Institucional

Pregação do segundo dia: “Quem não reza, não vive”

comshalom

PREGACAO MANHADurante a programação do segundo dia do Reviver 2015 em João Pessoa, iniciada na manhã desta segunda-feira (16), a consagrada de aliança Evelyne Montenegro, mais conhecida como “Vevé”, pregou sobre o “Consolo como dom Deus”.

O tema geral do Reviver deste ano é retirado da passagem de Isaías 40,1 onde o profeta exorta “Consolai, consolai meu povo, diz Vosso Deus”. Neste contexto a missionária provoca os participantes do retiro com a pergunta “Se Deus é amor, se Deus é felicidade, porque tanta dor?” e comparando-nos ao filho pródigo, reflete que muitos dos sofrimentos humanos são conseqüências do nosso hedonismo (a busca do nosso prazer) e nos afastando de Deus, querendo ser dono de si próprio acarretamos em nossas vidas dores e angustias.

A Vevé explica que o pecado entra em nossas vidas quando nos afastamos de Deus e fazemos o que quisermos de nós mesmos, deste modo o sofrimento bate à nossa porta, “O sofrimento pelo sofrimento mata, mas o sofrimento redentor de Cristo nos eleva. Existe consolo no sofrimento vivido com Cristo” concluiu.

Segundo ela, quem confia na força de Deus é consolado, é preciso se render ao senhorio de Deus e deixar-se consolar por Ele. A consolação como consolo de Deus é um mistério de bondade, é um lugar de repouso, é a experiência com a misericórdia Divina. Diante das contrariedades da vida em que o mundo nos impõe, é preciso se refugiar no coração do Senhor e lá encontrar a verdadeira paz e consolação, e esta mão que Deus nos estende nos traz a fortaleza.

“Diante das dores é preciso correr para o Sacrário, só quem pode consolar é Deus” disse a Evelyne. Às vezes no impulso de resolver os nossos próprios problemas, utilizar-se de nossas próprias forças encontramos falsos consolos.

O consumismo se traduz no consolo do ter. O mundo atual vive a busca desenfreada do prazer, a valorização exacerbada do corpo, a dar mais importância no ter do que no ser, quando as pessoas enxergam o dinheiro como sinônimo de felicidade, e ao invés de buscar a Deus, buscam consumir como desejo de consolo.

Além disto, o consolo do mundo é um buraco que abre o nosso coração e nos afunda em maiores sofrimentos, “Não fomos criados para sermos máquinas diante de outras máquinas”, ressaltou a missionária. É preciso compreender que Deus é o nosso oxigênio, Deus é a nossa liberdade e não devemos nos contentar com pequenos consolos, quando o próprio Deus se apresenta como consolo supremo.

Deus sempre vai nos oferecer o que precisamos e não o que queremos, e uma forma de experimentarmos o consolo de Deus é se dispor ao Seu serviço., “Precisamos ser mais pobres, para enriquecer os que nada tem” falou a Vevé.

 

Por Vanessa Rodrigues

 

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *