seu testemunho. Isso é muito importante para aumentar nossa fé e a dos irmãos. Shalom!


Comentários

[fbcomments]

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *