Formação

Qual é o sentido de Pentecostes?

A Solenidade de Pentecostes marca a saída da Igreja para todos os povos. Nela é iniciada uma ação evangelizadora para que todas as nações tenham acesso ao Evangelho e à salvação com o poder do Espírito Santo.

Foto: Shalom Quixadá

Pentecostes é uma das celebrações mais importantes do calendário cristão e comemora a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Jesus Cristo, sua mãe Maria e outros seguidores. Ele  é celebrado 50 dias depois do domingo de Páscoa, e ocorre no sétimo dia depois da celebração da Ascensão de Jesus.

E assim, para entendermos melhor o verdadeiro sentido da Solenidade de Pentecostes, precisamos partir do texto do livro de Ato dos Apóstolos, que nos apresenta na narração: “Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte, que encheu toda a casa em que se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia expressar-se. Residiam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações que há debaixo do céu. Quando ouviram o ruído, reuniu-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua.” (At, 2, 1-6).

Essa passagem bíblica apresenta o novo curso da obra de Deus, fundamentada na Ressurreição de Cristo, obra que envolve o homem e a sua história de salvação.

O Catecismo da Igreja Católica (CIC) diz que: “No dia de Pentecostes (no termo das sete semanas pascais), a Páscoa de Cristo completou-se com a efusão do Espírito Santo, que se manifestou, se deu e se comunicou como Pessoa divina: da Sua plenitude, Cristo Senhor derrama em profusão o Espírito” (CIC, n. 731).

Nessa celebração, somos convidados e enviados para professar ao mundo a presença do Espírito Santo. E também a invocarmos a efusão do Espírito para que Ele renove a face da terra, para que possa agir com a mesma intensidade do acontecimento inicial dos Atos dos Apóstolos sobre a Igreja, sobre todos os povos e nações.

Por essa razão, precisamos entender o significado da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. O Catecismo nos diz:

“O termo Espírito traduz o termo hebraico Ruah que, na sua primeira acepção, significa sopro, ar, vento. Jesus utiliza precisamente a imagem sensível do vento para sugerir a Nicodemos a novidade transcendente d’Aquele que é pessoalmente o Sopro de Deus, o Espírito Divino. Por outro lado, Espírito e Santo são atributos divinos comuns às Três Pessoas Divinas. Mas, juntando os dois termos, a Escritura, a Liturgia e a linguagem teológica designam a Pessoa inefável do Espírito Santo, sem equívoco possível com os outros empregos dos termos espírito e santo” (CIC, n. 691).

A Solenidade de Pentecostes marca a saída da Igreja para os povos, o início da ação evangelizadora, para que todas as nações, de todas as línguas, tenham acesso ao Evangelho e à salvação mediante o poder do Espírito Santo de Deus.

No tempo de Pentecostes devemos celebrar com gratidão, acolher a Obra Nova nas nossas Vidas. Temos a necessidade do Espírito Santo Paráclito. Por isso devemos, em todas as situações, clamar: Vem, Espírito Santo! Que não esqueçamos deste auxílio que Deus, em Sua infinita bondade, nos enviou.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *