Formação

Os protestantes não aceitam a intercessão de Nossa Senhora?

comshalom

O protestantismo atual se mostra intolerante com a Virgem Santíssima, no entanto, Martinho Lutero, Calvino, Zwinglio, e os reformadores do Séc. XVI tinham uma estima e reverência profundas a Nossa Senhora, como poderemos ver abaixo. Algumas denominações protestantes estão redescobrindo isso. Por exemplo, Madre Basiléia Schlink, luterana, prega a recuperação da veneração à Virgem Mãe de Deus.

Lutero, em 1522, escreveu um belo comentário do Magnificat de Nossa Senhora, onde repetidas vezes a chama de a “doce Mãe de Deus”. E nele Lutero pede à Virgem “que ore por ele”. Entre outras coisas ele disse da Virgem Maria: “Peçamos a Deus que nos faça compreender bem as palavras do Magnificat… Oxalá Cristo nos conceda esta graça por intercessão de sua Santa Mãe! Amém. (“Comentário do Magnificat”).

Como então os protestantes, os seguidores de Lutero, não aceitam a intercessão de Nossa Senhora? É bom recordar também que Lutero implorou a intercessão de Santa Ana, mãe de Nossa Senhora, quando quase foi atingido por um raio.

Lutero disse ainda: “Ela [Maria]nos ensina como devemos amar e louvar a Deus, com alma despojada e de modo verdadeiramente conveniente, sem pro­curar nele o nosso interesse… Eis um modo elevado, puro e nobre de louvar: é bem próprio de um espírito alto e nobre como o da Virgem. ” (Maria Mãe dos homens”, Edições Paulinas, SP, p. 561).

“Maria – escreve Lutero – não se orgulha da sua dig­nidade nem da sua indignidade, mas unicamente da consideração divina, que é tão superabundante de bondade e de graça que Deus olhou para uma serva assim tão insignificante e quis considerá-la com tanta magnificência e tanta honra… Ela não exaltou nem a vir­gindade nem a humildade, mas unicamente o olhar divino repleto de graça. (…) De fato não deve ser louvada a sua pequenez, mas o olhar de Deus”. (idem)

Lutero mostra que Nossa Senhora não atrai a nossa atenção sobre Si, mas leva-nos a olhar para Deus: “… Maria não quer ser um ídolo; não é Ela que faz, é Deus que faz todas as coisas. Deve ser invocada para que Deus, por meio da vontade dela, faça aquilo que pedimos; assim devem ser invocados também todos os outros santos, dei­xando que a obra seja inteiramente de Deus” (idem pp.574-575).

Madre Basiléia, é da Sociedade das Irmãs de Darmtadt, fundada na Alemanha e presente no Brasil, luterana; no entanto, as irmãs dessa Comunidade acrescentam no seu nome de Batismo o de Maria, como acontece em algumas Congregações católicas. M. Basiléia escreveu o livro “Maria – Der Weg der Mutter des Herrn”, sobre o “Caminho de Maria”, publicado em Português, em Curitiba (1982), onde cita algumas coisas que Lutero escreveu da Virgem Maria, que transcrevemos da Revista Pergunte e Responderemos, n. 429, 1998 – Lutero e Maria Santíssima, pp. 81-86).

nossa senhora do carmo

“O que são as servas, os servos, os senhores, as mulheres, os príncipes, os reis, os monarcas da terra, em comparação com a Virgem Maria, que, além de ter nascido de uma estirpe real, é também Mãe de Deus, a mulher mais importante da Terra? No meio de toda a Cristandade ela é a jóia mais preciosa depois de Cristo, a qual nunca pode ser suficientemente exaltada; a imperatriz e rainha mais digna, elevada acima de toda nobreza, sabedoria e santidade”.

“Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe um carro de outro e conduzi-la com 4000 cavalos, tocando a trombeta diante da carruagem, anunciando: “Aqui viaja a mulher bendita entre todas as mulheres, a soberana de todo o gênero humano”. Mas tudo isso foi silenciado; a pobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo, e apesar disso, é de fato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar, se todos os montes tivessem pulado e dançado de alegria”.

“Esta única palavra “mãe de Deus” contém toda a sua honra. Ninguém pode dizer algo de maior dela ou exalta-la, dirigindo-se à ela, mesmo que tivessem tantas línguas quantas folhas crescem nas folhagens, quantas graminhas há na terra, quantas estrelas brilham no céu e quantos grãozinhos de areia existem no mar. Para entender o significado do que é ser mãe de Deus, é preciso pesar e avaliar esta palavra no coração”. (Explicação do Magníficat)

Depois de citar essas palavras de Lutero, M. Basiléia ainda escreve: “Ao ler essas palavras de Martinho Lutero, que até o fim de sua vida honrava a mãe de Jesus, que santificava as festas de Maria e diariamente cantava o Magnificat, se percebe quão longe nós geralmente nos distanciamos da correta atitude para com ela, como Martinho Lutero nos ensina, baseando-se na Sagrada Escritura. Quão profundamente todos nós, evangélicos, deixamo-nos envolver por uma mentalidade racionalista, apesar de que em nossos escritos confessionais se lêem sentenças como esta: “Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau” (Art. 21,27 da Apologia de Confissão de Augsburgo).

Em 1537, em seus “Artigos da Doutrina Cristã”, é o próprio Lutero quem diz: “O Filho de Deus fez-se homem, de modo a ser concebido do Espírito Santo sem o concurso de varão e a nascer de Maria pura, santa e sempre virgem”.

M.Basiléia explica porque escreveu este livro para os evangélicos: “Minha intenção ao escrever este opúsculo sobre o caminho de Maria, segundo o que diz dela a Sagrada Escritura, foi conscientemente reparar esta omissão pela qual me tornei culpada para com o testemunho da Palavra de Deus. Nas últimas décadas o Senhor me concedeu a graça de aprender a amar e honrar cada vez mais a Maria, a mãe de Jesus… Minha sincera intenção ao escrever esse livro, é fazer o que posso para ajudar, a fim de que entre nós, os evangélicos, a mãe de nosso Senhor seja novamente amada e honrada, como lhe compete, segundo as Palavras da Sagrada Escritura e conforme nos recomendou Martinho Lutero, nosso reformador”.

Continua M. Basiléia: “A nossa Igreja Evangélica deixou de lhe prestar honra e louvor; receando com isso reduzir a honra devida a Jesus. Mas o que aconteceu é o seguinte: toda honra autêntica dirigida aos discípulos de Jesus e também à Sua Mãe aumenta a honra do Senhor. Pois foi Ele, só Ele, que os elegeu, os cobriu com sua graça e fez deles Seu vaso de eleição. Por sua fé, seu amor e sua dedicação para com Deus, é Deus colocado no centro das atenções e é glorificado”… “É também intenção nossa – como Imaculada de Maria – contribuir em obediência à Sagrada Escritura, para que nosso Senhor Jesus não seja entristecido por um comportamento nosso destituído de reverência para com Sua mãe ou até de desprezo. Pois ela é Sua mãe que O deu à luz e O criou e educou e a cujo respeito falou o Espírito Santo, por intermédio de Isabel: “Bem-aventurada a que creu”! João Calvino, o reformador protestante de Genebra, aceitou o título de “Mãe de Deus” (Théotokos) definido pelo Concílio de Éfeso, no ano 431, quando foi condenada a heresia de Nestório. Ele sustenta a Virgindade de Maria, afirmando que os irmãos de Jesus citados em Mt 13, 55 não são filhos de Maria, mas parentes do Senhor; professar o contrário, segundo Calvino, significa “ignorância”, “louca sutileza” e “abuso da Sagrada Escritura”. (Revista PR, n. 429, p. 34, 1998)

Calvino disse: “Não podemos reconhecer as bênçãos que nos trouxe Jesus Cristo, sem reconhecer ao mesmo tempo quão imensamente Deus honrou e enriqueceu Maria, ao escolhê-la para Mãe de Deus.” (Comm. Sur l’Harm. Evang.,20)

Em 1542, João Calvino publicou o Catecismo da Igreja de Genebra, onde se lê: “O Filho de Deus foi formado no seio da Virgem Maria… Isto aconteceu por ação milagrosa do Espírito Santo sem consórcio de varão” .

“Firmemente creio, segundo as palavras do Evangelho, que Maria, como virgem pura, nos gerou o Filho de Deus e que, tanto no parto quanto após o parto, permaneceu virgem pura e íntegra.” (“Corpus Reformatorum”)

Zwinglio, o reformador protestante de Zurich, conservou três festas marianas (Anunciação, Visitação, Apresentação no Templo) e a recitação da Ave Maria durante o culto sagrado. (PR, idem)

John Wesley, fundador da Igreja metodista na Inglaterra, em 1739, disse: “Creio que [Jesus] foi feito homem, unindo a natureza humana à divina em uma só pessoa; sendo concebido pela obra singular do Espírito Santo, nascido da abençoada Virgem Maria que, tanto antes como depois de dá-lo à luz, continuou virgem pura e imaculada.”

Ora, se os fundadores do protestantismo veneravam e amavam tanto a Virgem Maria, por que, então, hoje, observamos um afastamento da Mãe de Deus? Nossos irmãos separados devem com urgência rever esta questão, como pede a luterana M. Basiléia. Não queremos afrontar esses nossos irmãos, ao contrário, queremos apenas convidá-los para juntos louvarmos e honrarmos Aquela que nos deu o Salvador.

Prof. Felipe Aquino

Fonte: blog. cancaonova/felipeaquino


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. A despeito de toda esta conversa, gostaria de lembrar o que o próprio Jesus Cristo afirmou sobre a interseção pelos pecadores diante do Pai.
    Evangelho de João 14.6 – Disse-lhes Jesus: Eu Sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
    A questão é bem simples, Maria foi escolhida por Deus para gerar Jesus e trazê-lo ao mundo como homem, foi agraciada por Deus assim como poderia ter sido qualquer outra judia. Não existe nada de espetacular, ou ainda miraculoso, no fato de ela ser a mãe de Jesus. E isto também não a torna intercessora com poderes extraordinários para intervir em nosso favor, pois o próprio Cristo descreve isso no texto acima. Só ele tem poder para interceder pelo pecador. E quanto ao fato de ela ser considerada virgem e imaculada, precisamos ter a tenção maior quanto ao contexto histórico. Maria foi casada com José, manteve relações sexuais com ele e teve outros filhos irmãos de Jesus, (Marcos 6.3; Mateus 13. 55, 56), portanto, não estamos desconsiderando o fato de que Deus a escolheu, mas foi apenas isto uma escolha baseada na índole dela, e isto não lhe dá o direito de ser considerada intercessora. Atribuindo isso a ela estamos praticando idolatria, que é abominada por Deus. Só Deus, só Jesus, só o Espírito Santo tem poderes Divinos, e podem agir em nosso favor, nenhum homem por mais bom que tenha sido nesta vida alcançará tal graça, pois todos pecaram e carecem da DA GRAÇA DE DEUS!

  2. Isso mesmo as vezes até mesmo nois q somos católicos tratamos maria a cima de Jesus mais é meio errado ela não está a frente mais sim atrás entersedendo por nois

    1. Bom dia, Jesus é tão misericordioso conosco que antes de morrer nos deu de presente uma mãe tão amorosa quando Ele! Tenho profundo respeito e amor por minha mãe Maria Santíssima, já apareceu em sonho pra mim, quando adolescente, pedindo pra eu não brigar com minha irmã, e até hoje somos muito unidas e amigas. Como não amar uma mãe tão cuidadosa. Aqui no Pará temos muitos testemunhos, por Nossa Senhora de Nazaré faz parte da nossa vida e nos leva sempre ao seu amado Filho Jesus Cristo, porém em nossa família tenho um irmão e sua esposa da igreja evangélica que nos almoços em família faz a oração e todos nós nos levantamos e o acompanhamos, mas quando vamos fazer a oração da Ave Maria e do Pai Nosso, eles se sentam e começam a falar uma outra oração pedindo a Deus que nos perdoe por nosso erro, como se estivéssemos ofendendo a Deus com essas orações que a muitos anos são proferidas pelos cristãos, muitas vezes diante dessa atitude dele nos sentimos constrangidos e muito tristes, pois tenho certeza que Deus, Jesus e Maria querem a união de todos os seus filhos!

  3. Jr Melo, primeiramente não entendi o motivo das aspas nas palavras ‘professor’ e ‘protestante’, já que estas palavras foram atribuídas corretamente no texto acima. Segundo que nós católicos também somos crentes, pois cremos em Jesus, filho único de Deus e que foi concebido pelo Espírito Santo no seio da Virgem Maria. Terceiro: se vocês não seguem a Lutero, a Calvino e nem a Zwinglio , que são fundadores protestantes, isso quer dizer que vocês têm uma doutrina “solta”, livre, que ninguém sabe quando surgiu, pois o próprio Jesus entregou nas mãos de um homem (Pedro) a chave do céu (não sei se você tem o conhecimento disso). Este, por sua vez, tratou de dar continuidade à missão da evangelização na Terra, que continua viva até hoje. Se Jesus confiou essa missão nas mãos de uma pessoa, foi para que alguém fizesse à frente. Concluindo, não seguimos simplesmente a um homem. O Papa que é o sucessor de Pedro, guia a Igreja, inspirado pelo Espírito Santo, e não criando suas próprias “regras”, sua própria doutrina. Ah! E em nenhum momento foi dito que Maria é uma deusa, mas a Mãe de Deus, e ISTO ESTÁ NA BÍBLIA.

    1. Interessante como vocês insistem em se fazerem de desentendidos. Maria mãe de Deus?
      Vocês nunca letam a bíblia?
      Será que vocês não temer a condenação na vinda de Jesus Cristo, porque a heresia é condenada por Deus.
      Será que nunca letam João 17:1-19

      1. Se Maria não é mãe de Deus, ENTÃO QUEM É, ó digníssimo Sr Dono da Verdade, Diogenes? Quem foi que carregou Jesus em seu ventre durante 9 meses?!?!?!?!?! “se fazem de esentendidos”, me poupe.

      1. Quem te afirmou que protestante tem raiva de Maria? De onde tirou essa ideia? Não seria melhor você afirmar: os protestantes seguem o que está escrito nas escrituras, em vez de seguir os dogmas da religião!

  4. “Como então os protestantes, os seguidores de Lutero, não aceitam a intercessão de Nossa Senhora? É bom recordar também que Lutero implorou a intercessão de Santa Ana, mãe de Nossa Senhora, quando quase foi atingido por um raio.”;;______________
    REsposta…….. Não sei , “professor”,pergunte a quem é “protestante.”Agora, se vc perguntar aos crentes verdadeiros como eu respondoNao seguimos LUTEro calvino, papas ou padres.SEguimos a JEsus e A sua palavra que foi revelada pelo Espirito Santo.Nossa fé nao está firmada em homens reformadores e nem papas..Somos firmados na Rocha que é Cristo. MAria esta salva e CONSCIENTE no céu mas não é deusa.MAria pode tr sido santa , mas nao tem poder da onisciencia.E de onde os crentes tiraram esta coclusao?Logico que lendo a Biblia.

    1. Jr Melo. Somos irmãos em Cristo e como tal indico a você fazer a leitura de Hebreus 5 ( 1-5) e também ler os livros de scoth Hans com os títulos TODOS OS CAMINHOS LEVAM A ROMA e depois de lê-lo fazer a leitura do messmo autor O SANGUE DO CORDEIRO. Após a leitura e reflexão tomo a liberdade de pedir a você que me dê a resposta para dizer-me o que Jesus falou com você. Deus dá autoridade e a ordem a quem Ele quiser. Conhecereis a verdade e esta lhe libertará.