Formação

Onde fala Jesus? E onde Ele não fala?

comshalom

<!– /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman";}@page Section1 {size:595.3pt 841.9pt; margin:2.0cm 42.55pt 42.55pt 2.0cm; mso-header-margin:35.45pt; mso-footer-margin:35.45pt; mso-paper-source:0;}div.Section1 {page:Section1;}–>

 

“Este é meu Filho amado, escutai-o”. Comestas palavras, Deus Pai dava Jesus Cristo à humanidade como seu único edefinitivo Mestre, superior às Leis e aos profetas.

Onde fala Jesus hoje, para que possamosescutá-lo? Fala-nos antes de tudo por meio de nossa consciência. Ela éuma espécie de “repetidor”, instalado dentro de nós, da própria voz de Deus.Mas, por si só ela não basta. É fácil fazê-lo dizer o que nós gostamos deescutar. Por isso, necessita ser iluminada e sustentada pelo Evangelho e peloensinamento da Igreja. O Evangelho é o lugar por excelência no qualJesus fala-nos hoje. Mas, sabemos por experiência que também as palavras doEvangelho podem ser interpretadas de maneiras distintas. Quem nos assegura umainterpretação autêntica é a Igreja, instituída por Cristo precisamente com talfim: “Quem a vós escuta, a mim escuta” (Lc 10,16). Por isso, é importante quebusquemos conhecer a doutrina da Igreja, conhecê-la em primeira mão,como ela mesmo a entende e a propõe, não na interpretação – freqüentementedistorcida e redutiva – dos meios de comunicação.

Quase igualmente importante como saberonde fala Jesus hoje é saber onde não fala. Ele não fala certamenteatravés de magos, adivinhos, astrólogos, pretensas mensagens extraterrestres;não fala nas sessões de espiritismo, no ocultismo. Na Escritura, lemos estaadvertência a respeito: “Não haja entre ti ninguém que faça passar seu filho ousua filha pelo fogo, que pratique adivinhação, astrologia, feitiçaria ou magia,nenhum encantador nem consultor de fantasmas ou adivinhos, nem invocador demortos. Porque todo aquele que faz estas coisas é uma abominação para teu Deus”(Dt 18,10-12).

Estes eram os modos típicos dos pagãos dereferir-se ao divino, que buscavam a sorte consultando os astros, ou víscerasde animais, ou no vôo dos pássaros. Com essa palavra de Deus: “Escutai-o!”,tudo aquilo acabou. Há um só mediador entre Deus e os homens; não estamosobrigados a ir “às cegas” para conhecer a vontade divina, a consultar isto ouaquilo. Em Cristo temos toda resposta.

Lamentavelmente, hoje aqueles ritospagãos voltam a estar na moda. Como sempre, quando diminui a verdadeira fé,aumenta a superstição. Tomemos a coisa mais inócua de todas: o horóscopo.Pode-se dizer que não existe jornal ou emissora de rádio que não ofereçadiariamente a seus leitores ou ouvintes o horóscopo. Para as pessoas maduras,dotadas de um mínimo de capacidade crítica ou de ironia, isso não é mais que umainócua brincadeira recíproca, uma espécie de jogo e de passatempo. Mas,enquanto isso, olhemos os efeitos ao largo. Que mentalidade se forma,especialmente nos jovens e nos adolescentes? Aquela segundo a qual o êxito navida não depende do esforço, da aplicação no estudo e constância no trabalho,mas de fatores externos, imponderáveis; de conseguir dirigir em proveitopróprio certos poderes, próprios ou alheios. Pior ainda: tudo isso induz apensar que, no bem ou no mal, a responsabilidade não é nossa, mas das“estrelas”, como pensava Ferrante, de lembrança manzoniana (em referência aoromance “Os noivos” de Alessandro Manzoni – 1785-1873)

Devo aludir a outro âmbito no qual Jesus nãofala e onde, contudo, se lhe faz falar todo o tempo. É o das revelaçõesprivadas, mensagens celestiais, aparições e vozes de natureza variada. Não digoque Cristo ou a Virgem não possam falar também através destes meios. Fizeram-nono passado e podem fazer, evidentemente, também hoje. Só que antes de dar porcerto que se trata de Jesus ou da Virgem, e não da fantasia enferma de alguém,ou pior, de farsantes que especulam com a boa fé das pessoas, é necessário tergarantias. Necessita-se neste campo esperar o juízo da Igreja, não precedê-lo.São ainda atuais as palavras de Dante: “Sede, cristãos, mais firmes aomover-vos; não sejais como pena a qualquer sopro” (Par. V,73s.)

São João da Cruz dizia que desde que, noTabor, disse-se de Jesus: “Escutai-o!”, Deus se fez, em certo sentido, mudo.Disse tudo; não tem coisas novas para revelar. Quem lhe pede novas revelações,ou respostas, ofende-o, como se não se houvesse explicado claramente ainda.Deus segue dizendo a todos a mesma palavra: “Escutai-o!”, lede o Evangelho: aíencontrareis nem mais nem menos do que buscais.

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *