Igreja

O presépio da Casa Santa Marta

“O presépio nos recorda que Deus não permaneceu invisível no céu, mas veio à terra, se fez homem. Fazer o presépio é celebrar a proximidade de Deus: é redescobrir que Deus é real, concreto, é Amor humilde, que desceu até nós”. Foi o que escreveu nesta segunda-feira o Papa em um tuíter.

comshalom

A habitação é simples e humilde, a entrada é nua, também a pedra nua no interior dá a imagem de um ambiente precário. Não é coincidência que na lateral da parede haja uma escada que um operário especializado terá que usar para consertar o telhado. Esta é a paisagem escolhida por Alessandro Di Placidi para o presépio deste ano na Casa Santa Marta.

Maria e José, tendo ao seu lado o boi e o burro, olham para o centro da cena, onde o menino Jesus deitado numa manjedoura é adorado por três anjos sorridentes que o acolhem nesta terra.

Do lado de fora, os pastores estão todos de frente para a Natividade, com as inevitáveis ovelhas e outros animais. Atrás do alpendre, sob o qual a Sagrada Família encontrou abrigo, pode-se ver uma mulher negra carregando uma ânfora em sua cabeça. Ela olha curiosamente para a cena e talvez se prepare para voltar àquela casa cuja porta da frente pode ser vista.

Pelo menos ela tem um teto seguro, enquanto o Filho de Deus não encontrou nada a não ser aquela precária morada. Um feixe de luz inunda o centro do presépio e ilumina o Menino que pede a todos que parem, nem que seja por um momento, para saudá-lo e adorá-lo.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *