Shalom

Qual a sua experiência com a misericórdia?

Dentro da programação do Festival Halleluya que aconteceu em Natal de 02 a 04 de dezembro, existe, tradicionalmente, o Espaço da Misericórdia, onde os visitantes podem rezar na capela com adoração ao Santíssimo, receber oração, aconselhamento ou confissão. Mas a temática da misericórdia vai além do espaço ou do Ano Jubilar da Misericórdia que vivemos em 2016: ela é uma experiência pessoal.

Pensando nisso, fomos ao encontro de pessoas que circulam pelo Festival Halleluya, de diferentes grupos e histórias, e lhes propomos a mesma pergunta: Qual a sua experiência com a misericórdia?

mercinho-dantas-33-musico-2-e1480725314113-200x300

Mercinho Dantas, 33, músico e pintor

“Eu tocava em uma banda de Hardcore, me envolvi com drogas, consumi, cheguei a um ponto de saturar a minha vida tentando preencher o vazio que sentia dentro de mim. Nos shows mesmo, eu ia tocar, e depois ficava aquele vazio. Então passei a sentir uma força que falava comigo e houve um tempo que Deus disse em meu coração: sou Eu, sou Eu quem falta na sua vida. Daí depois disso, pouco a pouco, como eu bebia muito, fumava muito, consegui sair da dependência. Na minha casa hoje, só eu e minha mãe somos cristãos, pois tenho também um irmão que se envolveu no mundo das drogas. Mas é daí que vem a misericórdia para com o próximo, Cristo foi tão misericordioso, né? Devemos nos espelhar Nele”.

irma-200x300

Irmã Betânea Maria da Santíssima Trindade, 35, Franciscana

Para mim, como nós temos um carisma para os pobres, isso permite que a gente cada vez mais perceba que o pobre não necessita somente de uma roupa, de um alimento, mas de experimentar da misericórdia de Deus. E ao ajudá-lo nós também experimentamos da misericórdia do Senhor.  Um caso que me marcou muito foi ver uma irmã doente, precisar ir para o hospital, porque sempre estamos acostumados com o pobre, mas ver que alguém de casa precisou desta ajuda, de estar ali e dar para ela a nossa atenção, de fazer comida e ter todo um cuidado, experimentamos que nós também somos a misericórdia na vida dela”.

amigas-300x200

Elisangela da Silva e Jéssica Tavares, 14 anos, estudantes

(Elisangela) Uma vez a Jessica estava interessada em um menino. Daí eu, como amiga, fui tentar ajudá-la, mas só acabei atrapalhando. Contei ao menino que ela gostava dele, mas ele disse que era mais velho e que não estava interessado nela e, ela, que nunca levou um fora na vida, levou justo por minha causa. E ela ficou com raiva de mim por isso e pensei que nunca mais ia falar comigo.

(Jéssica) Quando ela faz raiva eu fico chateada e brigo com ela, mas faz muito tempo que a gente se conhece, uma “arenga” com a outra, bate, xinga, mas eu já a conheço e ela já me conhece, então sempre a perdoo, ela me perdoa, e nunca deixamos de ser amigas.

bombeiro-300x200

Rawlinson de Medeiros, 42, bombeiro

“Eu estava trabalhando com meu pai e ele tinha uma fábrica de gelo. De repente eu estava sozinho lá, ele saiu para resolver algumas coisas, e eu era um adolescente de 14 anos. Em um dado momento eu estava em cima da maca tentando tirar uma barra de gelo de dentro da forma, escorreguei e fui caindo para cima do motor da máquina, que estava aberto. E eu segurei em uma serpentina que leva o gás para refrigerar a máquina e me desloquei para o outro lado do motor. Depois, fiquei pensando: eu acho que aquela serpentina foi a mão de Deus que me segurou para me livrar naquele momento do perigo. Eu fiquei muito emocionado depois. Ser bombeiro é uma profissão muito nobre né, você lida com pessoas em perigo, salvando vidas, então me identifiquei muito com essa profissão neste momento e também retribuí. Tento, sendo um profissional bombeiro, ajudar ao máximo que puder as pessoas no momento crítico que elas estiverem, seja ele qual for”.

Larissa Moura


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *