Formação

Os números da Sorte

comshalom

Dom Pedro José Conti

Entreas anedotas sobre a vida dos santos sempre têm algumas bem amenas. É ocaso da vida de São João Bosco, fundador dos Salesianos e grandeeducador da juventude.

Emsuas Memórias Biográficas se lê, em um dia de 1862, que dois homensforam ter com ele e lhe pediram os números certos para jogar naloteria. Estavam convencidos que o Santo lhes daria os números da sortegrande. Dom Bosco, com muitos argumentos, tentou convencê-los adesistir do jogo, mas os dois não saíam do seu pé. Queriam porquequeriam os números vencedores. Finalmente o Santo disse para jogarem osnúmeros: 5,10 e 14. Os dois, satisfeitos, estavam para ir embora,quando Dom Bosco exigiu que escutassem sua explicação.

-Não precisamos de nenhuma explicação – disseram, mas o Santo respondeuque sem explicação não iriam acertar. Os dois então ficaram escutando.

– Bom – disse Dom Bosco – 5 são os mandamentos da Igreja, 10 são osmandamentos de Deus e 14 são as obras de misericórdia espirituais ecorporais; se jogarem esses números vocês ganharão um tesourou infinito-.

Naturalmentenão sabemos o resultado daquele sorteio, se os dois acertaram ou não.Dom Bosco procurou somente mostrar-lhes que para ganhar o tesouroinfinito do amor de Deus não precisavam jogar na loteria, nem de sortealguma, a única coisa necessária era obedecer à lei do próprio Deus epraticar o bem.

Aindahoje a fila dos que apostam nas loterias é muito grande. Em tempo decrise, tentar a sorte parece uma saída. De fato, porém, pouquíssimossão beijados pelo destino. Os outros ficam esperando e imaginando. Atépor ocasião dos nossos modestos bingos paroquiais tem pessoas dizendoabertamente o que irão fazer com o prêmio, no caso de ganharem. “Se euganhar …” – é a frase que mais se escuta. Também a primeira perguntaque é feita ao vencedor de algum prêmio é sempre sobre o que irá fazercom tanto dinheiro. Nesse campo a nossa imaginação é imensa, vai longe.Mal fizemos  a aposta, ou compramos  a cartela do bingo, já começamos apensar como investir o lucro. Já estamos decidindo o que comprar e comomultiplicar o que ainda não é nosso. O grande sonho de todos, ou quase,é ficar ricos, muito ricos. Quantos palpites, emoções, promessas,decepções e mentiras experimentamos, sempre insatisfeitos, semprebuscando mais. Tentando de novo no mesmo caminho. 

Jesusno evangelho deste domingo fala de produzir muitos frutos. Numasociedade agrícola uma boa colheita era sinal de fartura e riqueza.Poderíamos ser tentados a pensar que até Jesus prometeu e incentivou amultiplicação dos bens materiais. Poderia parecer que o estar unidos aele, como os ramos ao tronco da videira, garantiria a sorte grande,frutos e mais frutos. É verdade, mas não no sentido das riquezas destemundo. Jesus falava de outros frutos que, pelo visto, estamosesquecendo-nos de multiplicar.

Estamosdeixando de multiplicar os frutos da bondade. Esses ficam por últimos.Somente se sobrar tempo e dinheiro. Primeiro as nossas necessidades eos nossos caprichos – em geral nunca satisfeitos – depois a caridade.Numa sociedade agrícola, talvez fosse mais fácil partilhar o arroz, afarinha, o feijão, os frutos da terra, da caça e da pesca. Hoje amaioria vive do salário que desaparece rápido no supermercado e nasvárias prestações que devem ser pagas. Será que ficou tão difícil assima solidariedade? Pode ser.

Aquestão, porém, é deixar de pensar sempre em termos de dinheiro.Podemos multiplicar a amizade e a alegre convivência, visitando amigose inimigos. Podemos nos solidarizar na luta pelos direitos nossos e dosoutros. Podemos aprender a consolar quem sofre. Todos nós podemoscumprir melhor as obrigações do nosso trabalho, emprego ou mandato.Também uma boa educação, a gentileza e os bons tratos são frutos quesempre se multiplicam.

Está na hora de arriscar na loteria da vida os números de Dom Bosco. Osnúmeros do bem. Seremos todos os grandes ganhadores, porque o resto nosserá dado por acréscimo.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *