Formação

São Martinho de Tours

comshalom

"Senhor,se o vosso povo precisa de mim, não vou fugir do trabalho. Seja feita avossa vontade", dizia Martinho, bispo de Tours, aos oitenta e um anosde idade.

Ele despertou para a fé quando ainda menino e depois, mesmo soldadoda cavalaria do exército romano, jamais abandonou os ensinamentos deCristo. A sua vida foi uma verdadeira cruzada contra os pagãos e emfavor do cristianismo. Quatro mil igrejas dedicadas a ele na França, eo seu nome dado a milhares de localidades, povoados e vilas; como emtoda a Europa, nas Américas. Enfim, em todos os países do mundo.

Martinho nasceu na Hungria, antiga Panônia, por volta do ano 316, epertencia a uma família pagã. Seu pai era comandante do exércitoromano. Por curiosidade começou a freqüentar uma Igreja cristã, aindacriança, sendo instruído na doutrina cristã, porém sem receber obatismo. Ao atingir a adolescência, para tê-lo mais à sua volta, seupai o alistou na cavalaria do exército imperial. Mas se o intuito dopai era afastá-lo da Igreja, o resultado foi inverso, pois Martinhocontinuava praticando os ensinamentos cristãos, principalmente acaridade. Depois, foi destinado a prestar serviço na Gália, atualFrança.

Foi nessa época que ocorreu o famoso episódio do manto. Um dia, ummendigo que tiritava de frio pediu-lhe esmola e, como não tinha, ocavalariano cortou seu próprio manto com a espada, dando metade aopedinte. Durante a noite, o próprio Jesus apareceu-lhe em sonho usandoo pedaço de manta que dera ao mendigo e agradeceu a Martinho por tê-loaquecido no frio. Dessa noite em diante, ele decidiu que deixaria asfileiras militares para dedicar-se à religião.

Com vinte e dois anos, já estava batizado, provavelmente pelo bispode Amiens, afastado da vida da Corte e do exército. Tornou-se monge ediscípulo do famoso bispo de Poitiers, santo Hilário, que o ordenoudiácono. Mais tarde, quando voltou do exílio, em 360, doou a Martinhoum terreno em Ligugé, a doze quilômetros de Poitiers. Lá, Martinhofundou uma comunidade de monges. Mas logo eram tantos jovens religiososque buscavam sua orientação que Martinho construiu o primeiro mosteiroda França e da Europa ocidental.

No Ocidente, ao contrário do Oriente, os monges podiam exercer osacerdócio para que se tornassem apóstolos na evangelização. Martinholiderou, então, a conversão de muitos e muitos habitantes da regiãorural. Com seus monges, ele visitava as aldeias pagãs, pregava oEvangelho, derrubava templos e ídolos e construía igrejas. Ondeencontrava resistência, fundava um mosteiro. Com os mongesevangelizando pelo exemplo da caridade cristã, logo todo o povo seconvertia. Dizem os escritos que, nessa época, havia recebido donsmísticos, operando muitos prodígios em beneficio dos pobres e doentesque tanto amparava.

Quando ficou vaga a diocese de Tours, em 371, o povo aclamou-o,unanimemente, para ser o bispo. Martinho aceitou, apesar de resistir noinício. Mas não abandonou sua peregrinação apostólica: visitava todasas paróquias, zelava pelo culto e não desistiu de converter pagãos eexercer exemplarmente a caridade. Nas proximidades da cidade, fundououtro mosteiro, chamado de Marmoutier. E sua influência não se limitoua Tours, tendo se expandido por toda a França, tornando-o querido eamado por todo o povo.

Martinho exerceu o bispado por vinte e cinco anos. Morreu, aosoitenta e um anos, na cidade de Candes, no dia 8 de novembro de 397.Sua festa é comemorada no dia 11, data em que foi sepultado na cidadede Tours.

Venerado como são Martinho de Tours, ele se tornou o primeiro santonão-mártir a receber culto oficial da Igreja e também um dos santosmais populares da Europa medieval.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *