Formação

São Barnabé e o inquieto desejo de anunciar Jesus, o Shalom do Pai

Chamava-se José e, quando foi admitido entre os apóstolos, recebeu o nome de Barnabé, que significa “filho da consolação”, devido ao dom de acalmar e de consolar os aflitos. Era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé, segundo narram as Sagradas Escrituras.

comshalom

Hoje, dia 11, a Igreja nos motiva a fazer memória de mais uma alma esposa de Deus. Um coração fiel, que não teve medo de colocar Jesus e seu Evangelho no centro de sua vida, São Barnabé. O nome recebido de sua família era, na verdade, José, porém, por alguma razão, os apóstolos o apelidaram de Barnabé, que quer dizer “filho da consolação”. Essa prática de um novo nome foi muito comum na história da Igreja, sobretudo nos primeiros séculos. Sempre que algum adulto conhecia Jesus e abraçava a fé, após o batismo, mudava de nome, simbolizando a nova vida que estava disposto a abraçar.

Barnabé, assim, foi um dos que pertenceu à ‘era apostólica’, tanto que era chamado por muitos de Barnabé apóstolo, embora não tenha pertencido formalmente ao famoso grupo dos Doze guerreiros da primeira hora, assim como próprio São Paulo.

Dócil aos dons e direções do Espírito Santo

Podemos encontrar alguns relatos e testemunhos desse discípulo e ministro da Paz no livro dos Atos dos Apóstolos 4,32ss. Ali, podemos ver que Barnabé foi um excelente evangelizador, não se preocupava em estar à mostra, mas ficava nos bastidores, sempre preparando o terreno para grandes nomes, como: São Pedro, São Paulo e outros anunciarem a Paz. O Espírito Santo dispôs muito desse servo, leia essa passagem: “Então Barnabé o tomou consigo, levou-o aos apóstolos e contou-lhes como Saulo tinha visto no caminho, o Senhor, que falara com ele, e como, na cidade de Damasco, ele havia pregado, corajosamente no nome de Jesus. Daí em diante, Saulo permanecia com eles em Jerusalém e pregava, corajosamente, no nome do Senhor” (At 9,27-28).

Há ainda alguns outros escritos antigos que relatam as viagens desse grande servo. Entre essas investidas missionárias, há uma em particular, onde vai a Roma no ano 70, envolvido de amor e ardor apostólico e morre apedrejado numa localidade chamada Salamina.

Morreu assim, anunciando Aquele pelo qual viveu, Jesus a Paz completa, que tanto sentido havia dado à sua vida. Que Deus nos batize, então, com o choque da Ressurreição de Jesus, por intercessão desse gigante, para que também nós tenhamos essa santa inquietação de anuncio da Paz.

São Barnabé, rogai por nós!


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *