Institucional

A primeira Santa Missa no Brasil

A celebração da Santa Missa foi o primeiro e mais importante ato realizado no Brasil

A celebração da primeira Santa Missa no Brasil deu-se no Domingo de Páscoa, no dia 26 de abril de 1500, quando fincaram a cruz no chão macio de um banco de areia em Porto Seguro, no litoral sul da Bahia. Essa cerimônia seria a primeira de tantas que, desde então, foram celebradas neste que veio a se tornar o maior país católico do mundo.

Disse Pero Vaz de Caminha, na Carta a El-Rei, em 1º de maio de 1500:

“(…) E quando veio o Evangelho, que nos erguemos todos em pé, com as mãos levantadas, eles [os índios] se levantaram conosco e alçaram as mãos, ficando assim, até ser acabado: e então tornaram-se a assentar como nós… e em tal maneira sossegados, que, certifico a Vossa Alteza, nos fez muita devoção. Enquanto dois carpinteiros separavam um enorme tronco para a feitura da Cruz, os índios, uns oitenta ou mais, tagarelas, estorvantes, rodeavam os marinheiros em seus afazeres, olhando pasmos o efeito do fio do ferro na árvore. Da mata próxima vinham os barulhos da bicharada, o ruído forte dos papagaios, dos bugios, e de umas poucas pombas rolas (…)”

Santa fé católica

Frei Henrique de Coimbra oficiou-a todo paramentado, enquanto a tripulação congregava-se na praia às voltas do altar. Tomavam posse daquela Ilha de Vera Cruz, em nome do rei de Portugal e da santa fé católica. Os nativos, dóceis, portaram-se de tal modo que Caminha convenceu-se da fácil conversão deles no futuro. “Um par de padres, dos bons”, escreveu ele ao rei, bastava.

Assim teve início a história do nosso país: embaixo de uma cruz. O primeiro e mais importante ato foi realizado cinco dias após a chegada dos portugueses aqui: a celebração do santo sacrifício da Santa Missa. O Sangue do Cordeiro, o único e eterno sacrifício aceito pelo Pai, já era oferecido nesta Terra de Santa Cruz.

Começamos bem! Iniciamos tudo, sob o signo da cruz, oferecendo o preciosíssimo Corpo e Sangue de Jesus ao Pai, na Santa Missa. Após o descobrimento, bem antes de esta terra ter sido banhada por qualquer outro sangue, ela foi consagrada pelo Sangue bendito do Filho de Deus oferecido sobre o altar naquele memorável 26 de abril de 1500.

Terra de Santa Cruz

É por isso que somos um povo cheio de esperança, porque iniciamos tudo embaixo da cruz. Iniciamos no local da vitória. Se esta terra foi batizada com o nome de “Terra de Santa Cruz”, temos como sonho e confiança em Deus, que, um dia, esta será a “Terra da Vitória’, do triunfo definitivo do Crucificado que ressuscitou: Jesus de Nazaré!

Como o inimigo foi vencido na cruz, aqui chegará o dia em que ele finalmente será banido e teremos o reino definitivo da cruz. O que iniciou com a cruz haverá de terminar também com a vitória definitiva dela. Portanto, ao olhar para Jesus, não devemos jamais esquecer o que Ele afirmou: “Quando eu for levantado da terra, atrairei todos os homens a mim” (Jo 12,32). Haverá um tempo em que ninguém resistirá a essa atração da cruz. Por isso, mantenhamos a esperança e trabalhemos para que isso aconteça o mais breve possível. “Nós, porém, segundo sua promessa, esperamos novos céus e uma nova terra, nos quais habitará a justiça” (2Pd 3,13).

A Palavra de Deus nos aponta essa esperança e nós precisamos alimentá-la, a qual se transformará numa certeza: “Vi, então, um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra desapareceram e o mar já não existia” (Ap 21,1).

Fonte:Canção Nova


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *