Formação

Presépio: admirável sinal de Deus aos homens

São Francisco foi quem fez o primeiro presépio em 1223.

comshalom

Em um lugarejo chamado  Greccio, em 1223, na Itália, São Francisco fez um pedido ao amigo João, dono de muitas posses, quinze dias antes do Natal do Senhor. “Quero representar o Menino nascido em Belém, para de algum modo ver com os olhos do corpo os incômodos que Ele padeceu pela falta das coisas necessárias a um recém-nascido, tendo sido deitado na palha de uma manjedoura, entre o boi e o burro”, lê-se em  Tomás de Celano. 

Na  pequena Greccio, seus moradores, junto a Francisco e tantos frades puderam reviver o mistério da noite venturosa de Natal. Naquele 25 de dezembro foi feito o primeiro presépio vivo, uma representação que passou a ser repetida todos os anos e se mantém viva oito séculos depois. O desejo de Francisco se concretizou. Contudo, algo mais importante que a dramatização do presépio vivo aconteceu naquela noite, uma Missa foi celebrada na noite fria e a Eucaristia deposta por alguns momentos da Manjedoura. 

O presépio se tornou uma experiência rica de significados. De tão importante ganhou do Papa Francisco, em 2019, uma carta chamada de “admirável sinal”, justificando a importância e riqueza que é montar e meditar com a representação do Nascimento do Senhor.

Na carta, o Santo Padre escreve que o presépio nos comove tanto, entre outras coisas, por manifestar a ternura de Deus. “Ele, o Criador do universo, abaixa-Se até à nossa pequenez. Em Jesus, o Pai deu-nos um irmão, que vem procurar-nos quando estamos desorientados e perdemos o rumo, e um amigo fiel, que está sempre ao nosso lado; deu-nos o seu Filho, que nos perdoa e levanta do pecado”.

O Papa diz ainda  que o primeiro significado do presépio é a representação do céu estrelado na escuridão e no silêncio. “Pensemos nas vezes sem conta que a noite envolve a nossa vida. Pois bem, mesmo em tais momentos, Deus não nos deixa sozinhos, mas faz-Se […] A sua proximidade traz luz onde há escuridão”, relembra Francisco.

O nascimento do Menino Deus é o centro do presépio. “O coração do Presépio começa a palpitar, quando colocamos lá, no Natal, a figura do Menino Jesus. Naquela fraqueza e fragilidade, esconde o seu poder que tudo cria e transforma. Parece impossível, mas é assim: em Jesus, Deus foi criança e, nesta condição, quis revelar a grandeza do seu amor, que se manifesta num sorriso e nas suas mãos estendidas para quem quer que seja”, nos recordou o Papa.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *