Formação

Semana da família

comshalom

Dom Orani João Tempesta

A semana que se inicia com o Dia dos Pais é a escolhida como SemanaNacional da Família, que quer ajudar a reforçar os laços familiares denosso povo, proporcionando, assim, que as células saudáveis do tecidosocial ajudem o nosso corpo a viver melhor.

O recente Documento de Aparecida consta que “família é um dostesouros mais importantes dos povos latino-americanos e é patrimônio dahumanidade inteira. Em nossos países, uma parte importante da populaçãoestá afetada por difíceis condições de vida que ameaçam diretamente ainstituição familiar. Em nossa condição de discípulos e missionários deJesus Cristo, somos chamados a trabalhar para que esta situação sejatransformada e que a família assuma seu ser e sua missão no âmbito dasociedade e da Igreja”. (DAp 451)

A Constituição Apostólica sobre a Igreja no mundo de hoje, doConcílio Ecumênico Vaticano II, “Gaudim et Spes” (Alegria e esperança),afirma que o bem-estar da pessoa e da sociedade humana está intimamenteligado com uma favorável situação da comunidade conjugal e familiar,porém, alerta aos cristãos sobre questões que a afligem e lhe tiram obrilho desta comunidade de amor: “Porém, a dignidade desta instituiçãonão resplandece em toda parte com igual brilho. Encontra-se obscurecidapela poligamia, pela epidemia do divórcio, pelo chamado amor-livre eoutras deformações. Além disso, o amor conjugal é muitas vezesprofanado pelo egoísmo, amor ao prazer e por práticas Ilícitas contra ageração.”

Em brevíssimas palavras, aqui está toda a problemática da família nomundo de hoje, situação que no momento está mais agravada pordistorções geradas por modelos de família que não se abrem para a vida,situação esta infelizmente legalizada em alguns países.

Bem, entretanto, se fizermos uma nova leitura do livro do Gênesis,vemos com muita clareza que o Criador, no momento que deu gênese ao serhumano, homem e mulher, os fazendo à sua imagem e semelhança,instituiu, também, a família, que reflete a mesma semelhança da famíliatrinitária, pois Deus não é solitário, mas uma família; Pai (Criador),Filho (Redentor), Espírito Santo (Deus amor): “Deus criou o homem à suaimagem, criou-os à imagem de Deus; ele os criou homem e mulher”I (Gn 1,27). Abençoando os novos seres que criou Deus, disse-lhes: “Crescei emultiplicai-vos, enchei a terra e dominai a terra”(Gn, 1,28). Em outranarrativa da criação, aliás, a primeira do livro das origens, oGênesis, o Criador, uma vez criado o homem à sua imagem e semelhançadisse: “Não é bom que o homem esteja só. Vou fazer-lhe uma companheiraque lhe corresponda.” (Gn 2, 18). E, criada a mulher, que tem a mesmadignidade do homem, Adão, o pai dos viventes, admirado, exclamou:“Desta vez sim, é osso dos meus ossos e carne de minha carne”! “Elaserá chamada ´humana´, porque do homem foi tirada.” “Por isso deixará ohomem o pai e a mãe e se unirá a sua mulher, e eles serão uma sócarne.”(Gn, 2, 23).

Pois bem, em sendo a família humana uma instituição de origemdivina, com semelhança da família trinitária, ela somente readquirirá adignidade perdida quando voltar a ser o reflexo da família trinitária,na qual Deus não só é Pai, mas paternidade, Jesus Cristo não é apenasfilho, mas filiação e o Espírito Santo, não é somente união, masunidade.

A família, então hoje, para cumprir sua missão de promotora dobem-estar do ser humano terá que cada vez mais ser poço de paternidade,berço da filiação e comunidade de amor.

É bom relembrar o compromisso solene do casamento cristão, quesempre é proclamado pelos noivos perante a comunidade eclesial:“Recebo-te por minha (por meu) esposa (esposo) e te prometo ser fiel naalegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-te e respeitando-tetodos os dias de minha vida.”

Vê-se, pois, que o vínculo matrimonial que nasce do amor recíprocose exprime por esse juramento conjugal, que começa e se realiza dianteda infinita majestade de Deus por aquele mesmo amor com que o Pai nosamou no seu Filho, Jesus Cristo, e nos santifica pelo Espírito desseAmor, que é o Espírito Santo.

“Os esposos participam da função redentora de Cristo ao assumiremintegralmente, por vocação divina, a finalidade para a qual omatrimonio foi instituído. Cada união nasce pelo pacto entre um casal,mas com um conteúdo divinamente estabelecido, a unidade e aindissolubilidade, ordenado à procriação da prole.” (Alocução de JoãoPaulo II, aos fieis da Arquidiocese de Campo Grande, quando de suavisita ao Brasil).

Sejam oportunas pequenas reflexões sobre a família, remetendo oleitor cristão para duas passagens lindíssimas da Sagrada Escritura: Aprimeira do Livro de Tobias, quando este, após ter aceitado Sara comosua esposa, rezou a Deus e terminou sua oração desta forma: “Agora, nãoé por luxúria que me caso com essa minha irmã, mas com reta intenção.Tem misericórdia de mim e dela, e que possamos chegar, ambos, a umaditosa velhice.” (Tobias. 8,7). A segunda vem do Livro de Rute, mulhermaobita, Nora de Noemi, de cuja descendência nasceu David, o grande reide Israel: “Booz casou-se com Rute, tornando-a sua esposa. Eles seuniram e, com a graça do Senhor, ela ficou grávida e deu à luz umfilho. As mulheres disseram a Noemi: “Bendito seja o Senhor, que hojenão te deixou sem redentor e preservou o nome de tua família em Israel.Que ele venha restaurar a tua vida, sustentar-te na velhice, poisnasceu de tua nora, que te ama e para ti está sendo melhor que setefilhos.” (Rute, 4, 14 e 14).

Nesse contexto, celebramos, em toda a Igreja no Brasil, a SemanaNacional da Família, entre os dias 9 e 15 de agosto de 2009. A ComissãoEpiscopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB e a ComissãoNacional da Pastoral Familiar lançaram o tema deste ano que é:“Família, Igreja Doméstica, Caminho para o Discipulado”, em articulaçãoe comunhão com a Comissão Episcopal Pastoral para a AnimaçãoBíblico-catequética num compromisso conjunto com o Ano Catequético. Ossubtemas publicados no subsídio “hora da família” nos ajudam aaprofundar esse importante assunto e, principalmente, nos motiva aviver ainda mais como famílias cristãs.

Celebrando em nossas comunidades e redes de comunidade a SemanaNacional da Família, a Igreja no Brasil quer, uma vez mais, salientar aimportância da família, que, talvez mais que outras instituições, temsido posta em questão pelas amplas, profundas e rápidas transformaçõesda sociedade e da cultura. Por isso, é fundamental um olhar atento,dirigido com carinho, afeto e atenção à família, patrimônio dahumanidade e tesouro dos povos.

O Episcopado Brasileiro lançou, em abril passado, o “Manifesto emfavor da Família”, onde reafirmam que “Deus criou o ser humano à suaimagem e semelhança, homem e mulher ele os criou (cf. Gn 1,27),destinando-os à plena realização na comunhão de vida, de amor e detrabalho. Por essa razão, o matrimônio e a família constituem um bempara os esposos e a sociedade. O amor conjugal aberto à geração eeducação dos filhos proporciona a experiência de paternidade ematernidade, através das quais os pais se tornam colaboradores doCriador”.

Assim, valorizando a família autêntica, de marido e mulher, com umafamília bem estruturada, a Igreja no Brasil conclama a todos para queprossigam no objetivo pastoral de Evangelizar pela Família e para aVida, continuando com o empenho sócio-evangelizador pela promoção davida, do matrimônio e da família, lembrando sempre do importante einsubstituível papel subsidiário da família cidadã para o bem dasociedade. Por isso conclamamos (a) todas as forças vivas para realçarque “os meios de comunicação, os poderes públicos, os profissionais desaúde, as universidades, o sistema educacional, as empresas, asinstituições e os organismos não-governamentais e todas as igrejassejam conclamados a promover os valores da família e agirem como seusamigos”, enfatizam os bispos brasileiros.

Por isso, ao saudar os pais pelo seu dia, como o fiz solenemente aospés do Cristo Redentor, domingo passado, quero convidá-los para quejunto de sua esposa e filhos sejam cada vez mais comprometidos com avalorização de sua família, e para não medirmos esforços em protegê-lae defendê-la das grandes pressões externas. Que a família brasileiraseja respeitada como espaço privilegiado para a existência e aconvivência humana! Que a Sagrada Família, Jesus, Maria e José, abençoenossas famílias!


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *