Formação

Reconciliai-vos

comshalom

Dom Walmor Oliveira de Azevedo


    Reconciliai-voscom Deus. Este apelo-convocação brota forte do coração missionário doapóstolo Paulo. Com essa veemência, ele se dirige aos Coríntios, na suaIIa. Carta. O capítulo quinto tem um tom quase dramático, explicitandouma urgência para a vida da humanidade no enfrentamento das candentesquestões existenciais contemporâneas. Paulo não vacila ao fazer esseapelo. Ele o faz no coração da complexidade urbana do seu tempo, emCorinto, Éfeso, Atenas e muitos outros lugares. Ele é convicto dessanecessidade. Conhecedor do que se passa no coração humano e dasdificuldades enfrentadas pela sociedade do seu tempo nas diferentesculturas por ele freqüentadas. Por isso enfrenta grandes dificuldades,indiferenças e zombarias. São espécies de venenos sutis e demolidoresque transitam pelas veias do mundo urbano do tempo de Paulo e de todosos outros tempos. É resultado da perda terrível do sentido dehumanidade e da referência insubstituível de Deus. Que dá lugar,facilmente, aos interesses do momento-segundo da vida, como a economia,o lucro, o bem estar social e outros. E mesmo sendo segundo tem, sim,sua importância. Contudo, jamais pode substituir o sustentáculo que é areferência a Deus. Insubstituível, é a fonte inesgotável para produzirsentido e compreensão que sustentam o equilíbrio de que a humanidadenecessita para prosseguir viagem.

    Referênciaa Deus que as culturas não podem dispensar para manter sua configuraçãoprogressiva e cada indivíduo precisa para não perder o prumo de suaexistência. O apelo-convocação de Paulo não é um eco estreitado noâmbito estrito de uma vivência religiosa. Os Atenienses, em diálogo comele, até o dispensaram, conta o evangelista Lucas num episódio narradono capítulo dezessete dos Atos dos Apóstolos. Chamaram-no,ironicamente, de tagarela. Até o levaram ao areópago de Atenas pedindoa ele que lhes contasse sobre a nova doutrina que estava pregando. Ascoisas que Paulo lhes dizia soavam estranhas, confessaram os seusinterlocutores atenienses. Lucas anota que todos os atenienses e osestrangeiros, no areópago, passavam o tempo a contar ou a ouvir asúltimas novidades. O apóstolo fermenta a curiosidade dos seusinterlocutores analisando suas circunstâncias e sublinhando aindispensável busca de Deus, ainda que às apalpadelas.

    Respondendoà necessidade de encontrá-lo, e destacando que na realidade ele nãoestá longe de nenhum coração humano porque, conclui Paulo, n’Ele sevive, se move e tudo existe. Paulo sofreu oposições e também teveadesões de muitos que abraçaram a fé. Este apelo-convocação,reconciliai-vos, continua contemporâneo. Ele tem no seu reverso oscenários que revelam uma humanidade sem rumos e se enveredando porcaminhos insustentáveis na organização da vida e em tudo o que dizrespeito à solidariedade e ao compromisso de efetivação de umacivilização do amor – que é tarefa de todos. Sua realização éimpensável e sem fecundidade quando se risca Deus da pauta dos seusprocessos.

    Também,é indispensável a consciência da responsabilidade individual ecomunitariamente articulada do serviço de reconciliação que cada pessoatem, na sua responsabilidade social e política, e na sua vivência defé. Paulo lembra que é Deus quem reconcilia. Reconciliai-vos com Deus éuma insistência que focaliza o ponto de partida e de chegada de todoprocesso fecundo que envolve esta premissa maior. Mas, sublinha tambéma tarefa de cada um, constituído como embaixadores, em nome de Deus,desta reconciliação. Um projeto que é mais abrangente do que apenas aconquista de dinâmicas que corrigem pontualmente os funcionamentos dasociedade – com intervenções nos seus mecanismos nefastos e geradoresdestes terríveis cenários de devastação, exclusão e disputas ferinasque vão caracterizando a vida planetária.

    Estareconciliação tem um endereço primeiro na interioridade de cada pessoa.Essa é uma condição primeira. E nessa hora tão grave de sua história, ahumanidade reclama pela conquista dessa grande  reconciliação. Nãoexiste, senão na interioridade, a fonte inesgotável para umademonstração eloqüente da solidariedade, do respeito e do amor para comtoda a família humana. O coração humano é o lugar do amor que tem forçade penetrar e fermentar todas as relações sociais. Este amor pode serentendido como caridade social ou  política. Importa ser estendido atodo o gênero humano. Sua fonte é o coração e a inteligência, e nãopode ser assoreada. É incontestável que o egoísmo é o mais deletérioinimigo da sociedade. A vida social e o exercício da política não podemser pensados apenas nos seus mecanismos de funcionamento. O amor há deser sua fonte referência. Deus é amor. É muito atual o apelo:Reconciliai-vos com Deus!


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *