Institucional

Participação ativa na preparação do Sínodo sobre a família

comshalom

Da pastoral da família às uniões homossexuais, da educação dos filhos à abertura dos casais à vida. Estes são alguns dos temas fortes inseridos nas 39 perguntas do “Questionário” enviado às igrejas particulares, para permitir a participação activa de toda a comunidade eclesial na preparação do Sínodo sobre a família, programado para o mês de Outubro próximo. Alessandro Gisotti conversou com Alberto Friso, responsável do movimento “Famiglie Nuove” (“Novas Famílias”) e membro do Conselho Pontifício para a Família.

nuove famiglia

R. – Este “Questionário” é verdadeiramente uma novidade que nos dá uma alegria extraordinária a nós famílias, pois sentimos que podemos, com toda a Igreja, todos juntos, reflectir sobre aqueles pontos mais críticos que hoje encontramos frequentemente no contacto com as famílias que habitam próximo de nós, e também com familiares nalguns casos. Em suma, podemos finalmente falar e pensar juntos sobre quais possam ser os modos para exprimir o espírito de amor pela nossa comunidade, pelas pessoas com as quais também devemos construir, dia a dia, também a nossa história de sociedade civil. Estas 39 questões, belas e compreensíveis, encaixam-se perfeitamente em toda e qualquer cultura: começam, de facto, a chegar os primeiros sinais, seja de Africa ou da Ásia, da alegria por não se sentirem cristãos de “série B” enquanto leigos, enquanto casados; e também por nos sentirmos interpelados por tudo o que se estamos a viver.

Neste “Questionário”, dirigido primeiramente às conferências episcopais e depois às paróquias e a todas as comunidades eclesiais locais, será importante que ninguém seja, de algum modo, posto à margem, também no que se refere ao processo de recolha das respostas a estas perguntas …

R. – De facto, nós já compreendemos que vamos colaborar seja com a nossa presença nas paróquias e dioceses, e portanto procurando e reflectindo em conjunto, seja também fazendo uma espécie de ligação para termos uma visão de conjunto.
Que expectativas tem, o que espera que possa suceder nestes próximos meses, também com o impulso desta solicitação, deste “Questionário”?

R. – Creio que antes de tudo, o questionário abre ainda mais à compreensão da novidade, do empenho pastoral e do amor pastoral que a Igreja está a ter neste momento, naturalmente também sob o impulso da pessoa do nosso Papa Francisco. E nos próximos meses, teremos sem dúvida todos, com os nossos meios de comunicação, com a nossa imprensa e estações televisivas, de participar no grande debate, que já se fazia em tantos locais, mas começando a reflectir nós e a evidenciar as nossas propostas para nos tornarmos sujeitos também sociais e políticos mais activos. Certamente, o “Questionário” leva-nos a ter uma visão de conjunto, sem necessidade de mudanças de doutrina: trata-se de uma mudança de atitude nas relações, pois se as relações são construídas com caridade, espírito de acolhimento e serviço, serão todas dimensões do amor a moverem todas as pessoas e, portanto, também aquelas que têm dificuldades em relação a uma nova perspectiva de vida e de fé.

Fonte: Rádio Vaticana


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *