Formação

O tempo, o amanhã e o hoje

O amanhã num relacionamento com Deus é muito destrutivo, pois nos leva a adiarmos a nossa conversão e assim a nossa salvação.

comshalom

Temos vivido num tempo onde ele torna-se cada vez mais escasso, onde sempre nos espantamos com dizeres: “Aí, se o dia tivesse 25, 26 horas”, ou “eu não tenho tempo”. Particularmente, tendemos a dizer essas coisas para as questões de Deus e para a nossa conversão. Esquecemos nesse processo que o tempo é uma criatura divina e que não podemos ser senhor dele, mas nos organizarmos para bem viver cada coisa, somente assim poderemos dar a Deus o que é de Deus e a Cezar o que é de Cezar. Além disso, por querermos ser senhores do tempo e utilizá-lo ao nosso prazer, esquecemos que é esse tempo que temos para cuidar, amar, ouvir, perdoar, estar perto e fazer muitas atitudes boas e evangélicas.

Mas, por queremos viver o tempo ao nosso prazer, preferimos nos fechar no nosso trabalho, nos nossos bens e comodidades, assim esquecendo da melhor parte que são os momentos com os outros, principalmente com o Outro, Deus. Por fim, para nós que somos cristãos, o tempo é o local por excelência que temos para nos encontrar, relacionar e amar a Deus. Muitas vezes por pensarmos mais em nós mesmos, nos sofrimentos que iremos viver, nas coisas que iremos deixar acabamos dando várias desculpas para não encontrarmos com Ele e nem para O buscar, imagine para se converter. Por isso, é fundamental para nós, cristãos, batizados, termos sempre em mente a vivência do hoje, para que a morte não nos pegue desprevenidos e assim não tenhamos o amanhã.

No tempo atual, o amanhã se tornou algo tão normal e banal, principalmente, por não termos uma decisão firme, por conta disso deixamos as coisas mais difíceis, mais exigentes, mesmo sendo coisas lícitas e belas, como a saúde, a família e a conversão para depois, para amanhã. Isto acontece principalmente por termos uma tendência a nos concentrar no trabalho, nos descansos, que é lícito, mas que podemos ofertar, no egoísmo, na comodidade e assim nos esquecemos de viver o hoje, deixando para o amanhã que nem sabemos se iremos ter. E quando se trata de Deus, mesmo que o amanhã se torne uma rotina, um amanhã quase eterno que deturpa e destrói o homem levando-o a um afastamento terrível de Deus.

O amanhã torna-se um vírus

O maior desastre deste amanhã se dá quando o Belo Ladrão vier num momento inoportuno e assim não ter mais como existir a mudança de atitudes e de conversão do coração. Por isso, que o amanhã num relacionamento com Deus é muito destrutivo, pois nos leva a adiarmos a nossa conversão e assim a nossa salvação, fazendo com que percamos pouco a pouco o amor a Ele. Por fim, este amanhã torna-se um vírus que, começando pela vontade, vai gradativamente destruindo o homem por inteiro levando-o a ser um homem de vontade fraca, com a inteligência voltada para as facilidades e com as outras áreas do homem preferindo o mais cômodo, o mais prazeroso. Tornando-se assim presa dele mesmo.

Já o hoje é a manifestação concreta de Deus, o momento onde podemos, por meio das nossas escolhas, viver a eternidade, pois ao vivermos o hoje com amor, saindo de nós mesmos e indo ao encontro do outro, gozaremos aquilo que viveremos na eternidade, estar totalmente voltado ao Outro. O hoje é também manifestação concreta de Deus, pois ao nos deparar com a realidade atual, podemos ter dois movimentos, um de fuga perante as responsabilidades e desafios, que vai deixando-nos de nos unir a Deus, e outro de aceitação e decisão, que além de nos tornar mais humanos, vai também nos unindo a Deus e assim nos fazendo experimentar Dele.

O hoje é expressão do amor a Deus

Como aconteceu com Santo Expedito que ao ouvir falar de Jesus buscou conhecê-lo mas foi deixando a conversão, da vida mundana que ele tinha, sempre para amanhã até que num determinado dia por meio de um sonho, onde teve um experiência com o mal, que o mandava sempre deixar para amanhã a conversão, ele começou a se decidir em cada momento da sua vida por Deus, chegando assim ao martírio e foi por meio dessa decisão no hoje que ele encontrou a plenitude da sua vida.

Além de Expedito, Santa Teresinha do Menino Jesus também tratou do hoje como expressividade concreta do amor humano a Deus, mostrando por meio de sua vida, mais adiante das cartas e poemas, demonstrando que só temos o hoje para amar a Deus e que é na concretude da vida, amando o irmão, ofertando a minha vida e vontade e por meio do acolhimento das provas dadas por Ele. Ela também nos mostra que o ontem já passou e que por isso não temos como voltar e refazer o que fizemos e que o amanhã eu não saberei se conseguirei amar, mas o hoje, é preciso ter certeza da decisão pelo amor.

Nossas escolhas nos definem

Como podemos ver o tempo é algo amoral, isto é, pode ser bom ou ruim, são as nossas escolhas que definem isto. Além disso, o tempo é o local privilegiado onde posso amar a Deus e os irmãos, decidindo cada vez mais pelo hoje e não pelo amanhã, pois ele pode não chegar. Por isto é fundamental sempre fazermos escolhas duradouras no hoje, esquecendo de nós mesmos e de que temos um amanhã.

E como vai as suas escolhas? Será que sempre prevalece o amanhã, nas suas escolhas? Ou você busca viver o grande e alegre hoje? Será que deixa Deus esperando ou se dá a Ele no agora, sabendo que o amanhã pode ser que nunca chegue?

Peçamos a Santo Expedito, Santa Teresinha, São Paulo e a Maria Santíssima que renove verdadeiramente o hoje em nossos corações.

Alan Costa


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *