Shalom

O Senhor me provou que nada sou sem Ele

Olá, sou Mariana Magalhães, tenho 21 anos, sou vocacionada Comunidade Shalom na missão de Recife. Acredito eu que, como aconteceu e acontece comigo, Deus tem uma pedagogia com cada um dos jovens que estão perdidos no mundo em busca de Dele, em seu processo de conversão.

B612-2015-07-11-12-15-49-1Eu fui criada num ambiente católico, já que minha família é em sua maioria católica. Meus pais eram coordenadores de gruposde jovens, meus primos, avós, tios, todos, são engajados em suas paróquias. Neste ambiente, me tornei uma pessoa de boa índole e, com o tempo passei a achar que não precisava de Deus, que eu me bastava. Era exatamente aí onde morava o perigo! Eu acreditava em Deus e “vivia corretamente”, mas não me deixava envolver pelo Senhor. Cresci desta forma, com o coração fechado, quando se tratava de rezar e depender de Deus.

Em 2008, por serem missionários, meus pais se mudaram para uma cidade do interior de Pernambuco. Nesta época, eu fazia o colegial e com o novo grupo de jovens do meu colégio, coordenado pelo meu pai, passei a me interessar pelo Senhor e tive minha primeira experiência verdadeira com o Amor de Deus. Porém, não foi o suficiente para me prender a Deus. Eu ainda necessitava de uma experiência com minha fraqueza. Ao terminar o colegial, voltei ao Recife pra fazer pré-vestibular e a Faculdade.

Quando passei no vestibular, em 2013, meus pais estavam em um processo de separação. Para mim, isto era incabível, já que eles eram exemplo de vida entregue e voltada para Deus. Tudo isso, somado a forma com que eles se separaram, causou muito sofrimento para mim e meus irmãos, fazendo com que eu, tentando aguentar todo o sofrimento, me revoltasse contra Deus. E, quando menos esperava, me vi em uma depressão que me levou ainda mais pra longe do Senhor. Nesse momento, tive uma experiência grande com minha fraqueza! Ele me provou que eu dependia da Graça Dele!

Eu pensava que tinha sido abandonada pelo Senhor, mas era exatamente o contrário! Hoje reviso cada momento daquela época e vejo o cuidado e carinho que Deus teve comigo. Aquele por quem eu nutria uma raiva, insistia em me amar – e também à minha família – e cuidou constantemente de cada um de nós. Cheguei ao fim daquele ano sustentada pela graça de Deus. Até hoje, O louvo incessantemente por não me abandonar, por não me permitir sequer pensar em deixar minha vida ou desistir de lutar. E este tempo foi reservado para que eu admitisse minha derrota. Eu já havia perdido!

O Senhor já havia me provado que eu não sou NADA sem Ele, mas eu precisava admitir e não era humilde o suficiente para fazê-lo. Começou uma nova etapa! Deus precisou trabalhar minha humildade e, para isso, fui provada através da humilhação — que veio pelo não reconhecimento e pela “repressão” que sofri dentro do meu ambiente de estudos. A única coisa que tinha prazer passou a ser terrível para mim! Minha faculdade, agora, era um ambiente de exclusão muito grande, onde fui criticada por coisas que fiz e não fiz.

De férias da faculdade, encontrei com meus amigos que na ocasião moravam em Garanhuns e participavam da Comunidade Católica Shalom. Como sempre, encontrá-los foi uma festa, passamos muito tempo conversando e aproveitei pra partilhar tudo o que eu estava passando. Fui convidada, junto com meus irmãos, a participar do retiro de carnaval, o Renascer, mas como não queria ir, não confirmei. Ao chegar o período do retiro, tudo foi providenciado como num passe de mágica: conseguimos dinheiro para ir, fomos autorizados por nossos pais, conseguimos local pra ficar. Tudo foi arranjado e, ao pensar que meus irmãos estavam empolgados para ir, aceitei.

O Renascer foi à vitória do Senhor sobre mim! Ele nos concedeu (a mim e meus irmãos) grandes graças e uma virada radical em nossas vidas. Através das pregações, orações comunitárias, adorações e por meio da efusão, Deus me mostrou o quanto me amava e que não havia me abandonado. Saí de lá disposta a participar do Shalom em Recife. Apesar de decidida e participando da obra, o centro de evangelização era muito longe de casa; eu passava cerca de 2 horas para chegar lá.

Com o tempo fui desanimando e em uma oração, disse ao Senhor que não conseguiria mais continuar lá e foi aí que Ele me surpreendeu! No mesmo dia, descobri que o centro de evangelização se mudaria e ficaria a cerca de 30 minutos da minha casa. Não conseguia acreditar! Então, comecei a me engajar cada dia mais na obra e descobri que Deus queria muito mais de mim.

Quando fui ao Congresso de Jovens Shalom 2014, tudo foi confirmado. Cada dia mais queria, e quero, buscar o que Deus deseja pra mim. Daí decidi fazer o vocacional aberto. Ao ingressar no vocacional, tive ainda mais certeza de que Deus quer me dizer, o que Ele deseja para mim: Ser toda Dele! E está é minha alegria, minha paz! Não é fácil, pode ter certeza, mas se Deus quer, eu também quero! Shalom!


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *