Formação

Série vida interior: sobre a recepção da graça divina

Anteriormente mencionamos que a vida interior é um diálogo íntimo com Deus. Vale a pena então, no presente artigo, mencionar qual é a origem desta vida interior.

Ensina Garrigou-Lagrange, a vida interior nasce da recepção da graça divina. Quando recebemos a graça de Deus na alma, inicia-se em nós um caminho rumo ao céu. É como que uma semente é plantada na nossa alma, e com o tempo, cuidado e esforço, esta deve crescer, germinar e dar frutos. São numerosas na Sagrada Escritura as passagens que revelam o Reino dos Céus através de figuras desta índole (cf. Mt 13; Mc 4, 26-34). Nesta perspectiva, o teólogo dominicano nos ensina que a graça de Deus é como que um germe de vida eterna na nossa alma.

Série Vida Interior #1: Sobre o problema de estarmos jogados dentro de nós mesmos

Série vida interior #2: Mas afinal, o que é vida interior?

Até agora pode parecer para alguns um assunto místico demais e distante da nossa realidade. Pois, olha, deixa te perguntar… você é batizado? Se sua resposta é “sim”, então, você já está vivendo isso! “Como assim?” Veja bem:

Quando somos batizados recebemos na alma a graça de Deus, que chamamos de graça santificante ou graça habitual. Se trata da graça divina que habita, que permanece em nós. De maneira ativa e eficaz, a graça de Deus age na nossa alma nos unindo a Deus. A nossa alma recebe uma qualidade e passamos a nos encontrar em um estado novo: o estado de graça. É o estado de graça que nos permite a entrada ao céu.

Já percebeu o importante que é o batismo? No exato momento do seu batismo, você iniciou um caminho rumo ao céu.

Pois, bem… continuemos…

Estado de graça

O estado de graça é pressuposto da vida interior, ou seja, é necessário possuir a graça para poder ter uma vida interior. Este é o primeiro passo. Contudo, isso não é tudo. É necessário colaborar com a graça recebida. Ensina Garrigou-Lagrange: “o estado de graça, que existe em toda criança após o batismo e em todo penitente após a absolvição de suas faltas, não basta para constituir aquilo que geralmente chamamos de vida interior do cristão. É preciso, além disso, uma luta contra o que poderia fazê-lo recair no pecado e uma séria determinação da alma de tender para Deus”

Tendo refletido sobre a origem da vida interior, valeria a pena perguntar-se qual é a real necessidade dela. Parece ser algo muito específico, reservado para pessoas chamadas a uma vida contemplativa, etc. No próximo artigo veremos que a vida interior é necessária para todos! Fica ligado!

 1. Cf. GARRIGOU-LAGRANGE, R. As três idades da vida interior – Tomo I. São Paulo: Cultor de livros, 2018. pág. 46

2. Cf. GARRIGOU-LAGRANGE, R. As três idades da vida interior – Tomo I. São Paulo: Cultor de livros, 2018. pág. 32

 3. GARRIGOU-LAGRANGE, R. As três idades da vida interior – Tomo I. São Paulo: Cultor de livros, 2018. pág. 46

Série Vida Interior #1: Sobre o problema de estarmos jogados dentro de nós mesmos

Série vida interior #2: Mas afinal, o que é vida interior?


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *