Formação

Qual penitência escolher para viver este período da Quaresma?

Com a chegada da Quaresma, muitos católicos sentem-se perdidos sobre quais penitências devem adotar neste tempo de reflexão e preparação para a Páscoa.

comshalom

Finalmente chegamos em um dos tempos litúrgicos mais bonitos, o tempo da Quaresma. Um tempo onde ouvimos ainda mais forte o convite à conversão. É um Kairós, um tempo de graça onde a misericórdia de Deus se derrama de forma ainda mais abundante em nossas vidas. Onde, diante do reconhecimento das nossas faltas e da nossa pequenez, experimentamos um auxilio ainda maior da graça na busca da santidade.

Este tempo é conhecido por ser favorável para a conversão, os evangelhos de cada dia vão tocando a terra do nosso coração e preparando-o para acolher a conversão que o Espírito quer nos dar. E motivados por esse desejo de mudança de vida e de santidade em todo início de quaresma sempre bate aquela dúvida: Qual penitência devo fazer? Mas muitas vezes apesar de estarmos com o espírito certo para a vivência da quaresma, curiosamente, na prática, a escolha da penitência às vezes se perde desse objetivo.

Muitos de nós pensamos logo em deixar de comer o doce favorito, parar de tomar coca cola, não passar tanto tempo nas redes sociais ou sair delas durante o tempo da quaresma. E tudo isso pode sim ser uma mortificação, uma penitência que nos ajudará na nossa conversão, mas infelizmente às vezes, chegamos ao fim da quaresma e ainda que fiéis até o final no cumprimento da penitência escolhida, ainda assim não conseguimos ver frutos dessas renúncias exteriores que fazemos. Não é verdade?

Por isso é importante entendermos o espírito da penitência para que então possamos escolher o que realmente nos dará frutos de conversão. Então, com o objetivo de te auxiliar na escolha da sua penitência para a quaresma, vamos refletir sobre o que significa a verdadeira penitência e porque fazê-la. Nosso objetivo não será dizer qual penitência você deve fazer, mas te ajudar a discernir com a formação e em oração qual a penitencia que Deus quer que você viva.

Qual o espírito da verdadeira penitência?

O Catecismo da Igreja Católica no parágrafo 1430 nos diz: “Como já acontecia com os profetas, o apelo de Jesus à conversão e à penitência não visa primariamente as obras exteriores, «o saco e a cinza», os jejuns e as mortificações, mas a conversão do coração, a penitência interior: Sem ela, as obras de penitência são estéreis e enganadoras; pelo contrário, a conversão interior impele à expressão dessa atitude com sinais visíveis, gestos e obras de penitência. ”

No livro do profeta Joel também está escrito: “rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes” (Joel 2,13). É necessário que o discernimento pela escolha da penitência tenha como objetivo a conversão do nosso coração. As obras exteriores precisam ser motivadas pelas nossas necessidades de conversão interiores e para isso a revisão de vida e a oração são imprescindíveis.

O primeiro passo e devo em espírito de oração e de revisão de vida perguntar a Deus:

  • Quais áreas da minha vida que mais precisam de conversão?
  • O que tem me impedido de crescer nesta área?

A penitência deve ser direcionada para o que realmente levará a conversão do meu coração. A revisão de vida em espírito de oração acerca dos pecados capitais, e também das nossas concupiscências: o prazer, o poder e o possuir, podem nos ajudar a enxergar objetivamente qual a área que Deus quer operar em nós o milagre da conversão e também nos levar a fazer uma boa confissão neste tempo.

O parágrafo 1431 do Catecismo nos ajuda ainda mais a entender como a penitencia deve ser um compromisso de Metanoia e deve ser motivada pelo desejo de mudança radical de toda a vida:

“A penitência interior é uma reorientação radical de toda a vida, um regresso, uma conversão a Deus de todo o nosso coração, uma rotura com o pecado, a aversão ao mal, com repugnância pelas más acções que cometemos. Ao mesmo tempo, implica o desejo e o propósito de mudar de vida, com a esperança da misericórdia divina e a confiança na ajuda da sua graça. Esta conversão do coração é acompanhada por uma dor e uma tristeza salutares, a que os Santos Padres chamaram animi cruciatus (aflição do espírito), compunctio cordis (compunção do coração)”.

Desejamos a você uma boa e santa quaresma e que o Espírito Santo te ilumine e te ajude a ser fiel nas penitências e mortificações necessárias para sua conversão.

Shalom!


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *