Formação

São Tomé Apóstolo: tocou o lado aberto do Senhor e recebeu o choque da ressurreição

Também chamado de Dídimo, foi um dos 12 apóstolos originalmente escolhidos por Cristo. O nome dele está ligado à expressão “ver para crer”, pois ele estava ausente e duvidou da ressurreição de Jesus.

comshalom

Hoje a Igreja nos recorda a vida e o testemunho de um conhecido e pouco entendido personagem, São Tomé. Este fez parte do grupo especial dos 12 Apóstolos escolhidos por Jesus (cf. Mc 3,18; Mt 10,3). Seu nome, infelizmente, tornou-se objeto de piadas e até de apelidos para pessoas desconfiadas. Vamos aqui, então, fazer um esforço de apresentar traços e outros componentes da personalidade desse grande servo de Deus. Vejamos, desse modo, como a sua noite da fé foi uma oportunidade de, mais uma vez, Jesus Ressuscitado manifestar seu poder e glória.

Origem de Tomé

Tomé era um judeu, natural da região da Galileia e, provavelmente, assim como Pedro, era também um pescador de profissão. Seu nome: Tomé ou Tomás, significa “gêmeo” e, no idioma grego, se escreve: Didymus e aparece onze vezes no Novo Testamento. Esse componente linguístico de seu nome leva os historiadores bíblicos a suporem que ele tinha um irmão gêmeo. Tomé foi um dos importantes servos que estiveram na companhia de Pedro, João e dos outros apóstolos. Por três anos, ouviu e presenciou os discursos e ações de Jesus. Após a paixão e morte do Senhor, ele foi também um dos abençoados pelo derramamento do Espírito Santo na manhã de Pentecostes (cf. Jo 20,19-23).

Ardor missionário

Há indícios e relatos de que, após a Ressurreição, Ascensão de Jesus e de Pentecostes, tenha partido cheio de ardor e parresia para a Índia. Ali, consumiu sua vida, empenhando esforços para que mais corações pudessem, como ele, tocar o lado aberto do Senhor. Tomé, com certeza, representa a cada um de nós quando passamos por momentos de dúvida ou mesmo de provações. Para recordar, leia essa passagem, mergulhe no estado emocional e nas suspeitas de seu coração:

“Tomé, chamado Dídimo, que era um dos 12, não estava com eles quando Jesus veio. Os outros discípulos contaram-lhe depois: ‘Vimos o Senhor!’ Mas Tomé disse-lhes: ‘Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei’. Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: ‘A paz esteja convosco’. Depois disse a Tomé: ‘Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel’. Tomé respondeu: ‘Meu Senhor e meu Deus!’ Jesus lhe disse: ‘Acreditaste porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!’” (Jo 20,24-29).

Testemunha de vida, onde só havia morte

Viu só? Sua experiência de vacilo na confiança acaba nos ajudando a entender que Deus tem paciência com os mais frágeis. Mas ensina também como devemos ser dóceis e rendidos, quando essa verdade se apresenta. Talvez você que lê essa breve biografia desse servo, viva também como ele, momentos de dúvidas, medos e incertezas. Se junte a mim! Peçamos a Deus por intercessão de São Tomé Apóstolo, um batismo na misericórdia. Que essa graça, possa dissipar toda sombra de dúvidas e suspeitas do poder de Deus, que faz brotar vida, onde, aos olhos do mundo, só existe escuridão e morte.

São Tomé Apóstolo, rogai por nós.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *