Institucional

Evangelização na Copa do Mundo: ouvir falar de Deus em uma festa?

comshalom

Fan Fest copa evangelização FortalezaNa terça-feira (24), dia de São João Batista, membros do Shalom foram à Praia de Iracema, em Fortaleza, para evangelizar as pessoas que estavam no local, após o jogo entre Grécia e Costa do Marfim, realizado na capital cearense. Motivados pelo apelo da Igreja, de aproveitar a Copa do Mundo no Brasil para acolher os turistas e anunciar-lhes o Amor de Deus, jovens, adultos e famílias se revezam até o fim do mundial na evangelização na Praia. O Aterro de Iracema sedia o Fifa FanFest e tem recebido cerca de 50 mil pessoas nos dias de jogos na cidade. Confira testemunho de Suziane Vasconcelos, membro da Comunidade de Aliança Shalom, que participou da ação:

Éramos um grupo de três pessoas: João, que portava um dicionário de espanhol, Yuri, jovem vocacionado do Shalom da Paz, e eu, Suziane, do Shalom da Parquelândia. Saimos pelo calçadão com o coração cheio da parresia que só o Espírito Santo era capaz de nos dar.

O valor da escuta

Logo no início, encontramos um jovem que estava praticando corrida no calçadão. Ele passou por nós e gritou “católicos, adoradores de imagens”. Daí eu parei e perguntei (gritei) qual o nome dele. Foi o suficiente para ele começar a discorrer sobre sua vida. Jovem, natural de Teresina, protestante e com experiência de trabalho com menores infratores. Enquanto ele relatava suas experiências junto aos menores em conflito com a lei, escutávamos atentamente e a única frase que dissemos foi: “O que pode salvar essas crianças das garras do mundo é o Amor, ame-as com o Amor de Jesus Cristo”. Falamos da Comunidade Shalom, dos projetos de Promoção Humana, dos dias de grupos de iniciantes e os diferentes endereços de centros de evangelização. No final, o rapaz falou “vocês são diferentes, parece que já aceitaram Jesus”. Abraçamo-nos. Na despedida, ele nos disse que iria a um centro de evangelização, sim.

“Ouvir falar de Deus em uma festa? Por essa eu não esperava!”

Próximo à arena do FanFest, vimos dois jovens que seguravam latinhas de cerveja, eles tinham traços característicos de estrangeiros: altos, loiros, olhos claros. O Espírito Santo nos conduziu até eles com um “Hello! Welcome to Brazil”. Com o semblante de surpresa e alegria, um deles disse em inglês: “Você é a primeira pessoa que nos dirige uma palavra de boas vindas. Nem mesmo no Hotel” – disse o nome de um hotel super luxuoso de Fortaleza – “ninguém nos cumprimentou dessa forma”. Daí, o Yuri disse: “Eu então sou a segunda pessoa a desejar boas vindas a vocês”. Realmente eles ficaram muito perplexos com a alegria e o acolhimento.

Apresentamo-nos. Eles disseram que eram alemães e que moravam em uma cidade no sul da Alemanha. Conversamos bastante sobre a estadia deles no Brasil. Eles estavam percorrendo várias cidades do Nordeste, nas quais a Alemanha jogava, e estavam muito maravilhados com as belezas naturais das cidades como Fortaleza e Salvador. Conversamos sobre o Pelourinho, danças, cultura local, festas de São João. Então, um deles disse: “Minha religião é futebol. Eu não acredito em nenhuma divindade, não acredito em Deus, não gosto de Igreja e já tive experiências muito negativas com essas. Na minha cidade, as igrejas estão se transformando em bares e isso me deixa feliz.” Quando eu perguntei “o que é felicidade para você?”, ele disse: “Felicidade é poder estar nesse lugar maravilhoso com o meu amigo, sentir-se bem, encontrar pessoas diferentes e nada mais”. Eu falei: “Mas tudo isso é passageiro, hoje você está aqui, três dias depois você está em outro lugar. Entretanto, o Amor, que é uma pessoa – Jesus Cristo, não muda, e é para sempre. Mesmo que você não O busque, Ele te acolhe sempre. Essa pessoa mudou a minha vida e quer mudar a sua também!”. Pude, assim, perceber o brilho do olhar dele. Com essa expressão, ele me comunicava (não com palavras, mas com o olhar): “Eu preciso desse Amor”. Ele me disse: “Respeito sua opinião, mas meu coração é muito duro para essas coisas, porém eu prometo a você que irei pensar sobre essas palavras. Acredite, isso é muito para mim! Eu pensei em conversar com as pessoas sobre muitas coisas aqui no Brasil: futebol, praias, mulheres, mas jamais pensei em encontrar alguém para me falar de Deus”. Prontamente, percebi uma abertura do coração dele e disse: “O sentido da sua vida está em Deus, rezarei por você todos os dias”. Ele pôs a mão no coração e disse de forma muito afetiva: “Oh! Muito obrigada”. Percebi que o sentido maior do “muito obrigada” dava-se pelo acolhimento, porém, acredito que Deus agiu na vida daquele rapaz naquela hora através do Carisma Shalom.

Quanto a mim…suziane

Ao chegar à capela de São Pedro, onde nos reunimos antes e depois da evangelização na Praia de Iracema, diante do Santíssimo Sacramento apresentei aqueles jovens ao Senhor e tive uma experiência com o meu “nada”. Perguntei-me: “Como é que Deus, sendo Deus, precisa de uma criatura como eu?” Percebi, então, que Deus é TUDO e eu, pobre e miserável, mas Shalom, apenas correspondo ao Seu chamado com um SIM. Posso afirmar que a maior beneficiada naquela noite fui eu. Nenhum medo é capaz de conter o Amor que se derrama sobre nós dia a dia. O Carisma Shalom é verdadeiramente uma expressão do Amor de Deus para o mundo. Amém.

 

Suziane Martins de Vasconcelos
missionária no Shalom da Parquelândia


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *