Notícias

Papa Francisco: “Jesus viu a ternura de Deus em José”

Entre as características apresentadas pelo Papa Francisco na carta Com Coração de Pai, vale destacar a forma como o pontífice comenta sobre a ternura de São José. Francisco afirma: “Jesus viu a ternura de Deus em José”.

comshalom

O Santo Padre publicou na terça-feira (8), dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, a Carta Apostólica Com o Coração de Pai. Nela, o pontífice traz reflexões sobre São José, Padroeiro da Igreja Católica. Papa Francisco conta, no documento, que o desejo de escrever sobre o Pai Adotivo de Jesus foi crescendo especialmente neste período de pandemia, tempo em que muitas pessoas, como São José, ajudaram a escrever a história de forma discreta, porém crucial.

“As nossas vidas são tecidas e sustentadas por pessoas comuns (habitualmente esquecidas), que não aparecem nas manchetes dos jornais e revistas, nem nas grandes passarelas do último espetáculo, mas que hoje estão, sem dúvida, a escrever os acontecimentos decisivos da nossa história: médicos, enfermeiras e enfermeiros, trabalhadores dos supermercados, pessoal da limpeza, curadores, transportadores, forças policiais, voluntários, sacerdotes, religiosas e muitos – mas muitos – outros que compreenderam que ninguém se salva sozinho” (Papa Francisco)

Também na carta Francisco destaca: “São José lembra-nos que todos aqueles que estão, aparentemente, escondidos ou em segundo plano, têm um protagonismo sem paralelo na história da salvação. A todos eles, dirijo uma palavra de reconhecimento e gratidão”.

A ternura de São José

O acolhimento, a coragem e a obediência são algumas das características que o Santo Padre apresenta na carta. Entre elas, vale destacar a forma como o pontífice comenta sobre a ternura de São José. Francisco afirma: “Jesus viu a ternura de Deus em José”.

“Muitas vezes pensamos que Deus conta apenas com a nossa parte boa e vitoriosa, quando, na verdade, a maior parte dos seus desígnios se cumpre através e apesar da nossa fraqueza […] Se esta é a perspectiva da economia da salvação, devemos aprender a aceitar, com profunda ternura, a nossa fraqueza”

Nesse sentido, São José, mesmo em meio às suas fragilidades, tornou-se o pai que viu e ajudou Jesus a crescer, em estatura e em graça diante de Deus e dos homens (Lc 2, 52). “Como o Senhor fez com Israel, assim ele ensinou Jesus a andar, segurando-O pela mão: era para Ele como o pai que levanta o filho contra o seu rosto, inclinava-se para Ele a fim de Lhe dar de comer (cf. Os 11, 3-4)”.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *