Formação

O mistério de Deus encontrou a liberdade de Maria

Maria é a mestra das “guerras interiores silenciosas”, aquelas entre a vontade humana e o plano de Deus.

comshalom

No dia 08 de dezembro a Igreja celebra o dogma da Imaculada Conceição; definido pelo papa Pio IX através da bula ineffabilis em 1854. A fé católica nos ensina que Maria no momento de sua concepção recebeu de Deus a graça preservativa, ou seja, a graça de preservação contra todo pecado.

Todo o resto da humanidade recebeu a graça liberativa do pecado em razão dos méritos de Jesus. Maria é “conceição” porque recebeu sua existência de Deus, foi concebida imaculada pelo criador, isto é, sem mancha do pecado original.

Quem é Maria?

Esta é uma pergunta convidativa e a sua resposta nasce de uma experiência pessoal com Maria e/ou pela experiência de contemplar Maria pelos olhos de Deus. Vamos contemplar o que a palavra de Deus nos revela sobre Maria, o que Deus pensa de Maria. Em Isaías 7,14 -15 e Mt 1,23 diz assim:

“…a virgem ficará grávida e darás à luz a um filho e lhe porá o nome de Emanuel”. A profecia proferida por Acaz por ordem de Deus revela o plano de salvação e também o como, a forma que Deus escolhe para manifestar sua ação misericordiosa.

Deus desafia a inteligência humana ao revelar que uma virgem dará à luz, porém Deus convida o povo a fé. Para a inteligência humana impossível uma virgem ficar grávida, e naquele momento histórico então… sem progresso cientifico… duplamente impossível.

Eis o mistério da magnanimidade da dilatação do coração de Deus, através do seu plano de salvação que se inicia por Maria. Somente pelos olhos da fé é possível mergulhar e contemplar o cuidado do Pai Misericordioso com o plano de salvação. Maria é separada, escolhida, preparada por Deus para trazer ao mundo o salvador. É o mistério de Deus e da liberdade humana de Maria.

Agora nas palavras do anjo Gabriel em Lucas1 no versículo 28 nos é revelado quem é Maria para Deus: “Ave Maria (Alegra-te) cheia de graça o senhor é convosco”.

A saudação do Anjo revela que Maria é cheia de graça porque o senhor está com ela. A graça com que ela é cumulada é a presença daquele que é a fonte de toda a graça. Esse consentimento dado na fé por ocasião da anunciação (mãe de Deus) e mantido sem hesitação sob a cruz (mãe da humanidade).

Jesus o único mediador, é o caminho de nossa oração; Maria, sua mãe e nossa mãe, é pura transparência dele. A missão da Imaculada Conceição então se inicia no seu sim na anunciação e se consuma aos pés da cruz quando Jesus crucificado revela a Maria que também será mãe para a humanidade! Sim, Jesus nos deixa a maternidade de Maria como via para alcançarmos o reino dos céus.

A missão de Maria

São Luís Maria Grignion de Montfort no tratado da verdade devoção á santíssima virgem Maria nos relembra que esse mistério Maria é chamado de alma mater pela Igreja. Viveu no anonimato, Mãe escondida e secreta. Deus Pai consentiu que ela jamais fizesse algum milagre em vida, ainda que tivesse autoridade para tal. Mas Deus permitiu que Maria continue sua missão na humanidade perpetuando a revelação da salvação a cada dia e nos dias hodiernos.

Quantas aparições de Maria a humanidade? Quantos recados da Mãe para nós sobre conversão ao bem, ao amor, a Deus! Maria é mais uma via de Deus Pai para a humanidade se converter, assumir a graça da salvação de Jesus.

A Igreja Católica no catecismo (a partir do artigo 2673) nos apresenta Maria dentro da temática da oração na vida cristã. E neste ponto Maria nos é apresentada como a orante perfeita.

Maria nos ensina a orar ao pai a tudo entregar-lhe reconhecendo sua onipotência como no Magnificat. Maria nos ensina a entregar a Jesus as nossas necessidades e as necessidades dos outros como nas Bodas de Caná.

Maria nos ensina a oração silenciosa, aquela que guarda no coração as profecias como na apresentação de Jesus no templo. Maria nos ensina que crer em Deus é estar em uma perfeita e conformada comunhão com sua vontade.

A Alma Silenciosa de Maria

O silêncio de Maria é uma escola de oração. Maria é mestra das “guerras interiores silenciosas” aquelas entre a vontade Humana e o plano de Deus. Maria nos ensina que é silenciando que se passa a escutar o interior. Aprender o caminho de interioridade com Maria é via certa de aprender a discernir a voz de Deus, encontra-lo no interior, no Espirito. Sim Deus habita no interior de cada ser humano, lá na sua alma Deus fala.

É preciso humildade para silenciar e querer escutar a Deus, parar e esperar Deus se manifestar… Maria que tudo guardava no coração nos ensina como crescer nesta via de se entregar aos pensamentos de Deus através do silêncio, deixando Deus habitar em nossa alma e nos formar para a missão.

Portanto, contemplar o mistério da imaculada conceição pode se tornar uma experiência profunda com a misericórdia de Deus pai. Maria a cheia de graça, a mãe do salvador, a virgem que concebeu do espirito santo, a imaculada conceição, eis Maria! Revelada a nós pelo próprio Deus e por sua graça a passagem da anunciação se tornou a mais popular oração Mariana, recitada, cantada pelos quatro cantos da Terra. “todas as gerações, desde agora, me chamaram Bem aventurada” Eis a mãe da nossa fé!

Devoção dos Santos a Maria

“Jamais li que algum santo não tivesse sido devoto especial da santíssima Virgem Maria.” (São Leonardo de Porto Maurício)
“Toda a graça de Deus chega até nós através da intercessão de Maria Santíssima.” (São Maximiliano Kolbe)
“Maria recebeu de Deus uma dupla plenitude de graça. A primeira foi o verbo eterno feito homem em sua puríssima entranha. A segunda é a plenitude das graças que, por intermédio desta divina mãe, recebemos de Deus” (São Bernardo)
“Ó lindo Lírio, vós sois para mim o espelho, Ó minha mãe! (Santa Faustina)
“O nó da desobediência de Eva foi desatado pela obediência de Maria. O que uma fez por incredulidade o desfez a outra pela fé,” (São Luís Maria G. de Montfort)
“Sou todo teu, Maria, e tudo o que é meu te pertence.” (São Luís Maria G. de Montfort)

REFERÊNCIAS:

BIBLIA, Português. A Bíblia Sagrada: Antigo e Novo Testamento. Tradução de Ivo Storniolo, Euclides Martins Balancin. Edição rev. e atualizada no Brasil. São Paulo: Paulus, 1990.

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. Edição Típica Vaticana. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

MACHADO, Antônio Augusto Borelli. Rosário: A grande solução para os problemas de nosso tempo. São Paulo: Artpress indústria gráfica e editora Ltda,1994.

MONTFORT, São Luis Maria Grignion de. Tratado da verdadeira devoção á santíssima Virgem Maria. São Paulo: PAULUS, 2017.

NOGUEIRA, Maria Emmir O. Mãe da nossa fé. Aquiraz/CE: Edições Shalom, 2013.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *