Formação

Por um Catolicismo Bíblico

Dom Orlando Brandes


Concluiu-seem Roma no dia 26 de outubro o Sínodo dos Bispos cujo tema era: “APalavra de Deus na vida e missão da Igreja”. Houve muita expectativa arespeito deste Sínodo e não podia ser diferente. Graças a Deus, osresultados foram muito positivos.

Osparticipantes do Sínodo evitaram discussões acadêmicas, exegéticas,teológicas e focalizaram duas dimensões da Palavra de Deus: a dimensãomístico-espiritual e a dimensão pastoral. Podemos dizer que foi umencontro sobre espiritualidade bíblica e animação bíblica da pastoral.Exatamente é o que a Igreja mais necessita: amor à Palavra e á prática,a vivência da Palavra no quotidiano e na esfera social. Não foi umSínodo de biblistas, mas de pastores.

Falou-sede que precisamos ter um “coração bíblico” e que o coração dos fiéisdeve ser uma “biblioteca bíblica”. Por isso, a grande maioria dasintervenções privilegiaram a “Leitura Orante da Bíblia” (Lectio Divina)como um caminho concreto de encantamento, conhecimento e vivência daPalavra.

APalavra de Deus não se reduz ao livro da Bíblia. A Palavra se manifestana beleza da criação, nos acontecimentos da vida, na experiência de fédas comunidades, mas, principalmente a Palavra é uma pessoa: JesusCristo. Todas as Escrituras apontam para Cristo. Ele é o Filho muitoamado do Pai, a quem devemos escutar e seguir como discípulos. APalavra é uma declaração de amor de Deus por nós. Ele fala conosco comoum amigo. A Igreja deve pois “ouvir piamente, guardar santamente eanunciar fielmente a Palavra”. Nós somos o que ouvimos.

Houvequem propusesse na sala sinodal que é preciso suscitar o “século doamor à Palavra”. Quem vive e testemunha a Palavra, é o melhor exegeta,ou seja, o melhor mestre e doutor das Escrituras, como, diz o apóstoloPaulo: “a Palavra habite em vós” (Col 3,16). É hora da Bíblia, doprimado da Palavra. Ela deve correr veloz, como reza o Salmista, e nãodeve ser acorrentada. Sim, a Palavra é a bússola da Igreja, é o motorque tudo move, é a rocha, o alicerce de toda a realidade.

Diantede todas estas maravilhas, o Sínodo constatou que a maioria do povoignora as Escrituras, em muitas partes do mundo o preço da Bíblia émuito caro, nas famílias pouco se fala da Palavra, ainda se tem medo decolocar a Bíblia nas mãos do povo, as homilias podem e devem melhorar,os microfones das Igrejas e os leitores não podem emudecer a Palavra efazê-la cair no chão, os grupos bíblicos precisam aumentar.

Épreciso pois, frequentar as Escrituras, ter familiaridade e até apego àPalavra, fazer dela nossa nutrição diária e nela permanecer. Dosquartos, a Palavra deve chegar aos telhados, para iluminar a mente,robustecer a vontade, inflamar o coração. Que possamos consagrar àleitura bíblica, tantas horas quantas pudermos, pediu o Sínodo.

APalavra tem “voz”. Esta voz está na revelação divina, na comunicação deDeus com os patriarcas, os profetas, os apóstolos. A Palavra tem um“rosto”: é Jesus Cristo. Ele é a Palavra que se fez carne. Jesus é aPalavra de Deus por excelência. A Palavra tem uma “casa”: a Igreja. Éna Igreja que encontramos a Palavra. Enquanto casa da Palavra cabe àIgreja, anunciá-la, aprofundá-la pela catequese, ensiná-la na homilia,celebrá-la na Eucaristia, rezá-la na liturgia das horas. A Palavra temum “caminho”: é a missão. Que ela possa tinir nos ouvidos, transpassaros corações, inflamar os lábios e chegar até os confins da terra.

Dentroda própria Bíblia encontramos muitos símbolos que nos ajudam acompreender a profundidade, a altura, a largura, o cumprimento ainestimável e inexplorável riqueza da Palavra de Deus. Eis algunssímbolos: luz, rocha, pão, tesouro, espada, machado, leite, ouro,martelo, carta, chuva, mel.

Apóso Sínodo da Palavra não se pode mais batizar sem evangelizar,catequizar sem fazer discípulos, ler nas celebrações sem ensaio epreparação. Que adianta Igreja bonita, salão grande, mas microfonesruins, som descuidado e leitores sem saber comunicar-se? É hora demudar. Amemos e respeitemos a Palavra de Deus.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *