Igreja

Papa Francisco: o Evangelho é fonte de uma ‘alegria explosiva’

Na celebração da Festa da Epifania, o Santo Padre exortou os fiéis a entrarem na ‘escola de desejo’ dos Reis Magos.

comshalom

Na celebração da Festa da Epifania, 6 de janeiro, o Papa Francisco indagou os fiéis sobre como está o desejo de cada um por Deus. “É triste quando uma comunidade de crentes já não tem desejos, arrastando-se, cansada, na gestão das coisas, em vez de se deixar levar por Jesus, pela alegria explosiva e desinquietadora do Evangelho”, disse o Pontífice.

Meditando sobre a figura dos Reis Magos que peregrinaram ao encontro do Menino Jesus, Francisco afirmou que eles tinham o “coração inquieto”.  “Mas esta saudável inquietação, que os levou a peregrinar, donde nasce? Nasce do desejo. Eis o seu segredo interior: saber desejar.”

De acordo com o Papa, a “viagem da vida” também necessita desse impulso interior que movia os Magos. “Será bom perguntar-nos: a que ponto estamos nós na viagem da fé? Não estaremos já há bastante tempo bloqueados, estacionados numa religião convencional, exterior, formal, que deixou de aquecer o coração e já não muda a vida?” 

Entrar na escola de desejo dos Magos

Papa Francisco apontou a crise de fé e o olhar voltado para si mesmo como as principais causas para a falta de desejo e de alegria nos dias de hoje. E convidou todos a entrarem na “escola de desejo” dos Magos. De acordo com o Pontífice, os Reis apontam cinco atitudes a serem imitadas: partir, perguntar, desafiar, regressar e adorar.

Eles “ensinam-nos que é preciso voltar a partir sempre cada dia, tanto na vida como na fé, porque a fé não é uma armadura que imobiliza, mas uma viagem fascinante, um movimento contínuo e desinquietador, sempre à procura de Deus”.

“Deus dirige-Se a nós mais com perguntas do que com respostas”

De acordo com Francisco, também é preciso deixar-se interpelar pelo Senhor. “Deus dirige-Se a nós mais com perguntas do que com respostas”, afirmou. Outra atitude apontada pelo Papa a ser imitada é a coragem de desafiar. “Ensinam-nos que temos necessidade duma fé corajosa, que não tenha medo de desafiar as lógicas obscuras do poder, tornando-se semente de justiça e fraternidade”.

Nesse sentido, o Santo Padre afirmou ainda que é preciso saber regressar por outro caminho.  “É a criatividade do Espírito, que faz sempre coisas novas. É também, neste momento, uma das tarefas do Sínodo que nós estamos a realizar: caminhar numa escuta conjunta, para que o Espírito nos sugira caminhos novos”, finalizou.

A adoração faz recuperar o desejo

Em conclusão, Francisco falou sobre a adoração dos Reis Magos. “Lembremo-nos disto: a viagem da fé só encontra ímpeto e cumprimento na presença de Deus. Só se recuperarmos o gosto da adoração é que se renova o desejo. O desejo leva-te à adoração e a adoração renova em ti o desejo. Porque o desejo de Deus cresce apenas permanecendo diante de Deus”, finalizou. 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *